Como ter um trabalho remoto enquanto você viaja

0
nômade digital
Imagem de AdrienBe por Pixabay

RELATO ESCRITO POR ANDREA LEONEL

Estamos nos encaminhando para um mundo onde cada vez mais a presença digital será importante. O cenário de pandemia nos mostrou que muitas das profissões que acreditávamos ser apenas presenciais podem ser trazidas para o mundo digital – e virar um trabalho remoto, com algumas adaptações e criatividade.

Por isso, eu convidei a minha amiga Andrea Leonel que é nômade digital desde 2019 pra contar um pouco sobre esse universo do trabalho remoto e como é possível trabalhar online enquanto viaja pelo mundo.

O que é um trabalho remoto?

Ter um trabalho remoto significa exercer uma posição dentro de uma empresa ou do seu próprio negócio de forma parcialmente ou totalmente online e sem a necessidade de trabalhar de um lugar físico por pelo menos parte do tempo.

É importante ressaltar que nomadismo digital e trabalho remoto não são necessariamente a mesma coisa. Existem posições que são sim remotas mas que, por várias razões, limita a movimentação do empregado.

Por exemplo, existem posições em que você trabalha online na maior parte do tempo, mas você vai precisar comparecer no escritório físico da empresa com uma certa frequência.

Outras podem manter você trabalhando sempre online, mas requer que você se mantenha em um país ou região específicos, normalmente para evitar diferenças de fuso horário. E outras podem requerer que você tenha um endereço fixo, o que impede então que você tenha uma vida de nomadismo digital.

Com as empresas impossibilitadas de funcionar devido à pandemia, o trabalho remoto em suas várias formas tem se tornado uma opção cada vez mais viável para empresas e muitas delas devem adotar o trabalho remoto de forma permanente, mesmo depois que a pandemia passar.

Esse aumento pode significar uma ótima oportunidade de adotar o estilo de vida de nomadismo digital, onde a pessoa viaja e trabalha de diferentes partes do mundo.

Focando, então, no trabalho 100% remoto sem limitação geográfica, nesse post nós vamos discutir mais como se tornar um trabalhador remoto e adotar o estilo de vida de nomadismo digital. Só lembrando que não vamos focar no mundo do empreendedorismo online, porque isso daria um outro post!

Portanto, vamos falar agora das áreas com mais empresas que adotam o trabalho remoto para os seus empregados.

Quais são as áreas com demanda para trabalho remoto?

Qualquer posição que é feita de dentro de um escritório e apenas com a necessidade de um computador e internet, em tese, pode ser feita remotamente. Porém, depois de uma olhada rápida nos sites de trabalho remoto, como o We Work Remotely e o remote.co, você vai notar que algumas áreas tem mais demanda pra esse tipo de trabalho do que outras.

Talvez por ter um pensamento mais a frente do seu tempo e ter domínio de sistemas online, as área de tech são definitivamente aquelas que oferecem mais possibilidades de trabalho remoto. Dentre elas, áreas como programação de software, design gráfico e web development estão muito abertas a esse tipo de trabalho.

Existem também áreas que são ótimas portas de entrada para o mundo do trabalho remoto por não requererem habilidades muito técnicas e por levarem em consideração experiências de trabalho offline.

Por exemplo, a área de assistentes virtuais – quando se trabalha como secretário(a) de um CEO ou Gerente de alguma empresa de forma remota – sempre possui várias vagas abertas e também conta com agências de recrutamento. Da mesma forma, a área de atendimento ao consumidor online também está em demanda e normalmente leva em conta experiências em lojas ou balcões de atendimento.

Porém, não podemos descartar as áreas mais tradicionais. Como mencionado acima, um ponto positivo trazido pela pandemia é que as empresas em áreas como direito, marketing, publicidade e até educação, começaram a consideram o trabalho remoto como uma forma real de funcionamento.

Portanto, o número de vagas remotas em empresas de advocacia, agências de comunicação e instituições de ensino tem aumentado significativamente.

Como ter um trabalho remoto enquanto você viaja

Quais são as habilidades necessárias pro trabalho remoto?

Uma coisa fundamental para se considerar antes de iniciar sua busca por trabalho remoto é: você não está mais restringido a um certo país. Parece óbvio, mas esse fato traz 2 consequências:

1) O inglês se torna algo extremamente necessário;

2) Você vai competir com candidatos do mundo todo.  Mas, não entre em pânico, esses são obstáculos que dá sim pra contornar.

Falando primeiramente sobre a necessidade de se falar inglês: Empresas remotas vão ter funcionários de todas as partes do mundo e vão usar sistemas que são em inglês.

Portanto, não tem como fugir, você precisa aprender a falar inglês para ter uma gama maior de possibilidades e não se limitar apenas ao Brasil (ou nem isso, já que inglês costuma ser um requisito de vagas remotas no Brasil também).

Os cursinhos de inglês tradicionais podem te dar uma base teórica boa de gramática e algum vocabulário, mas no mundo remoto é necessário se expressar bem em inglês já que suas reuniões de trabalho e apresentações serāo nessa língua.

Pensando nisso, eu criei o Blab, um serviço de conversação online personalizada em inglês que usa da imersão na língua e o uso prático dela através de debates e conversas sobre tópicos do seu interesse para te ajudar a se expressar melhor em inglês.

De nada adiante você aprender um inglês robótico de livro de cursinho se as pessoas no mundo real e no mundo remoto não falam assim. Portanto, o Blab te ajuda a tirar o seu inglês do armário e desenvolver a segurança e fluência que você precisa na hora de fazer uma entrevista para um trabalho remoto ou para fazer reuniões internacionais, por exemplo.

Se você ainda precisa do básico de teoria antes de partir pra conversação, o cursinho tradicional não é mais a sua única opção. A internet está repleta de conteúdo para aprender gramática sem sair de casa e sem gastar dinheiro. No Youtube, por exemplo, um canal que eu recomendo pros meus Blabbers é o English with Adam, que explica muito didaticamente os tempos verbais, estruturas das frases e até pronúncia.

Leia também:
Dicas de como aprender inglês mais rápido
Cursos de inglês na Inglaterra

Partindo então pro segundo ponto: A sua concorrência vem do mundo todo quando se aplica para um trabalho remoto. Portanto, no universo do trabalho remoto é preciso se especializar o máximo possível. Isso pode significar saber muito sobre uma coisa específica ou sobre um nicho, ou ter uma combinação de habilidades muito únicas.

Por exemplo, eu estou desenvolvendo minhas habilidades em web development, design gráfico e análise de dados especificamente para a área de turismo focado na parte de turismo consciente. Ao focar em uma área muito específica e desenvolver um conjunto de habilidades, eu me diferencio de outros candidatos.

Portanto, um bom exercício para decidir onde focar é olhar as vagas disponíveis nos sites abaixo, selecionar algumas que você se identifica e perceber o que eles procuram nos seus candidatos.

Se te falta inglês, entre em contato comigo no Blab ou comece a estudar no Youtube. Se te falta habilidades técnicas, agora é a hora de aprender coisas novas e se inscrever num curso online. Pode parecer muito trabalho, mas se alguém te falou que ser um nômade digital é só colocar o laptop na mala e viajar, sinto muito mas você foi enganado.

Invista da Worldpackers Academy

A Worldpackers Academy é uma plataforma de cursos de viagens que oferece conteúdos práticos oferecidos por mais de 60 criadores de conteúdo que compartilham suas expertises através de cursos de nomadismo digital, Blog, Youtube, Instagram, empreendedorismo nômade, venda de produtos online, planejamento de viagem, monetização durante a viagem, estilo de vida e muito mais.

Como ter um trabalho remoto enquanto você viaja

Onde encontrar vagas remotas?

Existem sites especializados em vagas remotas, sendo os meus dois preferidos o We Work Remotely e o remote.co. Grupos de nômades digitais no Facebook, como o Female Digital Nomads e o Global Digital Nomads, também são lugares que você deveria ficar de olho já que eles postam muitas vagas por lá.

Plataformas tradicionais como o Linkedin e o Indeed, muito utilizado na Europa, também mostram oportunidades remotas mas é necessário usar filtros para tirar as vagas presenciais da busca.

E por último, mas não menos importante, use suas redes sociais como forma de networking. Siga empresas pequenas e startups que você curte e inicie um contato. Use suas redes para mostrar como você está desenvolvendo suas novas habilidades para o mundo remoto e entre em contato com pessoas que estão no mesmo barco.

Como é a minha realidade como nômade digital?

Eu caí no mundo do trabalho remoto por acidente. Eu trabalhava em uma empresa de cosméticos na Inglaterra como analista de dados. Trabalho tradicional, escritório, horário pra entrar e sair, essa coisa toda.

Um belo dia a empresa, que passava por dificuldades financeiras, me demitiu sem justa causa e assim meu visto de trabalho foi cancelado.

Enquanto me preparava pra sair do país, uma empresa de Mystery Shopping, pra quem eu fazia alguns bicos, me ofereceu a oportunidade de ser revisora de texto de forma remota. Com a grana da recisão do meu emprego e uma renda pequena por mês desse trabalho remoto, eu resolvi viver viajando.

Passei um ano nessa realidade e fazendo voluntariado em hostels para ajudar a reduzir os custos da viagem e desenvolver habilidades novas.

Eis que veio o covid e acabou com a minha festa. O meu trabalho remoto acabou e eu passei a viver da minha reserva de emergência. Um dia, ao receber a conta do meu hotel no Líbano, onde fiquei presa durante a pandemia, o valor me assustou e eu percebi que os últimos 3 meses tinham me custado £1,500 libras. Esse foi o baque que eu precisava pra entrar novamente pro mundo do trabalho remoto e, dessa vez, não por acidente.

Tudo que escrevi acima foi resultado dos últimos 2 meses de pesquisa e estudo. Hoje, escolhi o caminho de empreender online para me ajudar a desenvolver as habilidades que estão em demanda no mundo do trabalho remoto.

Com o Blab, coloco em prática tudo que venho aprendendo sobre marketing digital e design gráfico. Agora, estou colocando meu conhecimento de web development e criando um site pra minha plataforma. No futuro, se quiser algo mais estável e trabalhar remotamente para uma empresa, posso usar essa experiência para colocar no meu CV e me destacar pros meus possíveis empregadores.

Essa é uma das formas de se desenvolver e preparar para o mundo do trabalho remoto e nomadismo digital. Mas, não é a única. Acima de tudo que eu falei acima, não subestime a importância da criatividade e de saber trilhar seu próprio caminho. Diferente do trabalho tradicional, o mundo do trabalho online é muito mais diverso e sua personalidade e vivências contam muito!

Como ter um trabalho remoto enquanto você viaja

 

Meu nome é Andrea Leonel, eu tenho 28 anos e estou vivendo como nômade digital desde Fevereiro de 2019. A cada mês mudo de país e compartilho minhas aventuras e aprendizados no meu Instagram.

 

 

Como ter um trabalho remoto enquanto você viaja

 

Gostou das dicas do blog?
Aproveite os descontos abaixo para economizar nas suas viagens!

Toda vez que você usa um link do blog, o Vida Mochileira ganha uma pequena comissão e você NÃO paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso nas minhas viagens e recomendo:
– Voluntariado em viagens: Worldpackers (U$10 OFF)
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb (até R$179 OFF)
– Passeios no Atacama, Salar de Uyuni e Santiago: @fuigosteitrips (5% OFF)
– Seguro Viagem: Seguros Promo (5% OFF), SafetyWing ($37 dólares por 4 semanas)

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar as minhas aventuras!

Maryana Teles
Carioca, publicitária, mergulhadora e produtora de conteúdo, eu também sou apaixonada por viagens de estilo low cost. Eu amo viajar sozinha e fazer voluntariados. Eu uso as minhas viagens como uma ferramenta de autoconhecimento e aprendizado e quero compartilhar esse processo com você. Bora?!