4 Trilhas imperdíveis no Rio de Janeiro

natal q
Curiosidades sobre o Natal e o Réveillon na Ilha da Madeira
7 de junho de 2016
CAPA 2
Roteiro de 7 dias no Rio de Janeiro [Parte I]
8 de junho de 2016
 
4 Trilhas imperdíveis no Rio de Janeiro
[Você pode ler esse relato ao som de Live while We are Young]


O Rio de Janeiro é super famoso pelas suas praias, que são, de fato, maravilhosas! Mas, a galera esquece que tem muito mais coisa irada pra fazer que só ficar torrando na areia do Rio. Sério! E não to escrevendo esse artigo pensando só nos gringos não (até porque pra eles lerem isso vai ter que rolar um Google translate, né? rs). Isso também serve pra você carioca e serve também pros brasileiros que vêm de tudo quanto é lado, gastam um dinheirão pra vir até aqui e reduzir sua passagem pelo Rio ao Cristo, Pão de Açúcar e praias!

Então, preparem as câmeras ou celulares, os tênis e as garrafinhas de água, porque a gente vai fazer trilha genteeee!


fundo parallax

Por que não curtir o Rio de outro ângulo que não da areia pro mar?!?

 
1. Pedra Bonita | FÁCIL
A trilha da Pedra Bonita fica localizada em São Conrado e te dá um visual sensacional da praia da Barra de um lado e da praia de São Conrado do outro. Essa trilha começa na entrada do estacionamento da galera que faz voo livre de asa delta e parapente. Pra quem tem carro o acesso é tranquilo, porque sobre de carro até o estacionamento e á começa a trilha com todo gás. Pra quem não tem carro, o acesso já é mais chatinho:

- Pegar um ônibus (não consegui achar no Google maps, mas tenho quase certeza que tem sim) até a ladeira do estacionamento, que é bem íngreme e depois ir andando até chegar ao estacionamento pra começar, de fato, a trilha;

- Subir andando todo trajeto (desde Auto Estrada Lagoa Barra até a entrada da trilha), segundo o Google maps são 1,9 Km (mais ou menos 30 minutos), mas eu acho que é bem mais! Eu colocaria 1 hora andando porque é ladeira e ainda tem a ladeira super íngreme até chegar ao estacionamento que dá acesso à entrada da trilha – Essa ideia não é mais recomendada porque você já vai chegar morto lá em cima;

- Pegar um táxi ou Uber até o estacionamento e já começar a trilha com gás total;

- Pegar uma carona com a galera que tá subindo pra trilha ou com a galera que tá levando os equipamentos do voo livre lá pra cima. Nessa opção, vai ter que rolar o famoso dedinho da carona e ir ponderando se vale a pena aceitar de quem estiver te oferecendo. Digo isso porque carona é sempre uma questão complicada, tem muita gente que quer ajudar, mas também tem muita gente com segundas intenções. Então, fique ligado e nunca pegue carona sozinho (a).

HISTÓRIAS DA MARY: Quando subi a trilha da Pedra Bonita pela primeira vez fui com uma amiga. Estávamos meio perdidas e acabamos descendo do ônibus e indo pra praia, lá começamos a perguntar a todo mundo como subíamos pra Pedra Bonita e as pessoas iam indicando meio que aleatoriamente até que encontramos um rapaz que parecia seguro das direções que ele estava dando. O rapaz era bombeiro, se não me engano, mas trabalhava ajudando os amigos a levar os equipamentos de voo livre lá pra cima na plataforma de salto quando tava de folga. Aí, acho que ele sentiu que nós estávamos meio perdidas e resolveu oferecer uma carona até o estacionamento, ou seja, bem na entrada da trilha.

Aceitamos a carona e foi tranquilo, eu e Amanda estávamos um pouquinho nervosas no início, porque depois de entrar no carro é que nos ligamos que poderia ser perigoso, mas foi muito de boa!


A trilha da Pedra Bonita é de fácil dificuldade e você faz todo trajeto numa média de 30 minutos (+ 30 minutos pra descer), podendo ser em até 1 hora pra galera que vai no auge do sol e vai parando pra tomar água ou em 20 minutos pro pessoal que vai de madrugada pra ver o sol nascer.

Eu já fiz a trilha nos dois casos. Ah! E lembrando que sou uma pessoa sedentária, não sou nenhum pouco fitness! A primeira vez que eu fui, levei 1 hora porque fui no horário de 11:00 da manhã com um sol bem quente na cabeça (tudo bem que cheguei lá em cima e tava nublado) e parando toda hora pra tomar água. Na segunda vez, eu fiz às 5:00 da madrugada pra ver o sol nascer e fizemos em 20 minutos subindo com dois cachorros.

A trilha é bem tranquila, muito bem marcada e nada muito íngreme não. Ela é sempre muito movimentada justamente por ser de fácil dificuldade. Houve um ou dois casos de assaltos, mas não é comum. Então, não se preocupe.

Pra mim, a melhor hora pra subir a Pedra Bonita, COM CERTEZA, é o nascer do sol. É maravilhoso ver o sol nascendo lá de cima. E não pense que estará deserto não. Tem sempre muita gente subindo nesse horário também! Mas, é bom ir com amigos pra se sentir mais seguro (a). Quando eu subi às 5:00 da manhã fomos eu, mais dois amigos e dois cachorros e usamos só a lanterna do celular. Cheque no Clima Tempo o horário que o sol vai nascer e programe sua subida pra 40/50 minutos, assim você terá um tempo extra se houver algum imprevisto.

HISTÓRIAS DA MARY: Na hora de ir embora, na primeira vez, eu e Amanda decidimos pegar carona usando o famoso dedinho da carona e um cara parou. Nós duas estávamos entrando atrás aí o cara disse: Powww! Vou ser motorista e riu. Aí eu fui na frente com ele e a Amanda foi atrás, mas as duas não se sentiram muito confortáveis. O cara não fez nada, mas acho que só de pensarmos que ele poderia fazer ficamos meio tensas, mas pegamos a carona até o ponto de ônibus na Auto Estrada Lagoa Barra. Por isso, se decidirem pegar carona, só tomem cuidado e estejam preparados pra qualquer coisa, tipo se jogar do carro em movimento! Hahahaha zoa! MAS, TENHAM CUIDADO SIM!

Dica: Se for fazer a trilha na parte da manhã, vá antes das 10:00 porque o tempo vira muito rápido lá em cima e, às vezes, você vai pegar tudo nublado.

O QUE LEVAR: Filtro solar, água e use um tênis confortável! De madrugada, vale levar uma lanterna e um casaquinho.


"Pra mim, a melhor hora pra subir a Pedra Bonita,com certeza, é no nascer do sol. É maravilhoso ver o sol nascendo lá de cima."

 
2. Urca/Pão de Açúcar | Fácil
A trilha da Urca é uma das mais tradicionais do Rio. É uma trilha de fácil acesso tanto de carro quanto de ônibus. Além de curtir a paisagem sensacional da praia da Urca com o bondinho de fundo, você ainda pode curtir uma trilhazinha delícia cheia de escadas.

O trekking é de fácil dificuldade (ótima para crianças), sem maiores problemas ou perigos pra subir. No entanto, vendo da perspectiva de uma pessoa sedentária como eu, acredito que seja mais cansativa que a trilha da Pedra do Telégrafo, justamente por causa das escadas. Como a trilha é bem sinalizada e marcada com muitas escadas, existe um cansaço real pra galera que tá habituada a passar os fins de semana vendo Netflix. Pra galera mais fitness, acredito que essa seja uma trilha bem fácil.

O início da trilha é na entrada na Pista Cláudio Coutinho, você anda uns 5 minutinhos ou menos e a trilha vai estar sinalizada com uma placa à sua esquerda e já no começo você consegue ver as MILHÕES de escadas que vão se seguir ao longo de quase todo trajeto! A média de subida dessa trilha é de 45 minutos (+ 45 minutos de descida), mas pra galera mais bem preparada fisicamente é possível fazer em 30 minutos de boa.

O final da trilha dá no morro pequeno do bondinho (O Pão de Açúcar tem dois morros, né? Então, essa trilha dá acesso ao pequenininho) e você pode curtir a paisagem das praias da Botafogo, Flamengo, Urca.

Você pode pagar R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia pra subir de bondinho (e descer obviamente) até o morro mais alto ou curtir o puta visual que o morro pequeno já te oferece!

Na hora de descer, você pode descer a pé pelo mesmo caminho que você subiu ou curtir um passeio de bondinho pagando R$ 20,00 a inteira e R$ 10,00 a meia para estudante. Antigamente, a descida de bondinho era gratuita para as pessoas que subiam pela trilha, mas atualmente eles decidiram cobrar um valor da galera pra ajudar na manutenção.

Lembrando que para subir de bondinho desde a praia da Urca o valor está R$ 76,00 inteira e R$ 38,00 meia (ida e volta aos dois morros). Dá uma olhada aqui no site do Bondinho.

Dica: Faça a trilha um pouco antes do pôr do sol, pra curtir o sol se pondo lá de cima. O visual é absolutamente incrível e você tira altas fotos iradas.

O segurança do bondinho disse que não é muito legal descer a trilha à noite, mas acredito que não tenha nada demais, desde que você tenha uma lanterna, porque a trilha não é perigosa, mas é preciso ter cuidado na hora de descer as escadas no escuro.

O QUE LEVAR: Filtro solar, água, biscoito e use um tênis confortável! Se você for pro pôr do sol, vale levar uma lanterna e um casaquinho.

 
3. Pedra do Telégrafo | MODERADA
A trilha da Pedra do Telégrafo fica localizada em Barra de Guaratiba e ficou famosa pelas fotos em perspectiva com as praias selvagens de Guaratiba ao fundo, que na verdade são tiradas na Pedra do Cavalo, mas ok. A trilha é de fácil dificuldade, no entanto, você pode ter alguns problemas com escorregões, já que tem algumas partes íngremes de terra batida, ou seja, o tênis pode dar uma derrapada básica. Por isso, dependendo da idade ou do preparo físico, algumas pessoas podem considerar essa trilha de dificuldade moderada (nada perigoso ou impossível de fazer, relaxa!).

A trilha é bem marcada (fique de olho nas marcações de uma pegada feita nas cores amarelo e preto), apesar de ser mais longa que a da Pedra Bonita. A média de subida do pessoal é de 45 minutos (+ 45 minutos pra descer), podendo chegar a 1h15 por causa das paradas pra descanso. O acesso a essa trilha é fácil pra quem vai de carro e mais chatinho pra quem vai de transporte público.

Dica: Tentem fazer essa trilha durante a semana, porque vocês terão tempo livre pra fazer várias fotos em perspectiva. Se decidirem ir no final de semana, estejam preparados para enfrentar uma fila de 2 a 3 horas para tirar três ou quarto fotos com dezenas de pessoas gritando no teu ouvido. Ah! Tem uma galera que faz essa trilha perto do por do sol e curte bastante!

ACESSO:
De transporte público:
- Pegue o BRT no Terminal Alvorada sentido Pingo D’Água;
- Desça na estação Ilha de Guaratiba e atravesse a rua pra pegar o ônibus até a praia de Guaratiba;
- Pegue o ônibus 867 e desça no ponto final na praia da Guaratiba (alguma pessoas disseram que o 874A Marambaia também deixa na boca pra trilha);
- PS: Se o ônibus tiver demorando muito, você pode rachar um táxi com os amigos que dá mais ou menos R$ 30,00 no total.
- Informe-se onde é o início da trilha da Pedra do Telégrafo - todos sabem te informar.

De carro: Se você tiver vindo de Campo Grande ou Santa Cruz, siga em direção à Barra da Tijuca e entre em Barra de Guaratiba, siga até Praia Grande. Se você estiver vindo da Barra de Tijuca ou do Centro, pegue a Avenida das Américas e atravesse o Túnel da Grota Funda, depois do Túnel entre em Barra de Guaratiba e siga até a Praia Grande. Você pode parar seu carro no estacionamento e ir andando uns 30 minutos até a famosa pedra das fotos em perspectiva.

O QUE LEVAR: Filtro solar, água, biscoito e use um tênis confortável! Se você for pro pôr do sol, vale levar uma lanterna e um casaquinho.

 
4. Dois Irmãos | MODERADA/DIFÍCIL
A trilha do Dois Irmãos é sensacional e você vai curtir muitoooo! Ela fica localizada dentro da comunidade do Vidigal e te dá um panorama das praias da Zona Sul (Ipanema, Copacabana, Arpoador) e da Lagoa Rodrigo de Freitas.

Eu coloquei essa trilha com a dificuldade elevada porque subi com duas meninas que conheci na hora e uma delas escorregou várias vezes e a maior parte do caminho meu namorado ia puxando ela. A trilha não é difícil a ponto de você precisar de guia, mas é perigosa porque tem partes bem escorregadias por causa do barro/areia seca e árvores com espinhos enormes, que se você não estiver atento vai enfiar a mão e sair machucado (eu mesma quase agarrei em uma árvore cheia de espinhos pra fazer de alavanca pro meu impulso, quando meu namorado gritou pra não colocar a mão). Mas, relaxa! Dá pra fazer essa trilha de boa, sem guia e curtindo as paisagens. É só ter cuidado onde pisa e onde enfia a mão e estar preparado pra levar uns escorregões básicos rs!

A trilha dura em média uns 45/50 minutos (+ 45 minutos), mas como tem muita parte escorregadia (mesmo quando não chove) tem uma galera que faz em até 1h20.

Pra chegar na entrada da trilha você precisa descer na praça do Vidigal, ali na Niemeyer e pegar uma van (R$ 3,80) ou um mototáxi (R$ 10,00) e pedir pra te deixar na quadra da Vila Olímpica na entrada da trilha do Dois Irmão. Geral do morro sabe onde é a trilha e todo mundo te explica na boa.

A van tem a vantagem de ser mais barata, mas só sobe quando está cheia (8 pessoas) e aí tem a desvantagem de você ter que ficar esperando sabe lá Deus quanto tempo até encher isso! O mototáxi é mais caro, mas tem a vantagem de te deixar em 5 minutos lá na entrada da trilha e você ainda tirar uma onda que andou de mototáxi no Vidigal! Rs

Como só fomos eu e meu namorado e o tempo tava querendo mudar, não pudemos esperar a van e decidimos ir de mototáxi mesmo. Eu tava tremendo que nem uma vara, porque já tive dois acidentes de moto e eu tenho muitooo medo de subir numa moto, porque não sei me comportar (eu boto o pé no chão junto com o motorista, eu viro pro outro lado na hora da curva, ou seja, eu sou uma pessoa perigosa para se estar junto em cima de uma moto). Já meu namorado que é tcheco não perdeu tempo, subiu na garupa do cara, botou o capacete, deu tchau e quando vi ele já tinha ido!

Eu fiquei lá embaixo explicando pro moço ir bem devagar e tal e ele disse pra confiar que ia dar tudo certo. Sei que botei o capacete, agarrei na cintura dele e fechei os olhos. O cara ia conversando comigo pra me deixar calma, apesar de eu achar que ele devia só dirigir. Aí ele disse: Tá vendo isso? É lindo né? E eu disse: Tô vendo nada moço, to de olho fechado. Tá chegando? Aí ele: Abre o olho menina, olha a favela como é linda! Caraaaaaa! A hora que eu abri o olho e vi aquelas milhões de casas uma em cima da outra, mas que de alguma forma era harmônica, eu disse: Nossa! É mesmo moço! rsrs

Rapidinho chegamos na entrada da Vila Olímpica, pagamos eles e um deles disse: Ó teu namorado gringo curte uma caipirinha? Aí eu disse: Curte sim! Aí ele disse: Então, leva ele lá no Bar da Lage! Ele vai amar!

Anotamos o nome do lugar e seguimos pra trilha, que é bem sinalizada e tem diversas paradas ao longo do caminho para fotos lindas. Tem até um mocinho que fica super bem posicionado no meio da trilha vendendo água, refrigerante e guaravita pra galera!

Você sobe sobe sobe sobe, até chegar numa área mais aberta com um puta visual pra favela da Rocinha, esse não é o topo ainda. Descanse uns 5 minutinhos, beba água, tire fotos e continue por mais 15/20 minutos. Vai ter outra área mais aberta, até um pouco perigosa porque é bem escorregadia, mas ainda não é o topo. Continue subindo! Agora tá pertinho!

O topo é assim que você vê um retângulo de concreto, aí você anda para esquerda e vai ver o visual MA-RA-VI-LHO-SO da Zona Sul lá de cima! É SENSACIONAL!!!!! Tem uma galera que vê o nascer e o pôr do sol dessa trilha e diz que é incrível também!

Na hora de descer, tenha cuidado com as partes escorregadias, porque se pra subir já tava escorregando, imagina pra descer que todo santo ajuda?! Aí é que tu vai embora mesmo, então, tenha muito cuidado!

Chegamos no fim da trilha e decidimos ir lá conferir o tal Bar da Lage que o cara do mototáxi indicou. O caminho é o seguinte:
Saindo da trilha, você vai passar o campo de grama sintética e já virar na rua que tá subindo a sua esquerda anda até o final (meio que uma ladeirinha) e vira a esquerda de novo e você vai ver a cabine da UPP, chegando na cabine, vire a sua direita e siga até o final, lá você vai ver uma casinha com uma placa de Tapioca a sua esquerda. O Bar da Lage é em cima dessa casa.

Lá é lugar pra gringo, os preços são um pouquinho salgados, mas vou te falar que curti muito! Você entra e eles te dão uma comanda e o garçom vem na mesa e anota os pedidos. Mark pediu cerveja e eu uma água e os dois comeram um feijão amigo que tava DOS DEUSES! Sério! Tava muito bom aquele feijão amigo, só o preço que não tava tão amigável (R$ 12,00 cada copinho), mas valeu muito a pena só pelo visual e pelo ambiente super legal que tivemos lá do Bar da Lage!

Depois descemos e comemos uma tapioca na casa debaixo e óóó só fomos comer de novo à noite! Enchemos a barriga de comida e foi sensacional! Todo mundo muito receptivo e as comidas deliciosas!

Na hora de descer o morro, não tem tanta oferta de mototáxi e van como na subida, então decidimos descer andando mesmo (25 minutos) e ir curtindo o clima do Vidigal que está pacificado e super tranquilo pra se frequentar (segundo os moradores). Tem altas festas iradas e super badaladas com um puta visual pras praias do Leblon e Ipanema! Vale a pena dar uma conferida nas festas que tão rolando por lá!

O QUE LEVAR: Filtro solar, água, biscoito e use um tênis confortável! Se você for pro nascer ou pro pôr do sol, vale levar uma lanterna e um casaquinho.

 
Espero que vocês tenham curtido o Rio de uma forma diferente e que marquem com os amigos de fazer essas trilhas o mais rápido possível! Qualquer dúvida me manda um e-mail, tá?

Maryana Teles
Maryana Teles
Carioca, publicitária e apaixonada (digamos que, talvez, viciada) por viagens de estilo low cost. 25 países na bagagem e muitas histórias, micos, dicas e inspirações pra quem também vive (ou quer viver) uma VIDA MOCHILEIRA!
  • Fernando Prota

    Curti as dias das trilhas! Pretendo aproveitar mais nas próximas vezes no Rio…

    Na última vez que fui fiz a trilha do Cantagalo com o pessoal da Free Hiking Rio.Recomendo!

    • Vida Mochileira

      Que ótimo Fernando!

      Bom saber que você também curte uma boas trilhas! Se tiver dicas de outras trilhas legais me fala que eu também quero aproveitar mais do Rio, ainda mais agora que tô morando longe da Cidade Marvilhosa!