O que fazer em São Thomé das Letras – MG

0

Oi gente! Tudo bem?

Como vocês sabem, eu moro na Inglaterra desde 2015, mas todo ano visito o Brasil por, pelo menos, 1 mês. Sempre venho pro Rio pra ver a família e os amigos e, é claro, garantir aquele bronze antes de voltar pra minha rotina chuvosa e cinzenta na Inglaterra.

No entanto, esse ano (2018) resolvi prolongar minha estadia no Brasil e fiquei por 4 meses seguidos. Como eu conheço muito pouco do Brasil, resolvi aproveitar algumas semanas livres pra fazer viagens curtas pra destinos que sempre tive vontade, como por exemplo: Búzios, Paraty, Trindade, São Paulo, Capitólio e, é claro, São Thomé das Letras.

São Thomé das Letras

Por causa do blog, eu acabo conhecendo muitas pessoas legais que amam viajar, mas também, por causa do blog, muitas pessoas me acompanham e me conhecem e querem estreitar relações – e eu amo isso! Amo me conectar e conhecer pessoas que eu só falava pela internet e trazer essa relação pro off-line (vida real).

Por que eu tô contando isso? Porque isso tem tudo a ver com a forma como conheci São Thomé das Letras. Eu tenho dois seguidores fiéis – a Débora e o Tony – que criaram uma agência de turismo em São Paulo pra fazer roteiros acessíveis de bate e volta (sai na sexta e volta no domingo e fazem viagens também nos feriadões) aqui pelo Brasil. Eles têm vários roteiros irados como: Maromba, Capitólio, Ilha Grande, Bombinhas, São Thomé das Letras e outros.

Esses seguidores fiéis que me acompanham há algum tempo ficaram mega animados quando descobriram que eu viria não só pro Brasil, mas também visitaria São Paulo pela primeira vez.

Logo que ficaram sabendo disso, me mandaram um direct no Instagram me convidando pra fazer as viagens juntos com eles pra não só conhecer eles, mas a vibe e a energia das trips que eles organizam.

Vocês sabem que eu só recomendo o que eu uso, o que eu realmente gosto, o que eu acredito e o que se conecta com os meus valores e é por isso que eu tô fazendo esse post de forma super espontânea e feliz com meu coração repleto de alegria pelas experiências e amigos que eu fiz nessas trips.

Agora vamos falar de São Thomé das Letras, né? Afinal, o que essa cidade tem de tão especial e porquê vale muito a pena colocá-la na sua lista de destinos.

Sobre São Thomé das Letras

A cidade de São Thomé das Letras é muito famosa por ser mística e emanar uma energia muito diferente! Ela está localizada em Minas Gerais a mais de 1200 m de altitude. Possui muitas atrações turísticas, quase todas ligadas à natureza (cachoeiras, cavernas, etc) e também muitos mistérios que dão à cidade um charme a mais.

São Thomé também é conhecida pelas lendas (fadas, duendes, bruxas e E.Ts) e pelo clima místico da cidade (conhecida como um dos sete pontos energéticos da Terra ou Chacras – mesma energia emanada em Machu Picchu pela conexão que ambos os lugares tem por uma gruta subterrânea), onde muitas pessoas vão buscar o equilíbrio, o encontro consigo mesmo, paz, descanso, meditação, medicinais naturais, pedras de cura e muito mais!

Eu amei de verdade São Thomé pela energia incrível e surreal desse lugar, pela natureza que é maravilhosa e pelas pessoas que são muito acolhedoras. Não é um destino pra você ir e bombar suas fotos do Instagram, mas sim um destino pra você se conectar de verdade com a natureza e com você mesmo!

É um destino que pede desconexão do online pra ter mais conexão com o off-line. É aquele tipo de lugar que vale a pena deixar o celular no hostel só pra curtir melhor e mais intensamente essa vibe incrível que faz um bem danado.

Conexão de São Thomé das Letras com Machu Picchu

A Gruta do Carimbado possui várias lendas relacionadas à sua misticidade e energia “sobrenatural”, principalmente por ter uma possível conexão subterrânea com Machu Picchu e com o povo Inca do Peru.

Além disso, rolam vários boatos e lendas sobre a possível existência de uma civilização intra-terrestre (pessoas que vivem no centro da terra e que estão mais evoluídas intelectualmente) com acesso pela gruta.

Ninguém nunca conseguiu chegar até o final da Gruta do Carimbado por dificuldades respiratórias e até motoras. Os místicos dizem que a gruta pode ser um dos sete pontos energéticos da Terra ou Chacras para outras dimensões, sendo este local um ponto de fortes energias telúricas.

Por degradação ambidental e grande número de visitantes, o Governo decretou a interdição e proibiu o acesso à Gruta do Carimbado para preservação do local.

O que fazer em São Thomé das Letras – MG

Melhor época do ano para visitar São Thomé das Letras

O verão é a época mais chuvosa, o que pode ser um problema pra quem quer visitar as cachoeiras da região por conta do risco de tromba d’água. Além disso, o acesso das estradas fica um pouco mais limitado e difícil por conta das chuvas.

No Inverno, faz muito frio, o que também pode ser um problema pra quem odeio banho gelado, já que a água das cachoeiras fica congelante. No entanto, no inverno o céu fica mais limpo e chove menos, lhe dando a oportunidade de curtir um pôr do sol inesquecível.

O outono e a primavera são as melhores épocas ppra você visitar São Thomé das Letras por conta da baixa frequência de chuvas e temperaturas agradáveis. Os dias são quentes e as noites frias (por isso é muito importante levar um bom casaco).

No outono, o volume de água nas cachoeiras é maior por conta das chuvas de verão – por isso, muita atenção sempre.

Independente da época que você for, LEVE UM CASACO! A temperatura costuma cair muito durante à noite em todas as estações do ano, então é melhor prevenir do que passar frio, né?

Ahhh! Tenha em mente que nos feriadões ou em eventos da cidade (carnaval, encontro ufológico, festival místico, Reveillon etc) a cidade fica lotada. Por isso, se você procura sossego e curtir a natureza com mais paz e tranquilidade, evite essas datas. 

Quantos dias ficar em São Thomé das Letras?

Dois dias dá pra aproveitar bastante as cachoeiras e os mirantes de São Thomé – dá pra conhecer os principais pontos turísticos da cidade, mas se você tiver 3 ou 4 dias seria ideal pra curtir com calma a paz da cidade, as grutas, as trilhas e os barzinhos também.

 

Cachoeiras de São Thomé das Letras

Se tem uma coisa que não falta em São Thomé das Letras é energia boa! A energia do lugar, das pessoas, de cada pedra que você vê é diferente e mágica.
Além dessa energia infinita você também encontra várias cachoeiras em São Thomé das Letras:

1- Vale das Borboletas (gratuita)

2- Poço dos Duendes (gratuita)

3- Cachoeira Paraíso (gratuita)

4- Cachoeira Véu da Noiva (gratuita)

5- Cachoeira do Flávio (gratuita)

6- Piscina do Sobradinho (gratuita)

7- Poço Verde (R$ 15,00 incluindo visitação guiada na Gruta do Labirinto)

8- Cachoeira da Eubiose (R$ 5,00)

9- Antares e Piscina de Antares (gratuita)

10- Cachoeira da Lua (gratuita)

11- Cachoeira das Macacas (gratuita)

12- Shangrilá (gratuita)

13- Cachoeira da Chuva

14- Cachoeira Garganta do Diabo (indicado é procurar um guia que conheça bem a região)

O que fazer em São Thomé das Letras

Além das cachoeiras maravilhosas, São Thomé tem também alguns mirantes, pedras e grutas e muitas outras coisas pra você conhecer. Além, é claro, do centrinho e das feirinhas de artesanatos que rolam por toda cidade.

– Pedra da Bruxa;

– Mirante de São Thomé das Letras;

– Cruzeiro (nascer do sol);

– Igreja Matriz – Primeira Igreja de São Thomé das Letras

– Pedra Furada;

– Toca do Chico Taquara;

– Ladeira do Amendoim;

– Gruta do Sobradinho;

– Gruta do Labirinto;

– Gruta São Thomé;

– Pirâmide (pôr do sol mais famoso de São Thomé);

– Feirinha de artesanatos;

– Tirolesa;

– Casa da Bruxa (uma lojinha com coisas de bruxa em cima da Gruta São Thomé);

– Gruta do Carimbado (interditada pra visitação);

– Bar do 2 (o mais famoso de STL) – tem música ao vivo e é o último bar antes de subir pra Pirâmide;

Onde se hospedar em São Thomé das Letras

Nós ficamos hospedados na pousada Filhos da Terra que é super aconchegante e fica pertinho da Igreja Matriz há poucos minutos do centrinho.

O café da manhã é ótimo e a dona da pousada é super acolhedora e receptiva. Curti bastante a localização e o serviço deles.

As pousadinhas de São Thomé de certa forma ficam muito perto umas das outras e as pessoas de lá me pareceram muito receptivas e atenciosas de um modo geral!

Ahh! São Thomé também tem vários campings, dá uma olhada no Booking.com pra ver o que melhor te agrada.

 

Como chegar em São Thomé das Letras

De carro, carona (aplicativo Bla Bla Car), excursão ou de ônibus mesmo.

Uma boa opção pra quem não tem carro é pegar um busão até Três Corações, Caxambu ou São Lourenço. A viagem é longa, mas vale a pena. Tente ir pra São Thomé das Letras à noite pra ir dormindo no ônibus e economizar uma estadia da pousada. As passagens custam entre R$ 95,00 e R$ 120,00.

Eu fui de excursão (saindo de São Paulo) e não poderia ter aproveitado melhor a minha viagem. Como eu disse lá no começo desse post, eu fui pra São Thomé das Letras com a agência de turismo dos meus seguidores, a Brother’s Trips.

Eles montam excursões pra roteiros bate e volta pelo Brasil e São Thomé é um dos destinos mais procurados.

Eu geralmente fico meio nervosa em excursão por ser muito corrido ou muito cheio, mas preciso confessar que fiquei apaixonada pelo estilo de excursão que a Brother’s organiza.

Me lembrou meu primeiro período da faculdade, onde todos são novos, não se conhecem, mas querem virar amigos e ter os melhores momentos da vida juntos. Foi exatamente isso que eu senti e exatamente isso que eu vivi por três dias no feriadão de 15 de novembro de 2018.

Dá pra conhecer São Thomé das Letras por conta própria?

Só se você alugar um carro ou pegar carona! O acesso às cachoeiras é complicado pra quem não tem carro porque o transporte público não funciona bem pra esses pontos turísticos.

Por isso, se você não quiser alugar um carro, recomendo você contratar uma agência pra te levar pros passeios (tem várias agências pela cidade e também passeios sendo oferecidos em carros 4X4 no centrinho).

Você também pode se aventurar nas caronas (os turistas geralmente se programam pra fazer um roteirinho padrão que inclui basicamente a maioria das coisas que eu citei acima).

Se você for pegar carona, tenha sempre muito cuidado e fique sempre alerta. Siga seu instinto e se achar que tem alguma coisa estranha, muda de ideia, de roteiro ou recusa a carona.

Eu saí de São Paulo e fui pra São Thomé com a @brotherstrips (como eu mencionei acima a Débora e o Tony são seguidores fiéis do Vida Mochileira) e recomendo demais – de olhos fechados e sorrindo!

Como foi a minha experiência em São Thomé das Letras

Nossa viagem estava marcada pro feriadão do dia 15 de novembro. Erámos 42 pessoas num ônibus fretado com cheirinho de novo. Dessas 42 pessoas, 11 se conheciam e estavam celebrando a visita pelo Brasil de dois amigos brasileiros que moravam na Austrália, algumas outras pessoas eram amigas, outras eram casais e algumas poucas pessoas tinham embarcado sozinhas nessa aventura.

Eu era uma dessas pessoas que tinha embarcado sozinha, tirando a Débora e o Tony (meus seguidores) eu não conhecia ninguém, mas também não estava muito preocupada com isso, sabia que seria questão de pouco tempo pra aquelas 42 pessoas aleatórias virarem um grupão unido que deu gosto de fazer parte.

Ahh! Esqueci de mencionar que antes de começar a viagem a Débora e o Tony criaram um grupo com alguns dias de antecedência e colocaram todas as pessoas da viagem pra já ir rolando uma apresentação e uma interação, além é claro da galera se animar junta quanto mais perto ia chegando o dia da viagem.

A excursão da Brother’s Trips por enquanto só sai de São Paulo. Eles têm duas paradas pro embarque da galera: Santo Amaro (21:30) ou Barra Funda (22:30).

Quando todos se acomodam em suas poltronas, a Débora e o Tony fazem as boas vindas da galera e distribuem ou lanchinho (club social, barrinha Bauduco e suquinho) ou um saquinho com balinhas pra adoçar a nossa viagem.

Além disso, eles já distribuem o cartão fidelidade da empresa onde a cada X números de viagens você ganha brindes (camisa, brinde supresa, viagem de graça, etc).

O ônibus é da empresa MIMO e estava muito limpo e bem cuidado, tinha travesseiro, cobertor e água gelada pra gente. O ônibus tinha banheiro e o motorista dirigia muito bem (Graças a Deus hahahahaha – Um beijo Seu Nelson!!!!).

A galera que já se conhecia (os 11 amigos) tava mega animada, dançando e cantando até às 1:00 da manhã. Quando o resto da galera que não se conhecia (eu, no caso) tava se preparando pra dormir, o Rafa (o menino que mora na Austrália) pegou um autofalante e disse que a mãe dele mandou sanduíches pra todo mundo! Hahahahahaha Caraaaa!

O sanduíche tava maravilhoso e fortaleceu aquelas horinhas até a nossa primeira e única parada antes de chegar em São Thomé.

Saímos às 23:00 de São Paulo e partimos pra São Thomé muito animados. Às 1:25 fizemos uma parada numa lanchonete na estrada por 30 minutos e depois continuamos a viagem até chegarmos em São Thomé às 4:40 da madrugada.

DIA 1

Saímos do ônibus e tava muito frio, por isso, tratamos logo de ir rapidinho pra nossa pousada onde na porta a Débora vai dizendo quem tá no quarto com quem e quem tá em quarto privado (no caso, o quarto privado é pras pessoas que pagam essa opção).

A maioria das pessoas se acomodou nos quartos e foi logo dormir algumas poucas horinhas já que às 8:00 a gente tinha que acordar pra tomar café da manhã e já partir pros passeios.

Outras pessoas aproveitaram que já tava quase na hora do nascer do sol e ficaram acordadas até às 6:30 pra ver o espetáculo que o céu fica quando o sol começa a subir.

Eu no caso, tava morrendo de frio e sono e decidi carregar as energias pra aproveitar melhor o passeio do dia todo e me planejei pra ver o nascer do sol no último dia.

Saímos às 9:20 da pousada e fomo pra um ônibus normal desses municipais, sabe? Não usamos o mesmo ônibus que viemos de São Paulo. Nossa primeira parada foi a Ladeira do Amendoim que é um local muito doido que tem uma força magnética “sobrenatural” que faz com que os carros andem sozinhos numa subida. Sim!!!

O motorista desligou o ônibus e ele subiu sozinho uma pequena subida. Além disso, você consegue sentir essa força correndo de costas num sentido e quando você volta de costas no outro sentido, sua velocidade aumenta do nada e você começa a correr desembestada. Ficamos 15/20 minutinhos e partimos pro Poço dos Duendes e Vale das Borboletas.

O Vale das Borboletas é lindo e fica pertinho do Poço dos Duendes (dá pra ir andando). Aproveitamos nessas duas cachoeiras 1h30minutos e já seguimos pra Cachoeira da Lua que foi pura diversão pra mim. Lá tem uma corda que você pode se pendurar e ir em direção ao poço da cachoeira e se jogar.

Me deu um pouquinho de medo, mas depois que fui a primeira vez e deu certo, acabei indo mais umas três ou quatro vezes seguidas. Eu tava parecendo pinto no lixo de tão animada.

Chegamos 13:30 pra almoçar no Restaurante e Bar Cachoeira Eubiose (comida mineira). O almoço não está incluído no pacote da excursão. O valor da refeição é R$ 25,00 sem balança e você pode comer à vontade e ainda ganha um copinho de cachacinha e um arroz doce de sobremesa.

Ali mesmo no restaurante tem uma vendinha com vários produtos caseiros de Minas (Doce de Leite, Cachaça e várias outras coisas). Vale a pena você parar ali e comprar umas cachaças com sabores porque são mais baratas que na cidade. Custa R$ 10,00 1L de cachaça.

Logo depois do almoço, a gente foi andando até a Cachoeira Eubiose que custa R$ 5,00 mas esse valor já tá incluso no pacote então quando você sai do restaurante ganha um ticket e entra na cachoeira de graça.

Chegamos na pousada por volta das 16:30. Basicamente foi o tempo de colocar a GoPro e o celular pra carregarem, tomar banho, atualizar o Instagram e já encontrar a galera na área comum da pousada pra gente seguir juntos pra Pirâmide (o lugar mais famoso de São Thomé pra ver o pôr do sol).

Chegamos na Pirâmide 18:15 (lá tem muitos artistas de rua e artesãos) e já fomos nos acomodando pra pegar um lugar e ver o pôr do sol sentados! Como tava com muita nuvem o céu não tava muito limpo e com isso o pôr do sol não foi tão bonito quanto a gente tava esperando. Foi lindo! Mas, não do jeito que a gente imaginava hahahahahahaha.

Ahh! No caminho pra Pirâmide tem uma parte que você pode derrubar umas mini pirâmides feitas de pedra. A ideia é que antes de derrubar uma pirâmide você deseje coisas positivas pra pessoa que construiu (que você provavelmente não saberá quem foi) e monte uma nova pirâmide no local com as pedras ao redor (não precisa usar as mesmas pedras que você derrubou).

Enquanto tiver construindo a sua mini pirâmide faça um pedido. Depois vá embora e deixe boas energias por lá e deseje bem forte que alguém derrube a sua pirâmide pois assim seu desejo se realizará.

Depois do pôr do sol seguimos andando até a pousada pra quer quisesse se trocar ou pegar um casaco (tava bem frio) pra partir pra cervejada (que está inclusa no pacote).

Nossa cervejada foi no mesmo restaurante do almoço e quando chegamos lá tinham 120 garrafas de cerveja liberada, Oito garrafas de 1L de cachaças com sabores diferentes e uma caneca de acrílico com a logo da Brother’s Trips.

A cervejada começou às 20:10 e a gente tinha até uma bandinha particular com show ao vivo pra gente. A banda tocou desde rock internacional até reggae, pagode, sertanejo e rock nacional.

A galera se divertiu muito e a noite foi simplesmente incrível. Saímos às 00:30 do restaurante e chegamos na pousada quase 1:00 da manhã, quando metade das pessoas foram dormir e a outra metade foi pro Bar do 2 curtir mais um pouco.

DIA 2

O café da manhã foi servido novamente às 8:00 e como tinha muita gente de ressaca acabamos atrasando levemente e saindo às 9:50 pra Cachoeira Paraíso e Véu de Noiva. O tempo no segundo dia tava meio estranho, não sabia se fazia sol ou chuva e a gente ficou com um pouco de frio, mas nada que impedisse a galera de curtir as cachoeiras.

Chegamos às 12:25 na Cachoeira do Flávio. Eu achei a cachoeira linda demais e curti muito a queda d’água. Às 13:30 chegamos no mesmo restaurante do dia anterior e comemos mais uma vez uma comida mineira deliciosa no mesmo esquema coma a vontade.

Chegamos às 15:00 na pousada e tivemos a tarde e a noite livres. Algumas pessoas usaram esse tempo pra fazer compras na cidade (tem muito artesanato e coisas caseiras), outras usaram pra dormir e outras usaram pra explorar os mirantes e grutas da região próxima ao centro (Gruta São Thomé, Mirante de São Thomé, Pedra da Bruxa, Casa da Bruxa, etc).

Quando foi mais ou menos 18:30 nos encaminhamos de novo pra Pirâmide pra ver o pôr do sol e dessa vez ficamos completamente em êxtase. Eu nunca vi um céu tão lindo e um pôr do sol tão mágico em toda minha vida.

Ver todas aquelas pessoas ali reunidas pra ver o sol se pondo, algumas tirando fotos, outras filmando, outras contemplando, outras cantando e tocando violão, encheu meu coração de alegria e ele transbordou quando eu vi todo mundo ali juntinho aplaudindo o sol indo embora e se abraçando numa energia surreal. Foi simplesmente incrível.

Depois descemos e fomos comer alguma coisa pela cidade (tem vários barzinhos e restaurantes) e ficamos conversando por horas até que decidimos voltar na Pirâmide já bem escuro.

A ideia era ir pra lá e ficar admirando o céu cheio de estrelas, mas por causa da lua cheia não deu pra ver tão bem o céu estrelado, mas mesmo assim tinha muito mais estrelas do que eu poderia imaginar. Ficamos por um tempo ali admirando o céu e depois fomos pro Bar do 2 porque ia ter um show ao vivo de MPB.

DIA 3

Eu e umas 10 pessoas decidimos ver o nascer do sol lá do Cruzeiro (uma cruz enorme que você vê quando tá indo em direção à Pirâmide). Acordamos às 5:00 e nos agasalhamos muito porque tava muito frio.

Andamos super animados criando uma super expectativa no nascer do sol já que na noite anterior a gente tinha visto o pôr do sol mais perfeito da vida. Aí foi dando a hora do sol nascer e nada dele aparecer. Percebemos que não teria nascer do sol por causa das milhares de nuvens que estavam na frente impedindo o sol de raiar do jeito que a gente tava imaginando.

Enfim, deu 7:40 e nada do sol nascer e aí resolvemos voltar pra pousada pra tomar café da manhã às 8:00. Tomamos café e tivemos a manhã livre pra fazer o que quiser. Alguns fizeram compras, outros ficaram dormindo e outros foram conhecer o mirante e a Pedra da Bruxa.

Quando foi mais ou menos 12:30 a galera começou a almoçar pelos restaurantes da cidade e logo todos voltaram pra pousada pra arrumar as malas pra partir de volta pra São Paulo. Saímos às 14:30 de São Thomé e chegamos em São Paulo – Barra Funda às 20:40.

Eu simplesmente amei a trip com a Brother’s, eu amei a energia, amei as pessoas, o roteiro não foi corrido e deu pra gente muita liberdade pra explorar São Thomé como a gente quisesse.

Me diverti horrores, ri muito, zoei muito, dancei muito, cantei muito, fiz amigos maravilhosos, compartilhei histórias e celebrei muitos momentos felizes.

A Brother’s é realmente diferenciada pela paixão e dedicação que os dois (Débora e Tony) tem pelas trips que organizam. Eu só tenho a agradecer por eles terem cruzado meu caminho (ou diria meu Instagram) e terem me convidado pra essa trip que sem dúvida alguma me marcou de um jeito muito especial!

Quando eu olho pra esses três dias que vivi em São Thomé eu não penso só nas cachoeiras, grutas ou mirantes que conheci, mas sim nas pessoas que tive a oportunidade de conhecer e de me conectar. Éramos 42 pessoas aleatórias e no final de três dias formamos uma família com muitas lembranças e risadas boas.

Se você curte uma energia boa, fazer novos amigos de forma descontraída e espontânea e viajar com quem conhece São Thomé, manda um Whatsapp pra eles e diz que também é seguidor do Vida Mochileira que eles te dão 5% de desconto (usa o cupom Vidamochileira5)!

Débora: (11) 99445-9263 | Tony: (11) 94974-5868

Eu não conheço uma pessoa que tenha ido à São Thomé das Letras e não tenha se apaixonado. Eu realmente acredito que a energia em São Thomé é diferente e que existem muitas coisas que não vemos ou entendemos, mas que tão por aí pertinho da gente. Em São Thomé, essas coisas vêm pra trazer paz e tranquilidade pro nosso espírito.

Espero que esse post tenha sido útil e se você conhece alguma pessoa que precisa ler isso, compartilha o link com ela!

Ahhh! Me segue lá no Instagram (@vidamochileira) pra ver as minhas aventuras em tempo real.

Beijos

Mary⠀ ⠀

 

Gostou das dicas do blog?
Aproveite os descontos abaixo para economizar nas suas viagens!

Toda vez que você usa um link do blog, o Vida Mochileira ganha uma pequena comissão e você NÃO paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso nas minhas viagens e recomendo:
– Voluntariado em viagens: Worldpackers (U$10 OFF)
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb (até R$179 OFF)
– Passeios no Atacama, Salar de Uyuni e Santiago: @fuigosteitrips (5% OFF)
– Seguro Viagem: Seguros Promo (5% OFF), SafetyWing ($37 dólares por 4 semanas)

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar as minhas aventuras!

Maryana Teles
Carioca, publicitária, mergulhadora e produtora de conteúdo, eu também sou apaixonada por viagens de estilo low cost. Eu amo viajar sozinha e fazer voluntariados. Eu uso as minhas viagens como uma ferramenta de autoconhecimento e aprendizado e quero compartilhar esse processo com você. Bora?!