Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel?

2
Hostel
Foto by rawpixel.com

Já começo dizendo que a ideia do tema “Como é ficar em hostel?” surgiu por causa do sucesso que foi o nosso podcast sobre esse assunto. Simm!!! Eu e a @andrealeonel_ temos um podcast onde falamos sobre viagens: das vitórias aos perrengues todas as quintas-feiras às 7:00 da manhã. Lá compartilhamos muitas dicas boas sobre vários assuntos diferentes: Seguro viagem, como levar dinheiro de forma segura, como escolher o melhor mochilão, hostels, contraceptivos pra mulheres viajantes, perrengues, etc… Sério! Tem muitos temas legal lá e você pode ouvir na sua plataforma de podcast preferida: Tem no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Castbox e muitas outras!

Bom, eu acho que o hostel é aquele tipo de lugar que muita gente ainda tem preconceito porque cria uma ideia de que será aquele lugar xexelento que os filmes mostram, que quase sempre tem coisa ruim acontecendo. Mas, a verdade, é que o hostel é o lugar preferido de todo mochileiro em viagens e, cada vez mais, tem criado um ambiente perfeito para interação com outras nacionalidades e busca de novas amizades.

O que é um hostel? 

O hostel é um tipo de acomodação que é mais despojada que os hotéis, promove o lifestyle de interação social entre os viajantes, foca em oferecer preços competitivos, tem localização atrativa, e, principalmente, oferece quartos compartilhados como a principal forma de estadia.

É claro, que hoje em dia é possível encontrar hostels dos mais diferentes tipos, desde os mais xexelentos até os hostels boutiques, que são praticamente hotéis, mas tem quartos compartilhados e são um pouco mais baratos.

Como eu disse, o foco dos hostels é oferecer uma interação social entre os viajantes alinhada a um preço competitivo. Pra isso, os hostels oferecem cômodos compartilhados: quartos, banheiros, cozinha, lavandeira, áreas comuns (recepção, sala de estar, sala de jogos, etc)… No entanto, como esse universo de viagens tem expandido bastante e existem viajantes com diferentes tipos de interesse e necessidades, os hostels começaram a se adaptar pra agradar mais pessoas e consequentemente ter mais hóspedes.

Dito isso, hoje em dia você encontra em quase todo hostel: quartos privados com banheiro privado, quartos compartilhados mistos com banheiro compartilhado e quartos compartilhados femininos com banheiro privado ou compartilhado. Isso quer dizer que, mesmo viajando em casal você tem a possibilidade de curtir o ambiente de interação do hostel, mantendo a sua privacidade na hora de dormir.

Como eu disse antes, existem vários tipos de hostels: Party hostel (focado num público jovem que busca festa e badalação), Family hostel (focado num público mais família e amigos), hostels sustentáveis, hostels boutiques (tem todo glamour de um hotel, mas é mais barato e menor)…

O que os viajantes mais cobiçam na hora de ficar em hostel é a parte social com certeza (e o preço rsrsrsrs). Eu já perdi a conta de quantos amigos eu já fiz em hostel que são meus amigos até hoje e de quantas memórias marcantes eu tenho com as pessoas que eu conheci nos hostels: Festas, drinks, conversas, risadas, fotos engraçadas, histórias inesquecíveis. Geralmente os hostels tem áreas comuns pra facilitar esse tipo de interação entre os viajantes. A principal delas é a sala de estar, que quase sempre é na recepção, mas alguns hostels fazem uma sala de estar separada com mesas, cadeiras, sofás e TV.

Outra área muito comum de rolar amizade à primeira vista é na cozinha. Os hostels que têm cozinha permitem que os hóspedes usem o ambiente e com isso, muita gente acaba optando por cozinhar no hostel pra economizar na viagem… É assim que rolam os jantares compartilhados e muitas risadas.

Ahh! Lembrando que nos hostels a política é “faça você mesmo”, ninguém vai ficar arrumando sua cama, colocando sua toalha pra secar, carregando suas malas ou cozinhando pra você. Se você quer que uma coisa seja feita, você mesmo tem que fazer. Os funcionários dos hostels estão ali pra te ajudar, mas não pra fazer as coisas por você. Inclusive, em alguns hostels você encontra a cama já forrada e pronta pra te receber, em outros hostels, você recebe a roupa de cama no check-in e você mesmo tem que fazer sua cama.

Sobre a escolha da cama que você vai dormir, isso depende muito de hostel pra hostel, mas alguns hostels te dizem o número da sua cama já no check-in e outros te deixam livre pra escolher qualquer cama que esteja livre no quarto. A sensação de liberdade pode assustar um pouco no começo e até parecer um pouco bagunça pra quem tá acostumado a ter tudo prontinho como nos hotéis, mas com o tempo você acostuma e fica super normal depois.

Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel?
Imagem de Hans Braxmeier por Pixabay

ATENÇÃO!

O seguro viagem é obrigatório para entrar e viajar pela Europa.

Eu contratei o seguro viagem da Seguros Promo pra minha viagem de 3 meses pela Ásia e curti muito o serviço. O custo X benefício foi maravilhoso e o atendimento foi muito bom (usei o seguro na Tailândia). Use o cupom VIDAMOCHILEIRA5 e ganhe 5% de desconto!

A Seguros Promo tem atendimento e suporte em português tanto em chamadas internacionais quanto pelo Whatsapp: +55 (31) 3972-7096. Explico melhor nesse post como você pode escolher o seu seguro viagem internacional.

Seguro Viagem: Mochilao
Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel? GTA 75 EUROMAX Assistência médica USD 75.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 25/dia*
Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel? APRIL 30 Inter Basic Assistência médica USD 30.000 Bagagem extraviada USD 1.000 R$ 27/dia*

No entanto, existe uma opção mais barata pra quem vai fazer viagens mais longas ou vai se tornar um nômade digital. O SafetyWing é o primeiro seguro viagem internacional do mundo desenvolvido para atender às necessidades de nômades digitais ou pessoas vivendo no exterior em todo o mundo. Você paga $37,00 dólares por 4 semanas.

SafetyWing tem cobertura mundial e cobertura (de 90 dias) no país de origem. Está disponível para compra em 180 países e pode ser comprado ou renovado quando você já estiver viajando. Qualquer pessoa pode adquirir o SafetyWing, não precisa ser nômade digital pra usar esse seguro viagem.

O ponto positivo do SafetyWing é que ele é 1/3 do valor da maioria dos seguros viagens, mas o ponto negativo é que ele ainda não tem atendimento e suporte em português. Tem um post no blog muito completo explicando sobre o seguro viagem SafetyWing.

Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!


Ficar em hostel é seguro? 

Acho que essa é a pergunta que mais me fazem quando o assunto é ficar em hostel. E a minha resposta é sempre a mesma: Super seguro tanto pra homens quanto pra mulheres. Esquece todas as imagens que você já viu em filmes onde o hostel era o pano de fundo de filme de terror. Hoje em dia, os hostels são espaços super descolados que reúnem diversas nacionalidades de viajantes e todos buscando a mesma coisa: conhecer novos lugares, fazer novos amigos e ter memórias inesquecíveis da viagem!

A maioria dos hostels tem câmeras nas áreas comuns e nos quartos pra justamente dar essa sensação de segurança aos hóspedes. Alguns hostels até oferecem cartão magnético pra abrir a porta principal do hostel e do quarto e alguns só te permitem acessar o hostel com identificação pelo interfone. Então, nesse quesito os hostels estão muito bem ancorados na tecnologia.

E, provavelmente, se você é mulher e nunca ficou em hostel antes deve estar se perguntando: Mas, ficar em hostel é seguro pra mulheres também? E a minha resposta continua sendo: Sim! Muito seguro. Se essa será sua primeira vez ficando em hostel e você quer se sentir mais segura e confortável, existe a opção de quartos compartilhados feminino. Mas, eu por exemplo, sempre fico em quarto misto e nunca tive problema.

Vou inclusive contar uma história que eu sempre conto pra mostrar o quão tranquila eu me sinto em hostel: Quando fiz meu primeiro mochilão sozinha eu viajei por 6 países durante 33 dias. Pra economizar nas despesas da viagem, eu reservei todas as minhas estadias em quartos compartilhados mistos de hostels. Era minha primeira viagem sozinha, lembra? E lá estava eu, dividindo quarto com 9 pessoas, outras vezes 7, em algumas com 5 pessoas, e eu estava super feliz e curtindo bastante essa vibe de hostel. Quando cheguei em Berlim e fiz meu check-in o recepcionista me colocou num quarto misto, porque foi o que eu tinha reservado, mas pra minha surpresa, quando cheguei no quarto de 8 camas, 7 delas estavam ocupadas por homens e só eu de mulher.

O ambiente de hostel tava tão normal pra mim que eu simplesmente fiquei. Eu e os caras conversamos sobre o que eu esperava de Berlim, o que eles fizeram naquele dia, quais era os meus planos por resto da viagem, etc. Basicamente, conversamos bastante e depois eu tomei banho no banheiro privado que tinha no quarto e fui dormir. Coloquei meu tapa olho e ouvido e dormi lindamente. Se eu senti medo? Não! Em nenhum momento. Eu podia ter pedido pra trocar de quarto? Sim! Mas, não pedi porque meu instinto disse que tava tudo bem. Eu sempre sigo meu instinto e meu sexto sentido. Eu já entrei num quarto em Munique onde vi uma galera fumando maconha (que inclusive era proibido fazer isso dentro do hostel) e saí na mesma hora e pedi pra mudar de quarto. Então, siga seu instinto sempre!

A segurança do hostel em termos de dividir quarto com várias pessoas que você nunca viu na vida funciona bem porque as pessoas estão na mesma vibe que você: De férias, querendo se divertir ao máximo pra ter boas lembranças. Por isso, é muito difícil você ver um viajante mexendo na mochila de outro viajante.

Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel?

No entanto, não é porque é seguro que você vai dar mole! É preciso ter sempre muito cuidado com os seus pertences de valor: câmera, notebook, equipamentos fotográficos e, obviamente, dinheiro! Praticamente todos os hostels oferecem lockers gratuitos, que são armários onde você pode colocar seus pertencentes e fechar com seu próprio cadeado.

Se você está viajando com coisas de valor, SEMPRE COLOQUE TUDO NO SEU LOCKER. Seu dinheiro e cartões devem ficar no money belt e devem ficar com você o tempo todo. Inclusive. É recomendado não viajar com todo seu dinheiro da viagem em dinheiro vivo. O ideal é fazer um cartão de débito multi-moedas que não cobra taxa pra ser usado no exterior. A Andrea, que é minha amiga nômade que já está viajando há mais de um ano sem parara, escreveu um post muito bom sobre como levar dinheiro para o exterior e também fizemos um podcast sobre isso.

Outra coisa que você pode fazer, se tiver alguma coisa de muito valor que está com medo de deixar no locker, é pedir pra pessoa da recepção guardar no locker da recepção ou administração. Dessa forma, só os funcionários terão acesso aquela área.

Mas, tirando essa questão de guardar tudo de valor no lockers, o resto você não precisa se preocupar. Não tem problema nenhum deixar seu mochilão no quarto compartilhado. Você vai ver que todo mundo vai deixar o mochilão jogado e, às vezes, até aberto e vai passear na rua e quando volta tá tudo do mesmo jeito. Isso porque é muito difícil você ver alguém tentando roubar roupa de outro viajante. Caraaa que nojo! Quem vai querer roubar tua calça suada ou aquela blusa suja? Fora que, tem que dar um puta azar da pessoa que vai te roubar ter exatamente o mesmo corpo que o seu, né? Hahahaha A punica coisa que eu faço é deixar o mochilão debaixo da cama, se eu estou na cama de baixo ou no ladinho do quarto e não jogado.


MELHOR JEITO DE LEVAR DINHEIRO PRA SUA VIAGEM E ECONOMIZAR!

Novo jeito de viajar pelo mundo sem se preocupar em levar dinheiro vivo pras viagens ou se preocupar em fazer dezenas de cotações diferentes em casas de câmbio.

Com a Transferwise você pode transferir o seu dinheiro pro exterior em menos de 5 dias, de forma super segura (eu já uso os serviços há mais de 6 meses e é realmente rápido e seguro). Você pode criar o seu cartão de débito sem fronteiras pra ser usado no mundo todo. A melhor parte é que a cotação deles é uma das mais baratas do mercado (cotação da Mastercard) e você converte o seu dinheiro pra moeda que você desejar de forma rápida, segura e barata.

ABRA SUA CONTA AGORA, DE GRAÇA, SEM ANUIDADE!

VEJA COMO O SEU DINHEIRO É ENVIADO.


Como são os quartos de hostels? 

Você vai encontrar os mais diferentes tipos de organização em hostels. Dependendo do tamanho do hostel você vai ter quartos maiores ou menores, com mais ou menos camas. O comum são quartos compartilhados de 6, 8, 10 e 12 camas. Mas, você também encontra em alguns hostels quartos compartilhados de 4 e 20 camas – esses quartos compartilhados são misto, mas alguns hostels separam um ou dois quartos compartilhados só pro público feminino. Como eu já disse, hoje em dia os hostels oferecem, pelo menos, dois ou três quartos duplos privados (cama de casal ou solteiro) com banheiro privado pra casais ou viajantes que não queiram ficar em quartos compartilhados.

A maioria dos hostels oferecem camas beliches ou até triliches nos quartos compartilhados, dessa forma cabe mais gente num espaço menor! A minha dica é ficar em quartos entre 6 a 8 camas, porque geralmente são quartos que tem mais espaço pra circulação, geralmente tem melhor ventilação e não tem o odor de muita gente junto rsrsrsrs. Quartos a partir de 10 camas podem ser mais desconfortáveis pra quem não está acostumado com esse tipo de estadia. Eu já fiquei em quartos de 20 camas e dormi tranquilamente, já uma amiga entrou num quarto de 12 camas me perguntando que cheiro era aquele e eu disse: Cheiro de 12 pessoas juntas num quarto só! Hahahahaha Com o tempo, acho que a gente vai se acostumando, porque hoje em dia eu não me importo de ficar em nenhum tipo de quarto, durmo bem em quarto de 4 camas como durmo bem num de 20 camas. Hahahahahaha

Como eu disse, geralmente as camas são beliches e você nunca sabe se vai ficar embaixo ou em cima. Eu particularmente prefiro ficar na cama debaixo e inclusive quando eu reservo o hostel, eu já coloco isso como um pedido na hora de mandar mensagem pro hostel. Eu acho a cama debaixo mais confortável pra arrumar a mala na hora de ir embora e também tem o fato de eu ir muito ao banheiro durante à noite, daí me dá preguiça de descer e subir a escada o tempo todo, fora que odeio incomodar a pessoa debaixo subindo e descendo o tempo todo. Você pode fazer esse pedido na hora de fazer a sua reserva ou até mesmo no check-in, mas não é garantido que vá ter lugar na cama debaixo, porque aparentemente é um pedido muito recorrente.

Mas, a Andrea tem um outro ponto de vista sobre a cama de cima. Ela acha que tem mais privacidade e que você escuta menos os barulhos que tão rolando no quarto, até mesmo os malditos roncos. Mesmo sabendo disso, eu ainda prefiro minha caminha debaixo rsrsrsrs.

Como são os banheiros compartilhados de hostels? 

Falando rapidamente sobre os banheiros compartilhados, eles podem ser compartilhados dentro do quarto, ou seja, apenas as pessoas que estão dormindo naquele quarto podem usar (é um banheiro unissex) ou podem ser compartilhados do lado de fora do quarto, que geralmente é usado por todos os hóspedes daquele andar.

Em hostels grandes, você tem disponível banheiros compartilhados em todos os andares pra distribuir bem o uso entre os hóspedes. Os banheiros compartilhados que ficam fora dos quartos geralmente são divididos por sexo: masculino e feminino. Alguns hostels tem os chuveiros, privadas e pias no mesmo ambiente e outros tem isso separado, uma parte só para privadas e pias (com divisórias, obviamente) e outra parte só para chuveiros (com divisórias – ninguém te vê tomando banho).

 

Quais são as vantagens e as desvantagens de ficar em hostel? 

Claro que nem tudo são flores em hostels, né? Por isso, vou tentar fazer uma listinha básica do que pra mim são pontos positivos e negativos de se ficar em hostel, ok?

VANTAGENS

– Economia: Ficar em hostel é muito mais barato que ficar em um hotel, por exemplo. O valor de diária do hostel é bem competitivo, então pra quem tá querendo economizar na viagem, vale a pena optar por esse tipo de acomodação.

Uma observação importante é que dependendo do lugar que você esteja indo e com quantas pessoas você esteja viajando, talvez seja mais barato ficar num Airbnb. Se você não sabe o que é isso eu recomendo ler esse post que eu escrevi explicando o porquê o Airbnb é confiável.

Você pode ganhar até R$179,00 de desconto na sua primeira reserva no Airbnb: Faça sua pesquisa agora

– Possibilidade de interagir com outras nacionalidades e fazer novos amigos: Como eu disse, eu acho que esse é o principal fator que faz com que os viajantes fiquem em hostels. Caraa! Essa interação não tem preço. É incrível voltar de um dia de passeio, sentar na sala de estar e começar a conversar com as pessoas sobre o que elas fizeram, quais são os planos dela pros dias seguintes e quem sabe você não consegue uma parceria pros seus planos também ou consegue se encaixar nos planos dos outros.

Eu, por exemplo, fiz uns amigos quando viajei em Portugal sozinha e conversando com eles descobrimos que queríamos fazer as mesmas coisas. Nos juntamos e alugamos um carro juntos, que saiu muito mais barato do que alugar sozinha.

Fora que o que faz uma viagem ser inesquecível são as pessoas que você conhece pelo caminho e as memórias que tem daqueles momentos juntos. É incrível poder dividir histórias e risadas com quem tá vivendo a mesma coisa que você, principalmente se você está viajando sozinho.

– Cozinha: Sim! Ter uma cozinha no hostel é uma grande vantagem porque você pode cozinhar quando quiser e com isso evita gastar comendo fora todos os dias. Sai super barato comprar um macarrão, um molho de tomate e umas salsinhas e fazer uma macarronada top de linha. Ou até mesmo juntar com outras pessoas no hostel e fazer um jantar compartilhado onde cada um compra uma coisa e a galera se divide nos que cozinham e nos que lavam. Já fiz isso antes e é muito legal pra criar laços de amizade.

No entanto, não são todos os hostels que oferecem cozinha, por isso, na hora de fazer a sua reserva, se isso for importante pra vocês, tenha certeza que o hostel cita a cozinha como um dos seus benefícios.

– Passeios e tours: Dependendo do lugar que você esteja indo, ter um hostel que oferece passeios e tours pela cidade é uma mão na roda. O mais legal é que os hostels tentam fazer parcerias com empresas que cobram um valor justo e você não precisa se preocupar com aquele passeio. Outra coisa legal é que quase todos os hostels tem uma empresa de Free Walking Tour afiliada. O que isso significa? O Free Walking Tour é um tour gratuito guiado, geralmente com pessoas locais que conhecem bem a história e curiosidades da região. Os tours são em inglês ou espanhol e passam por diversos pontos do centro da cidade. Como o nome já diz, esses tours são gratuitos, mas é de bom grado pagar uma gorjeta ao guia. Fazer free walking tour é uma ótima forma de fazer novas amizades também!!

Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel?
Galera do hostel em Budapeste

DESVANTAGENS

– Bagunça e gente sem noção: Isso é uma desvantagem do hostel, mas não é culpa do hostel e sim dos viajantes que não tem senso comum com o fato de estarem dividindo espaço com outras pessoas. Infelizmente, você vai ver que isso é mais comum do que gostaríamos. Muita gente deixa mochilas abertas, roupas espalhadas no chão, sapatos jogados e, pra quem tem pavor de desorganização pode dar um palpite no coração ver tudo de pernas pro ar. Mas, eu sou do time que tá cagando pras coisas dos outros, eu quero só saber se as minhas coisas estão organizadas.

A única coisa que eu faço e que a maioria dos viajantes faz também é pendurar a toalha na cama ou na escada pra secar e se eu tiver lavado roupa (calcinha, meia ou até blusa) coloco pra secar na cama também. Mas, tá na minha cama, então não deveria ser um problema. O que irrita é quando as pessoas não têm bom senso com o espaço comum e você tem que entrar no quarto pulando pra não pisar nas coisas dos outros hahahahaha.

– Roncos e puns: Claro que isso teve que entrar na lista de desvantagens, né? Quando você compartilha quarto com várias pessoas não tem como fugir desses pesadelos. Claro que as pessoas não rocam de propósito, mas vai explicar pra pessoas que não conseguiu dormir a noite inteira porque outras 3 pessoas estavam compondo uma sinfonia entre os diferentes tipos de ronco. E os puns… Ahhh! A galera sem noção solta mesmo e o resto das pessoas que se virem pra aguentar. De novo, com o tempo você se acostuma e vira história pra contar! hahaha

– Banheiros compartilhados: Além do quarto, outro lugar que as pessoas perdem a noção é nos banheiros compartilhados. Caraaa! Parece terra de ninguém. Os hostels até tentando manter uma frequência maior de limpeza nos banheiros, mas, às vezes é difícil, manter sempre limpo com pessoas sem noção. Então, prepare-se pra encontrar uns cocos que não desceram na privada, uns pentelhos nas paredes, vários cabelos entupindo o ralo, cabelos grudados da parede…

Enfim, pensa num banheiro de parque aquático e você vai ter uma pequena noção do que pode te esperar. Mas, de novo, isso não é uma regra. A maioria dos hostels que eu já fiquei tinha os banheiros impecáveis e super limpos, mas ficar em hostel é também se deparar com esse cenário de bagunça algumas vezes nos banheiros. Ahh! Sempre tome banho de chinelo, just in case!

Uma dica na hora de tomar banho: Leve tudo que você precisa pra tomar banho (sabonete, shampoo, condicionador, etc) com você num saco plástico ou numa ecobag pra você poder pendurar no cabide do chuveiro. Muitas vezes os banheiros não têm aquelas prateleiras ou espaço pra deixar suas coisas, então o que você pode fazer é deixar tudo numa ecobag e pendurar. Lembre-se de sempre levar sua roupa e toalha pro banheiro também! Não queira esquecer a toalha no quarto compartilhado enquanto você está usando o banheiro compartilhado, é um inferno! Hahahahaha

Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel?
Foto by @andrealeonel_

– Limpeza: Os hostels tem uma política muito severa com a limpeza das roupas de cama. Sempre que você chega num hostel todas as roupas de cama estão trocadas (lençol, fronha do travesseiro e cobertor), mesmo que você só fique uma noite num hostel, eles vão trocar as roupas de cama pra receber o próximo hóspede. No entanto, não existe o sistema de arrumação de camas (como nos hotéis) quando os quartos estão ocupados. Do jeito que você deixou sua cama ela vai ficar. Existe a limpeza do quarto em si, então trocam o lixo e passam um pano no chão ou passam o aspirador no quarto. Mas, a limpeza não é das melhores e quase sempre você chega no quarto (mesmo que ninguém tenha chegado da rua ainda) tá um futum tenso. Podia rolar abrir um pouco as janelas, passar um glade, né? Hahahaha

E, como eu já falei, existe uma política de tentar limpar o banheiro com uma frequência maior, mas nem sempre isso é feito com sucesso. Então a limpeza fica um pouco a desejar, mas não é uma coisa unanime em todos os hostels, alguns hostels vão ter banheiro mais limpos que a sua casa, juro!

– Bed bugs: Quando você fica em hostel tem uma probabilidade maior de encontrar essas criaturas do mal. Os bed bugs são percevejos que se alimentam de sangue, ou seja, um pesadelo pra se ter na cama, certo? Os bed bugs se reproduzem rapidamente e adoram ficar hospedados no canto da cama (principalmente de madeira), nas costuras do colchão, nos estofados, nas cortinas e tapetes. Algumas vezes podem até mesmo ficar escondidos em móveis.

Os bed bugs não são muito comuns no Brasil, mas muitos hostels e hotéis europeus e norte-americanos precisam lidar com frequência com essa praga. Em mais de 9 anos viajando, eu só me deparei uma vez com um hostel que tinha bed bug num dos quartos. E, na verdade, não tem muita coisa que os hostels possam fazer pra prevenir essas pragas. Isso porque os bed bugs são encontrados em acomodações e lugares de alta rotatividade porque viajam nas malas, roupas e até nos cabelos das pessoas sem que elas percebam.

Por ser um espaço que tem muita rotatividade de viajantes vindo de diversas partes do mundo, os hostels estão mais propensos a terem bed bugs. Mas, isso não impede que hotéis de luxo tenham o mesmo problema. A única coisa que você pode fazer pra se prevenir é, antes de se deitar, ligar a lanterna do seu celular e fazer uma inspeção na sua cama (principalmente nos cantos), costura do colchão, costura do travesseiro e lençol. Procure por manchas marrons ou até por pontinhos de sangue.

Se o hostel te oferecer roupas de cama escuras ou muito estampadas, fique atento porque ele pode estar tentando camuflar os bed bugs. Caso você ache um bed bug ou indícios de bed bug, tire fotos e avise imediatamente a recepção do hostel que eles vão fazer todo procedimento pra controlar a disseminação dessa praga. Mude de quarto e vá direto tomar banho, passe bastante sabão e lave o cabelo muito bem. Tire todas as coisas da sua mala e coloque pra lavar e secar numa temperatura bem alta. E coisas que não podem ser lavadas, peça pra recepção borrifar spray com lavanda (eles sempre tem), porque a lavanda mata os bed bugs.

– Segurança: Como eu disse, ficar em hostel é seguro. No entanto, por causa da grande movimentação de pessoas, é sempre bom ficar atento e se prevenir. Por isso, use e abuse dos lockers do hostel e tenha certeza que o hostel que você está reservando tenha lockers gratuitos. Outra dica, é sempre levar seu próprio cadeado (eu sempre levo dois tamanhos porque as aberturas dos lockers podem ser diferentes de um hostel pro outro).

– Sem luxos: Eu sei que quando você reserva um hostel, você provavelmente não está procurando por luxo, mas é bom enfatizar que muitas coisas que você pode considerar básicas pra uma acomodação oferecer, o hostel provavelmente não te oferecer isso. Como o objetivo do hostel é oferecer preço competitivo, ele se priva de oferecer certas coisas pra poder manter um preço acessível, como por exemplo: toalha, coisas de banheiro (shampoo, sabonete, condicionador), café da manhã, secador de cabelo, etc.

Sim! É possível achar hostels que oferecem café da manhã já incluso no valor da diária, outros cobram uma taxa extra pra incluir o café da manhã. Alguns hostels oferecem toalha pros quartos privados mas não oferecem pros quartos compartilhados, outros oferecem toalha pra todo mundo por uma taxa extra e outro não oferecem toalha pra ninguém. Alguns tem secador de cabelo disponível na recepção pra uso coletivo e outros deixam um sabonete líquido no banheiro pra uso coletivo também. Mas, isso não é regra. Caso você queira ver o que seu hostel vai oferecer, leia atentamente a página de reserva do hostel e o que está ou não incluído no valor da sua reserva.

Ahh! Relaxa que a roupa de cama, cobertor e travesseiro estão sempre inclusos na sua diária. Então, você não precisa se preocupar em levar um travesseiro com você pra sua viagem! Rsrsrs

DICA!

GANHE $10,00 DÓLARES DE DESCONTO NA WORLDPACKERS

A Worldpackers é uma plataforma brasileira que permite você viajar e trabalhar durante a viagem trocando sua força de trabalho (habilidade, vontade de aprender e ajudar) e seu tempo – durante algumas horas do seu dia – por acomodação e comida em vários países do mundo.

Usando meu código VIDAMOCHILEIRAWP você ganha 10,00 dólares de desconto e só paga 39,00 dólares por ano (uma única vez) pra viajar pela plataforma quantas vezes você quiser pra vários países do mundo sem pagar por acomodação e comida.

CUPOM: VIDAMOCHILEIRAWP

TORNE-SE UM MEMBRO VERIFICADO

Como planejar uma viagem por conta própria

Como escolher o melhor hostel pra sua estadia? 

Primeira coisa a ser dita é que existem plataformas confiáveis pra você fazer a reserva do seu hostel e até mesmo comparar os melhore preços do hostel no local que você está indo. As duas plataformas mais populares são: Hostelworld e Booking.com.

Pra ser bem sincera eu prefiro a Booking.com e sempre reservo por ela. Gosto bastante da interface da plataforma, acho os filtros muito bons (faixa de preço, categoria, distância do centro, avaliações, comodidades, etc) e gosto da questão do Genius que é quando a plataforma acha a melhor opção com o melhor custo X benefício pra vocês dentro dos seus filtros.

A Andrea gosta mais da Hostelworld porque ela acha que os preços são melhores. Então, minha dica é: Antes de reservar seu hostel, procure opções em ambas as plataformas e avalie a que tem melhor preço e custo X benefício. Outra opção é entrar direto no site do hostel pra ver se os preços são mais baratos lá. Algumas vezes a Booking.com me deu ofertas melhores do que o próprio site do hostel, mas outras vezes o hostel tinha desconto quando você fazia a reserva direto no site deles.

Uma coisa positiva dessas plataformas é que na maioria das vezes você pode escolher pagar a estadia só na hora, você tem colocar de qualquer forma um cartão de crédito ou débito na hora da reserva, caso você cancele após o prazo gratuito permitido e aí vai ter que pagar multa. Mas, pode escolher pagar o valor diretamente no hostel em vez de pagar com antecedência. E, às vezes o valor é debitado diretamente do seu cartão, então preste atenção na hora de reservar pra não ter nenhum mal entendido. Outra coisa legal dessas plataformas é que se você tiver qualquer problema com o hostel, a plataforma te dá um suporte. A Andrea, por exemplo, teve um problema no hostel dela em Tromso, que fechou do nada e a Booking.com realocou ela e fez também o reembolso da diária dela.

Como é ficar em hostel? É seguro dormir em hostel?

Quando eu reservo meus hostels pela Booking.com eu faço todo um processo pra obter a melhor opção e o melhor X custo benefício:

– Primeira coisa que faço é sempre fazer a busca na janela anônima do meu navegador. Pra abrir a janela anônima no Windows é: Ctrl + Shift + N. Dessa forma, eu fico isenta dos cookies, históricos de sites ou qualquer outra informação que pudesse alterar os valores da minha busca (eu sempre faço isso na busca de passagens aéreas também);

– Coloco o local e as datas certinho na busca e o número de viajantes (depois que eu acho o hostel que eu quero ficar, eu faço uma nova busca pra apenas um viajante pra ver se o valor bate certinho);

– Depois faço a busca pelo filtro de “Preço mais baixo primeiro” e abro todos os hostels que parecem interessantes em novas janelas;

– Depois disso, eu abro o Google Maps e coloco um ponto turístico famoso da cidade que eu tô indo visitar e ficar hospedada, daí eu seleciono o endereço dos hostels e jogo no Google Maps pra ver a localização deles (pra mim, ter boa localização é fundamental e um dos requisitos básicos na hora de reservar um hostel, depois de preço barato);

– Fechos todas as janelas dos hostels que não tinham boa localização e depois avalio os custos X benefícios dos hostels que tem bom preço e boa localização. Avalio o que cada hostel oferece e vou comparando em termos de fotos, benefícios e avaliações de outros hóspedes.

– Eu sempre olho na busca do hostel: Se o quarto é feminino ou misto (tanto faz pra mim, mas geralmente os quartos compartilhados mistos são mais baratos), o número de camas, se o banheiro é compartilhado ou privado (tanto faz pra mim, mas gosto de saber o que vou encontrar pra não ter surpresas), se tem wifi liberado em todos os cômodos (alguns hostels só liberam wifi nas áreas comuns, por exemplo), se tem cozinha pros hóspedes, se tem café da manhã incluso, se tem locker gratuito, leio algumas avaliações de hóspedes anteriores (é sempre bom ler avaliações que tenham entre 3 e 4 estrelas porque geralmente são as que sempre tão falando a verdade e são mais imparciais). E por último, vejo se tem coisas extras tipo piscina, festas, sala de jogos, etc.

– Uma vez que eu tenha escolhido o melhor hostel pra mim, eu faço a reserva conferindo pra ver se todos os dados da viagem estão corretos: Datas, local da hospedagem, número de viajantes, etc. A Booking.com libera um espaço pra você fazer algum pedido ou uma pergunta pro hostel, como por exemplo, se tem estacionamento ou se o estacionamento é pago, se é possível reservar a cama debaixo pra você, etc…

– Depois preencho meus dados bancários e escolho (se tiver essa opção) se quero pagar com antecedência ou deixar pra pagar na hora do check-in.

OBSERVAÇÃO: Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Vale a pena ficar em hostel?

Eu acho que vale muito a pena. Esse é o meu principal tipo de acomodação durante as minhas viagens. Eu já fiquei com meu marido em hostel (quarto privado e compartilhado), já fiquei com amigas, já fiquei sozinha e já fiquei, inclusive com a minha família em hostel (pai de 60 anos e irmã de 10 anos). Eu acho que hostel é pra todo mundo que esteja aberto ao novo.

O hostel é um ótimo lugar pra você conhecer novas pessoas e criar novas amizades, fora que as experiências que o hostel vai te proporcionar você nunca vai encontrar num hotel, por exemplo. E, se isso não te convencer a ficar em hostel, talvez o fato de você pagar menos e economizar na sua viagem te faça considerar o hostel como uma opção com bom custo X benefício.

Tudo que você precisa saber pra comprar um mochilão

O que não pode faltar na sua mala na hora de ficar em hostel?  

É fundamental que você tenha sua mente aberta e seu mindset preparados pra viver uma experiência no hostel. Se você chega num hostel pra ficar num quarto e banheiro compartilhados com a mentalidade de quem queria estar num hotel 5 estrelas, sua experiência vai ser estressante e você só vai enxergar o lado negativo. Mas, se você chega no hostel com a mente aberta e pronto pra viver tudo que o hostel pode te oferecer, você vai ter uma experiência incrível. Acho que muitas vezes as pessoas se decepcionam ao ficar em hostels, porque não trocam o mindset.

Dito isso, vamos pra listinha do que não pode faltar na sua mala na hora de ficar em hostel:

– Tapa olho e tapa ouvido: Você não pode sequer pensar em ficar num hostel sem ter esses acessórios com você. Faz parte do kit básico de sobrevivência em hostel e, provavelmente, serão as coisas mais úteis que você usará no hostel. Isso porque você vai estar compartilhando o quarto com várias outras pessoas e, provavelmente, uma pessoa do seu quarto vai ter a maldição de roncar alto e irritantemente. Acredite! Sempre tem um. Daí, se você tem um tapa ouvido bom, já resolve esse problema e dorme supre bem. E o tapa olho é pra evitar ficar acordando toda vez que alguém liga a luz pra pegar alguma coisa ou até mesmo pra arrumar a mala de madrugada porque tá indo embora logo cedo pela manhã.

– Cadeados: Como eu disse, a maioria dos hostels oferecem lockers gratuitos, mas o viajante deve usar seu próprio cadeado pra fechar. Ou seja, é importante que você carregue, pelo menos, dois tamanhos de cadeado diferentes pra conseguir fechar todos os tipos de lockers. Eu já tive problema de levar um cadeado tamanho normal de mala e ser pequeno demais e outra vez levar um maior e ser grande demais. Agora, carrego os dois e me adapto ao locker que tiver. Hahahahaha

– Toalha microfibra: Essa é a companheira inseparável de qualquer viajante. A toalha de microfibra é aquela que seca rápido e que é mais compacta do que as toalhas de algodão. O único problema das toalhas de microfibra é que elas têm as mesmas cores e aí quase todo mundo tem uma toalha parecida. Então, cuidado pra não fazer um troca-troca de toalha! hahahaha

– Kit de higiene: Como eu disse, os hostels quase nunca oferecem um kit de higiene pra cada hóspede como os hotéis fazem. Então, leve sempre seu próprio sabonete, shampoo e condicionador.

– Ecobag: Como eu disse, muitas vezes os banheiros compartilhados não disponibilizam prateleiras ou espaço pra colocar suas coisas de banheiro. Então, ter uma ecobag é essencial pra pendurar seu kit higiene na hora de tomar banho.

– Chinelo: É bom sempre levar um chinelo, mesmo pra viagens no inverno, porque esse é um item indispensável na hora de tomar banho nos banheiros compartilhados.

– Canga: Eu sempre levo uma canga no meu mochilão, não importa pra onde eu esteja indo, a canga é meu item coringa e serve pra muita coisa: Já virou cobertor em aeroporto e ônibus, já virou cachecol, já virou travesseiro, já virou cobertor em hostel que tava quente e só tinha edredon…

 

DICA DE OURO: Existe uma aba no blog chamada “ROTEIROS GRATUITOS” e lá você pode baixar todas as planilhas que eu tenho de roteiros de viagem. É tudo gratuito e você encontra na planilha não só dica de lugares pra visitar, como também dicas de transportes, hostels e gastos.

Espero que esse post tenha sido útil e se você conhece alguma pessoa que precisa ler isso, compartilha o link com ela!

Ahh! Não esquece de me seguir no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar as minhas aventuras!

Até a próxima!

Beijos,

Mary

 

Gostou das dicas do blog?
Aproveite os descontos abaixo para economizar nas suas viagens!

Toda vez que você usa um link do blog, o Vida Mochileira ganha uma pequena comissão e você NÃO paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso nas minhas viagens e recomendo:
– Voluntariado em viagens: Worldpackers (U$10 OFF)
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb (até R$179 OFF)
– Passeios no Atacama, Salar de Uyuni e Santiago: @fuigosteitrips (5% OFF)
– Seguro Viagem: Seguros Promo (5% OFF), SafetyWing ($37 dólares por 4 semanas)

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar as minhas aventuras!

Maryana Teles
Carioca, publicitária, mergulhadora e produtora de conteúdo, eu também sou apaixonada por viagens de estilo low cost. Eu amo viajar sozinha e fazer voluntariados. Eu uso as minhas viagens como uma ferramenta de autoconhecimento e aprendizado e quero compartilhar esse processo com você. Bora?!