Dicas de como aprender inglês mais rápido

7
2708

 

Esse é um tema muito importante não só pra mim como pra muitas pessoas que veem o aprendizado de uma nova língua como um bicho de sete cabeças. É bem verdade que há 4 anos atrás (2014) eu achava que seria impossível eu conseguir ter uma conversa de mais de 10 minutos em inglês e eu jurava que nunca seria capaz de falar em inglês na frente de um grupo de mais de 20 pessoas. Eu ria de nervoso só de pensar que teria que falar alguma coisa em inglês na frente de mais de 2 pessoas.

Fazer conversas profundas, cheias de sentimentos e pensamentos profundos estava fora de cogitação e namorar um gringo…. hahahahaha jamais tinha passado pela minha cabeça antes.

No entanto, todo esse medo de falar inglês vinha junto com um forte sentimento de frustração por não conseguir de jeito nenhum perder o medo de falar em público em inglês e com isso eu acabava me bloqueando achando que eu não era capaz de aprender, quando na verdade, eu conseguia aprender (todos nós conseguimos), mas eu tinha medo de errar na frente das pessoas com medo dos julgamentos.

No início desse post você vai encontrar minha trajetória de luta pra aprender inglês (talvez você se identifique) e no final do post vai encontrar – em forma de tópicos – várias dicas pra aprender inglês mais rápido.

MINHA HISTÓRIA COM O INGLÊS

Só pra você ter uma pequena noção da minha jornada com o inglês, eu sempre estudei em escolas onde ensinavam duas línguas: inglês e espanhol, então desde os meus 12 anos eu tive o privilégio de ter contato com o básico do inglês (gramática e frases decoradas), quando fiz 14 anos meu pai achou que seria um ótimo investimento me matricular num cursinho de inglês (e eu também achava até eu mudar de nível e começar a não me sentir bem falando em frente à turma). Meu pai pagou o curso CNA por 4 anos até eu me formar com honra ao mérito e ganhar meu diploma de inglês fluente, sendo eu que não conseguia formar uma frase sozinha que não fosse a frase decorada do livro e eu não conseguia manter mais de 3 minutos de conversa sem suar e esquecer metade das coisas que eu queria falar.

Quando ganhei meu diploma do CNA me senti ainda mais frustrada de ter um diploma e não falar nada (eu sempre fui boa com a gramática e a escrita em inglês, mas na conversação sempre fui uma negação). Depois de ficar um tempo sentindo um vazio e uma necessidade enorme de aprender inglês pra satisfazer um desejo meu de ultrapassar minha frustração de ter falhado por não ter me empenhado mais, decidi que pagaria com meu dinheiro um curso de inglês para adultos no Wise Up. Fiz 1 ano e meio de curso quando tinha 20 anos e peguei um pouco mais de confiança, mas ainda sim nada de conseguir manter uma conversa natural com minhas próprias palavras e pensamentos por mais de 5 minutos. Tudo acabava soando meio que falso, tipo conversa decorada de livro, sabe?

Fiz meu primeiro intercâmbio pros Estados Unidos e fui fazer Work Experience na Universal Studios. Como meu inglês era uma merda e eu queria muito fazer o intercâmbio, me inscrevi pra trabalhar na cozinha, pois pediam nível de inglês intermediário e nas vagas de merchandising, vendas e front of house as pessoas precisavam ter muita habilidade com o inglês pois lidavam diretamente com o público.

Na minha entrevista em inglês eu tinha uma resposta decorada pra cada tipo de pergunta que a entrevistadora pudesse me perguntar. Eu juro! Eu criei um questionário com 20 possíveis perguntas que eles fariam (baseadas em entrevistas de candidatos dos programas anteriores) e criei uma resposta em inglês, corrigi com minha antiga professora, decorei tudo e no dia da entrevista eu basicamente vomitei as respostas, mas com um sorriso no rosto. Tenho certeza absoluta que o que cativou a entrevistadora não foram as minhas respostas robotizadas e sim meu sorriso e minha vontade de fazer parte daquele sonho de viver o intercâmbio, então acho que ela viu algum potencial em mim hahahahahaha.

Fui pro intercâmbio e fiquei 3 meses trabalhando na cozinha de um dos restaurantes da Universal Studios em Orlando na Flórida. Eu viajei com mais 47 brasileiros que faziam parte desse mesmo programa de intercâmbio e todos nós morávamos no mesmo condomínio e fazíamos praticamente tudo juntos, ou seja, sempre estávamos falando português e quando a gente ia pra algum lugar ou festa onde tinha que falar inglês, todos falavam tão bem que eu nem me atrevia a falar algo porque ficava morrendo de vergonha de errar na frente daquelas pessoas tão fluentes.

Até porquê um dos povos que mais julga o sotaque ou a fluência das outras pessoas em inglês é o brasileiro. Juro! A maioria dos brasileiros tá sempre rindo dos erros de fluência dos coleguinhas brasileiros (gringo pode errar que é fofo, mas se for compatriota já rola aquele julgamento básico), se você viajar e encontrar um gringo de qualquer parte do mundo e cometer os mesmos erros ninguém vai rir ou te julgar, todos tem a noção de que você não é oriundo de um país de língua inglesa, então consequentemente está aprendendo e pros gringos só o fato de você está se esforçando pra aprender outra língua já é incrível.

Enfim, depois de aprender mais espanhol do que inglês na cozinha da Universal Studios (metade dos chefes de cozinha eram da América Latina hahahahaha) quando voltei dos Estados Unidos já emendei em outro intercâmbio e fui fazer 10 meses de intercâmbio universitário na Ilha da Madeira em Portugal pelo Ciências Sem Fronteiras. Nas minhas férias da faculdade eu decidi fazer um intercâmbio sozinha por 33 dias na Europa e fui com meu inglês basicão mesmo na cara e na coragem. Óbvio, que como sempre eu já tinha minhas frases decoradas e uma pequena noção de algumas palavras soltas.

Mas, foi exatamente durante meu primeiro mochilão sozinha que senti imensamente a vontade de aprender inglês de uma vez por todas pra conseguir fazer o que eu mais amo: falar! Eu queria saber inglês pra poder me comunicar com as pessoas na rua, nas atrações turísticas, nos restaurantes e, é claro, nos hostels. Eu queria contar pras pessoas que eu conhecia nas viagens quem eu era, qual era minha história, quais eram os meus planos, o que eu tinha feito naquele dia, e principalmente, entender o que elas falavam comigo, porque na maioria das vezes, as pessoas falavam comigo, mas eu não entendia nada e só balançava a cabeça e ria pra fingir que tava entendendo tudo e não deixar a pessoa sem graça (óbvio que eu sempre torcia pra não ser uma pergunta, né?).

Depois desse meu mochilão eu fiquei ainda mais obcecada em aprender de uma vez por todas o inglês. Comecei a perder o medo de errar. Eu queria tanto falar que errar já não era mais o problema e comecei a tentar me comunicar toda vez que eu encontrava com um gringo. Quando voltei pro Brasil em 2013, tentei estudar inglês sozinha por aplicativos, buscava sites e fóruns de estrangeiros pra falar inglês ou apenas mandar mensagens.

Em 2014, comecei um curso de inglês particular por 2 horas uma vez por semana e meu desempenho melhorou muito apesar de ainda não me sentir nenhum pouco confiante pra conversar por mais de 10 minutos ou sobre temas mais profundos que não fossem os que eu já tinha alguma coisa decorada ou pelo menos alguma familiaridade. Fiz 6 meses de inglês particular até que eu decidi que iria pra Inglaterra estudar inglês diretamente da fonte: com professores ingleses numa cidade inglesa ouvindo e vivendo o inglês 24 horas por dia até eu começar a sonhar em inglês.

 

COMO EU APRENDI A FALAR INGLÊS DE VERDADE

Como eu disse antes, a gramática do inglês eu já sabia. O meu problema era falar. Não conseguia de jeito nenhum aplicar tudo que eu tinha aprendido e um dos maiores obstáculos pro meu desenvolvimento era o MEDO DE ERRAR.

Eu tinha tanto medo de errar e de ser julgada pelos meus erros que preferia nem tentar pra não dar chance de errar e aí consequentemente ser julgada. Então, eu basicamente me privava de aprender pelo simples fato de que não queria que ninguém me achasse incapaz.

No entanto, a única pessoa que sofria com as consequências desse pensamento era eu mesma. Eu era a pessoa que não aprendia. Eu era a pessoa que não evoluía. Os outros não tavam nem aí. Quando eu cometia um erro, rolavam umas risadas e os outros seguiam com a vida deles, mas eu empacava naquele erro e não progredia. Eu não deixava fluir. Eu ficava me punindo e me chamando de burra toda vez que errava e é óbvio que eu mesma desenvolvi uma barreira no meu próprio aprendizado.

Quando vim para a Inglaterra eu vim na cara e na coragem, sozinha, com dinheiro contado pra 3 meses, mas com passagem comprada pra 10 meses. Ou seja, eu cheguei na Inglaterra em Maio de 2015 e minha passagem de volta pro Brasil era em Março de 2016, mas o dinheiro que eu tinha só conseguia me manter por 3 meses na Inglaterra. Então, ou eu arrumava um emprego e trabalhava ou teria que dar adeus ao intercâmbio 7 meses antes do que eu tinha planejado.

Então, a necessidade de correr atrás e fazer dar certo me fez superar o medo de errar. Eu precisava aprender inglês de uma vez por todas e seria agora ou nunca! Consegui meu primeiro emprego como babá de uma família árabe. Eu viajava com a família pela Inglaterra enquanto eles passavam as férias por aqui. A criança que eu cuidava tinha 2 anos e falava inglês melhor do que eu. Mas, minha força de vontade falava mais alto. Fiz um caderninho de vocabulário e comecei a repetir todos os dias frases e as palavras que eu aprendia.

Pedia pra mãe da criança que eu cuidava me ajudar com novas palavras. Ela era muito paciente e me ajudou bastante. Depois de 3 semanas como babá, eu consegui um emprego como bartender onde trabalhei 8 meses e aprendi muito! No bolso do meu avental sempre tinha um caderninho e uma caneta pra anotar as palavras que eu aprendia com os clientes. Como todos sabiam que eu estava aprendendo, todo mundo dava a maior força e sempre vinham com palavras novas ou gírias pra eu usar. E toda vez que eu falava alguma coisa e errava, eles riam em tom de brincadeira e me ensinavam a forma certa.

De repente, errar não parecia tão ruim assim e começou a ser um processo prazeroso onde errar era a minha parte favorita, porque era errando que eu conseguia não só arrancar boas risadas das pessoas como também conseguia aprender mais, porque uma vez que eu errava, as pessoas me corrigiam e eu acabava aprendendo por osmose. Hahahahahhaa

Junto com o trabalho no bar, eu também fazia aulas de inglês 3 vezes por semana (3 horas por dia) o que me ajudou muito na questão da confiança e também da gramática. Mas, definitivamente a experiência que mais me ajudou a melhorar meu inglês e me sentir confiante pra falar em frente de mais de 20 pessoas e fazer piadas em inglês foi ser garçonete. Eu aprendi muita coisa sendo garçonete, lidando com público e com reclamações todos os dias. Aprendi a ter jogo de cintura, aprendi a perder a vergonha e falar o que eu tô sentindo, aprendi que mais vale você errar e tentar do que nem tentar, aprendi que seu carisma junto com sua vontade de aprender são armas poderosas, aprendi que fazer uma piada em inglês com sotaque brasileiro é muito mais engraçado que a mesma piada sendo contada por um inglês.

Aprendi que quando você acredita que é capaz, você realmente faz acontecer. E aprendi que quando você tem confiança em você mesmo, não importa se você tá falando com 1 ou 30 pessoas, você consegue cativar as pessoas pelo seu esforço e dedicação. Aprendi também que quando você é dedicado e é bom no que faz, 30 pessoas inglesas param o que estão fazendo pra prestar atenção em você e na sua brilhante aula sobre o cardápio do restaurante e sobre que bebidas e comidas você recomenda, sem contar nas piadas que você conta pra deixar a noite delas mais feliz.

Foi assim, que eu aprendi a falar inglês e foi inclusive trabalhando como garçonete que eu conheci meu namorado tcheco com quem estou junto há 3 anos e a única língua que falamos um com outro é o inglês (com exceção das vezes que ele tenta falar português hahahahaahahah).

No meio dessa rotina, eu incluí séries em inglês com legendas em inglês. Não entendia merda nenhuma, mas me forçava a entender o contexto. Parava a série pra ver o significado das palavras no Google Tradutor, anotava o novo vocabulário no meu caderninho, tentava usar as palavras que eu aprendia de alguma forma durante o meu dia.

Comecei assistindo todos os episódios de Friends, depois assisti Gossip Girl, depois me viciei em Pretty Little Liars, depois assisti How I Met Your Mother, depois assisti Reign, depois How To Get Away With a Murderer, depois The Walking Dead e hoje não consigo mais ver filme em inglês com legenda em português porque fico confusa! Prefiro assistir filme em inglês com legenda em inglês, mas inda sim eu gosto de ter legenda. Quando eu vou ao cinema aqui na Inglaterra, dependendo do estilo de filme eu me perco às vezes, principalmente se é filme de ação e as falas e as cenas são muito rápidas.

Ahhh! Eu também ouvia muita música em inglês (desde músicas infantis até Coldplay, Bruno Mars, Robbie Williams, One Direction). E por incrível que pareça, no início do meu intercâmbio na Inglaterra, parte da minhas noites eu ia dormir vendo Peppa Pig em inglês porque me ajudava com vocabulário básico e era super didático. Hahahahahahaha

Minha maior conquista com o inglês desde então foi conseguir trabalhar pra adidas durante as Olimpíada do Rio 2016, onde eu era host dos CEO’s das adidas do mundo inteiro. Meu trabalho era acompanhar os gringos nos jogos, explicar um pouco da cultura brasileira, explicar sobre pontos turísticos cariocas e pegar e levar os gringos no aeroporto. Sou absolutamente grata a mim mesmo por não ter desistido de aprender só porque parecia difícil e teve vezes que cheguei a achar que seria impossível aprender e que inglês definitivamente não era pra mim. Mas, depois de muita dedicação e empenho cá estou eu morando há 3 anos na Inglaterra, morando com um tcheco e trabalhando como garçonete (fazendo muitas gorjetas com o meu carisma hahahahaha).

 

DICAS DE COMO APRENDER INGLÊS MAIS RÁPIDO

Entenda que não é uma estratégia que te fará aprender inglês mais rápido e sim o conjunto de ações e atitudes que você toma diariamente que te fará se desenvolver mais rápido. Não adianta fazer uma das dicas abaixo uma vez ou outra e não manter a consistência nos estudos. Aprender outra língua requer prática e dedicação e só você é o responsável pelo seu aprendizado, ninguém pode aprender por você!

Let’s do it!!!!!

– Post it no espelho e nos armários

Essa é a dica do Mark (meu namorado tcheco). Mark já fala inglês fluente desde 2008 quando foi morar na Irlanda sem falar uma palavra de inglês e aprendeu tudo lá. Tipo tudo mesmo. Mark não sabia nem como falava faca, garfo, prato ou maçã em inglês, por exemplo.

Ele me contou que uma estratégia que funcionou demais com ele foi colar post-it com palavras e frases (e os significados) que ele aprendia nos lugares que mais encontrava as coisas. Então, ele colava post-it pelos armários da cozinha com palavras e frases ligadas ao vocabulário de cozinha. No banheiro ele colava post-it em volta do espelho com palavras e frases de vocabulário de banheiro e assim por diante! Sala, quarto, escritório, etc.

Uma coisa muito importante que ele fazia era que além de colar post-it pela casa toda, ele lia todos os post-its todos os dias. ELE LIA TUDO TODOS OS DIAS! Além disso, no quarto dele, ele tinha uma parede com vários post-its de outras palavras e frases que ele aprendeu e que seriam importantes por trabalho.

 

– Tenha um caderninho de vocabulário sempre com você

Como eu disse antes, quando comecei a aprender inglês, criei meu próprio caderninho de vocabulário e toda vez que eu aprendia uma palavra nova eu anotava no caderninho. Eu carregava esse caderninho pra cima e pra baixo onde quer que eu fosse e sempre lia ele todo no ônibus no caminho pro trabalho. Quando eu cheguei na Inglaterra eu morava num bairro afastado do meu trabalho e meu ônibus demorava 30 minutos pra chegar no meu destino. Então, eu usava esses 30 minutos pra ler meu caderninho todos os dias e reforçar as palavras que eu tinha aprendido.

 

– Filmes em inglês com legendas em inglês

Eu até poderia dizer pra você começar hoje a assistir filmes em inglês com legendas em inglês e você ficaria completamente perdido sem entender absolutamente nada se seu inglês for básico. Mas, uma dica legal é assistir o filme em português (se você conseguir colocar legenda em inglês ótimo) e depois de um dia ou uma semana você assistir o mesmo filme em inglês com legenda em inglês.

Essa estratégia é ótima pra filmes que você ama e que foi impactada(o) de um jeito especial, porque dessa forma você consegue manter a essência do filme mesmo que esteja vendo em outra língua. Então, você já sabe do que aquela cena se trata e vai começar a aprender algumas palavras em inglês de forma espontânea (já anota no seu caderninho de vocabulário).

É importante que você assista a versão em inglês com no máximo 1 ou 2 semanas de intervalo pra não esquecer o filme e aí perder o propósito de assistir ele de novo em outra língua.

 

– Livros infantis em inglês

Eu sei que parece mongol te pedir pra ler a Bela e a Fera em inglês ou os Três Porquinhos em inglês, mas acredite, isso funciona muito! Quando eu fiz os meus 6 meses de inglês particular o meu professor me dava um livro infantil por semana pra ler. Como a gente já tem essas histórias cravadas no coração, quando a gente lê em inglês por mais que a gente não entenda o significado total das palavras a gente meio que vai ligando as palavras às imagens e ao contexto da história e aí vai criando uma assimilação de significados que são muito importantes pro seu desenvolvimento na língua inglesa. E a cada palavra nova, você já anota no seu caderno de vocabulário.

 

– Ouvir rádio e/ou podcasts

Eu acredito que pra você aprender é preciso ouvir. Foi assim que aprendemos a falar português, ouvindo nossos pais e familiares falando e falando e falando até que a gente começou a falar também. Acontece isso também nas outras línguas! Quanto mais você ouve, mas você assimila e ganha mais confiança na sua conversação. Mark por exemplo tem aprendido português só ouvindo as minhas conversas com minha família e amigos. Ele presta atenção e depois me pergunta o significado de algumas palavras.

Procure podcasts que tenham a ver com temas que você goste: business, moda, natureza, fitness, culinária, autoconhecimento, piadas… Sei lá! Qualquer coisa que te agrade é bom escutar o máximo possível pra começar a se familiarizar com os diferentes sotaques e gírias.

Eu, por exemplo, corro todo dia ouvindo podcasts em inglês sobre desenvolvimento pessoal. Corro por 20 minutos e durante esses 20 minutos eu tô ouvindo alguém falar em inglês, assimilando novas palavras e também conhecimento.

 

– Aplicativos pra aprender inglês

Hoje em dia o que não falta são aplicativos pra aprender o básico do inglês ou de qualquer outra língua. Baixe aplicativos no seu celular e crie uma rotina de usá-los pelo menos 4 vezes por semana se sua vida for corrida, mas o ideal é dedicar pelo menos 5 minutinhos diários a uma lição do aplicativo.

Os aplicativos mais conhecidos são:

. Duolingo

. Lingua.ly

. Unlock Your Brain

. Phrasalstein Phone

. The Phrasal Verbs Machine

. English Monstruo

. Memrise

. English Grammar in Use

. Busuu

. Hello English

. Lingualeo

. Upmind

. Learnenglish elementar podcasts

. Rosetta Stone

. Supiki

. Voxy

. Beelinguapp

. Babbel

 

– Assista canais no Youtube com frequência

Uma das minhas coisas preferidas que eu fazia no intervalo de almoço do trabalho era assistir vídeos de pessoas ensinando inglês no Youtube. Os vídeos geralmente são curtinhos (de 5 a 10 minutos) e as pessoas geralmente tem uma proposta e didática diferentes das dos cursos de inglês tradicionais. Então, recomendo que você comece a criar essa rotina diária de dedicar, pelo menos, 10 minutos do seu dia pra aprender alguma coisa nova em inglês.

Alguns canais legais:

. Patricia Against 

. Cintya Sabino 

. Small Advantages 

. Tia do Inglês 

. English in Brazil 

. Inglês Winner 

. Cintia Disse 

. EngVid 

. Rachel’s English 

. Mmm English 

. Inglês de Bolso 

 

– Ouça músicas em inglês e leia a letra

Outra coisa que me ajudou muito no meu aprendizado da língua inglesa foi começar a ouvir música prestando muita atenção na letra. Eu imprimia as letras das músicas que mais gostava e acompanhava a música lendo a letra. E como já era de se esperar, eu descobri que cantava errado 90% das músicas. Hahahahahaa

Uma coisa muito legal é circular a palavra que você não conhece na música e procurar no dicionário pra ver a tradução. Lembre de colocar essa palavra do seu caderninho de vocabulário.

 

– Faça parte de grupos internacionais no Facebook

Comece a se engajar em grupos de Facebook que tenham temas que você goste. Se for um grupo de fãs do One Direction, responda posts em inglês, comente nas fotos em inglês, faça perguntas em inglês ou deixe sua opinião em inglês. A chance de você fazer amigos numa comunidade que todos têm um ponto em comum é muito grande! E aí dessa amizade podem surgir mais e mais conversas em inglês e aí você vai aprendendo cada vez mais!

 

– Séries em inglês

Sugiro você escolher uma série que tenha episódios curtos (25 minutos) pra você não se cansar e desistir depois de 3 dias. A ideia é que você crie uma rotina e assista pelo menos um episódio da série por dia, todos os dias.

Eu criei esse hábito há 3 anos atrás e hoje não saio de casa sem assistir pelo menos 1 episódio em inglês de alguma série. Isso faz meu cérebro ligar em inglês e também me faz aprender palavras novas que eu posso tentar usar durante meu dia. Eu gosto de assistir séries de comédia antes de sair de casa, porque gosto de dar boas risadas pra começar o dia. Já as séries mais racionais eu deixo pra assistir à tarde ou à noite nos dias de folga.

Eu e Mark assistimos séries juntos. Eu tenho as minhas séries que assisto sozinha e nós também temos as séries do casal. Geralmente assistimos as séries do casal só nos nossos dias de folga. A não ser que a gente se vicie, aí a gente assiste um episódio todo dia antes de dormir. Quando digo série do casal é porque os dois assistem juntos e não nos atrevemos de ver um episódio sem o outro do lado. Hahahahaha Nossas séries de casal são: How To Get Away With a Murderer, The Walking Dead, Money Heist.

Inclua isso na sua rotina, nem que você tenha que acordar 30 minutos antes do seu horário pra investir em si mesmo e no seu aprendizado!

 

– Assista Peppa Pig em inglês

Hahahahaha eu juro que tô falando sério! Parece mongol, mas esse desenho é super didático e vai te ensinar muitas coisas básicas de inglês. Não precisa assistir isso em frente aos seus colegas de trabalho, mas tire 10 minutinhos de 1 ou 2 dias da sua semana pra ver Peppa Pig e aprender inglês de forma didática. Lembre de anotar as palavras novas no seu caderninho de vocabulário.

 

– Pratique conversação em frente ao espelho

Invista, pelo menos, 3 minutinhos do seu dia pra ter uma conversa com você mesmo em inglês. O que você espera do seu dia? Ou como foi o seu dia? O que você fez de diferente hoje? Pelo que você é grato hoje?

Eu sei que parece loucura, mas ajuda muito o hábito de praticar conversação tentando usar as palavras que você já aprendeu. Isso é muito importante pra quem tem vergonha ou esquece das palavras. Tente fazer essa conversa o mais natural possível. Se faça uma pergunta em inglês (qualquer pergunta) e crie um discurso em inglês, mesmo que simples, respondendo aquela pergunta de forma bem espontânea se olhando no espelho.

 

– Grave áudios seus falando em inglês

Essa prática é maravilhosa! Isso porque a gente tende a falar, mas não tende a se ouvir. Então, muitas vezes a gente acha que as pessoas à nossa volta falam super bem e sempre temos a tendência de achar que não temos a mesma desenvoltura. Mas, comece a gravar áudios seus (pode ser a conversa que você faz com você mesmo no espelho, pode ser um áudio pra um amigo no Whatsapp ou qualquer áudio que você queira gravar falando em inglês) e se ouvir mais pra começar a evoluir nas suas conversações.

Num primeiro momento você vai ser muito crítico e achar que sua conversação é uma merda, mas calma! O processo de falar e se ouvir é justamente pra identificar onde você pode melhorar na pronúncia e perceber que, na verdade, sua conversação nem é tão ruim assim e que cada pessoa tem um estilo diferente de falar com sotaque diferente. O importante é se fazer entender com um raciocínio minimamente correto em inglês. Com o tempo o raciocínio melhora e consequentemente sua conversação também evolui.

 

– Mude a entonação da sua voz pra falar inglês

Essa dica eu recebi em 2011 quando fiz meu primeiro intercâmbio nos Estados Unidos, na Universal Studios. Eu já tinha reparado que muitas pessoas mudavam a entonação da voz quando falavam outra língua, mas não sabia que isso era intencional.

Uma amiga minha falou que é muito mais fácil você falar numa outra língua com entonação diferente, porque é como se eu assumisse que naquele momento eu não era mais a Maryana que fala português e sim a Maryana que falava inglês (como se fosse um novo personagem entrando em cena). Então, o cérebro meio que ativa um gatilho do tipo, vamos falar em inglês agora e a conversação sai mais espontânea e fica até mais fácil de falar algumas palavras quando você se permite mudar a voz e não ter vergonha!

Desde então, eu mudo minha entonação pra falar inglês. Não é uma mudança super bizarra, mas minha voz fica um pouco mais aguda quando falo inglês. Hahahahahaha

Eu juro que isso ajuda muito!!!!

 

– Desapegue-se das palavras que te travam

Essa dica pra mim é a mais importantes de todas. Isso porque quando comecei a aprender inglês eu decorava as palavras e os significados e tinha o costume de pensar em português e traduzir a frase pro inglês ao pé da letra – o que não acontece quando você fala inglês de verdade.

Não tem como traduzir exatamente uma frase que falamos em português pra tradução literal em inglês por vários motivos (principalmente pela gramática e porque muitas vezes as palavras traduzidas pro inglês ou as palavras traduzidas pro português não fazem sentido nenhum se formos ver a tradução literal).

Quando eu traduzia do português pro inglês durante a minha conversação o que muitas vezes acontecia era eu querer falar uma frase onde eu sabia 90% das palavras, mas tinha uma palavra que eu não sabia em inglês e aí eu empacava na frase e não conseguia mais falar nada ou dar continuidade ao meu racicínio. Isso acontecia com tanta frequência que eu jurava que era porque eu não tinha vocabulário suficiente, que precisava decorar mais palavras.

Até que eu comecei a perceber como os gringos falavam. Nem sempre a frase era direta ao ponto como eu queria fazer, muitas vezes eles enrolavam e enrolavam pra formar uma frase de forma diferente. E aí que entendi o pulo do gato!

Desapegue-se de palavras que te travam! Se você não sabe aquela palavra em específico, usa um sinônimo, usa um antônimo, seja criativo e expanda sua forma de falar e se expressar!

Exemplo: Se você quer falar que aquela menina tem cabelo longo, mas você não sabe como é longo em inglês, então usa a palavra curto!

Her hair is not short at all.

Ahhh! E não ache que os gringos usam a gramática correta linda e bela que aprendemos no cursinho. Eles são tão informais quanto a gente e muitas vezes nem usam a concordância correta ou a estrutura correta de pergunta e negação. Então, relaxe e se permita ser espontânea(o).

 

– Use e abuse de mímicas quando tiver falando em inglês

Eu falo demais com a boca, mas também me expresso muito com as mãos. Se você não sabe o que é algo, fale e gesticule ao mesmo tempo. Você pode tá falando uma frase e aí no meio dela esquecer o nome de um objeto. Comece a descrevê-lo e faça mímica. Não se limite a ser perfeito. Se permita usar a criatividade, errar e aprender.

Exemplo: You know! That thing that is white and you can wipe your mouth after you eat. I forgot the name. Do you know? (Enquanto você fala isso, faça uma mímica de um pequeno quadrado e depois limpe a boca pra mostrar que você tá falando do guardanapo).

 

– Intercâmbio no exterior

Se você tá pensando em fazer um curso de inglês a longo prazo, talvez seja melhor investir esse dinheiro num curso de inglês no exterior onde você terá contato 24 horas por dia com o inglês e vai aprender diretamente da fonte sem ter alternativa de escapar e “roubar” falando em português porque não entendeu o que a professora perguntou. Ou você aprende ou aprende!

CLIQUE AQUI pra ler o post sobre o curso de inglês que eu fiz aqui na Inglaterra (valores, acomodação e duração).

Outra alternativa que é muito popular entre os brasileiros é a Irlanda! Isso porque na Irlanda você pode estudar inglês e trabalhar ao mesmo tempo o que já ajuda nas despesas do curso e da acomodação. Se você for procurar intercâmbio na Irlanda, sugiro que fuja de Dublin porque lá está lotado de brasileiros e a chance de você viajar pra lá e acabar falando mais português do que inglês é bem alta!

– Sempre que viajar, tente fazer amigos e pegar o celular ou Facebook deles pra manter contato

Se você conhecer uma pessoa que seja gringa, não perca a oportunidade de treinar seu inglês o máximo que puder com essa pessoa. Pegue todos os contatos dela (celular, Whatsapp, Instagram, Facebook, Skype, email). Mande mensagem uma vez por semana perguntando como tá aquela pessoa. Troque mensagens de áudios pra treinar a conversação, marque conversas pelo Skype!

A conversação frequente com pessoas estrangeiras te mantém focado em aprender e te faz ter mais confiança no seu desenvolvimento.

 

– Professor particular de inglês

Se você não tiver condições de investir num intercâmbio no exterior, em vez de pagar por um cursinho de inglês, invista num professor particular. De todos os investimentos que eu fiz no Brasil em cursos de inglês o que me rendeu melhor aproveitamento foi disparado o meu professor particular. Por vários motivos, mas principalmente porque a aula é focada no seu desenvolvimento e na sua velocidade de aprendizado, fora que a aula é adaptada aos temas que você mais gosta e a conversação é exclusivamente com você, então você passa a aula toda praticamente falando, em vez de dividir a atenção do professor com mais 10 pessoas como nos cursinhos!

 

– Gratidão pelo processo de aprendizado

Por último, mas não menos importante, seja grato por cada avanço que você der. O processo de aprendizado de uma nova língua é lento e requer muita dedicação e perseverança. Ninguém começa a falar outra língua de uma hora pra outra e pra aprender é preciso treinar e praticar muito. Cada nova palavra que você aprender, sinta-se grato, cada conversa que você tiver em inglês sinta-se grato. Seja muito grato por cada pequeno avanço e não desista só porque tá difícil ou parece impossível.

CLIQUE AQUI pra ler outro post interessante onde eu conto mais sobre como eu vim parar na Inglaterra.

Bom, espero que esse post tenha sido útil pra você e se você gostou, por favor, compartilhe o link com seus amigos pra gente ajudar o máximo de pessoas possíveis!

Ahhh! Não esquece de me seguir no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras em tempo real.

Beijos e até a próxima.

Mary Teles

 

Gostou das dicas do blog?

Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso e recomendo:

– Hospedagem: Booking.com, Airbnb
– Seguro Viagem (5% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA5): Seguros Promo
– Aluguel de carro: Rentcars
– Passeios no Atacama e Salar de Uyuni (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10):
Entre em contato com a @fuigosteitrips pelo e-mail: trips@fuigosteicontei.com.br

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras!

  • Patricia

    Que post maravilhoso! Me animei a mais uma vez tentar, sozinha.

    • Vida Mochileira

      Ahhhh que bom que curtiu!!! Fico muito feliz de ajudar! 😍

      • Izabel Campelo

        Eu aqui anotando suas dicas e já animada pra voltar a Londres…

  • Raphael

    Mary, bom post!! Se me permite queria acrescentar mais 2 dicas:

    – Training Lyrics que é um site que você pode escolher videos de musica do youtube, acompanhar a letra e eles removem algumas palavras aleatórias da letra pra você completar, tipo um game (com pontuação, nível de dificuldade);

    – Existem eventos (pelo menos em SP) em pubs, praças, etc pra conversação em inglês… Nunca participei mas já vi grupos com essa finalidade no Facebook, Couchsurfing e MeetUp.

    • Vida Mochileira

      Oi Rapha!!

      Ótimas dicas! Muito legal essa ideia do game! Não sabia que existia! Os meetings eu também já ouvi falar e eles são super populares aqui não Inglaterra, mas nunca participei tbm!

      Obrigada pelas dicas!!!

      Bjs

      Mary

    • Raphael

      Lyrics Training* kkkk

  • No Canal https://www.youtube.com/channel/UCzLnFz7WolqHwjODqr-Nx_w tem várias dicas que podem ajudar quem quer aprender inglês. Vale a pena conferir!