Worldpackers: Como foi a minha primeira experiência

0
201

 

Eu fiz um post super ultra mega completo sobre todas as possíveis dúvidas que vocês poderiam ter sobre a plataforma Worldpackers e sobre esse lance de viajar barato trocando sua força de trabalho por acomodação e comida. Se você ainda não leu esse post, eu super recomendo que você leia ele agora! 

 UMA BREVE DESCRIÇÃO DO QUE É A WORLDPACKERS

A Worldpackers é uma plataforma brasileira que permite você viajar e trabalhar durante a viagem trocando sua força de trabalho (habilidade, vontade de aprender e ajudar) e seu tempo – durante algumas horas do seu dia – por acomodação e comida em vários países do mundo.

Você tem acesso a todos os projetos e todas as oportunidades e benefícios que cada anfitrião (estabelecimentos cadastrados e analisados) oferece. Vai conseguir checar se aquela cidade que você quer conhecer tem anfitriões legais pra te receber, vai conseguir entender se o que eles te pedem você consegue oferecer e vai conseguir ver que dá pra conciliar o trabalho com o turismo no local.

No entanto, pra ter acesso à:

– Candidatura nas vagas;

– Conversas com os anfitriões;

– Confirmação de aceite da hospedagem;

– Suporte da Worldpackers antes, durante e depois da viagem;

– Uma conta verificada que aumenta suas chances de ser aceito pelos anfitriões.

Você precisa pagar 49,00 dólares anuais! Você só paga uma vez e pode usar quantas vezes você quiser em quais países você quiser por 365 dias a partir do dia que você faz sua inscrição! Ahhh! Esse valor de 49,00 dólares é fixo, ou seja, todo mundo paga a mesma taxa de inscrição não importa que destino escolha ir primeiro, já que a plataforma te dá direito de viajar pelo mundo todo num prazo de 1 ano com essa única taxa.

OBS: Usando meu código VIDAMOCHILEIRA#WP você ganha 10,00 dólares de desconto e só paga 39,00 dólares por ano pra viajar de forma ilimitada pra onde você quiser sem pagar por acomodação e muitas vezes sem gastar, ou gastando muito pouco, com comida.

Pense nas viagens que você quer fazer, se planeje e se cadastre na Worldpackers pra fazer viagens mais econômicas e com um tipo de vivência completamente diferente.

DICA ESPERTA: O dólar tá caro sim e muita gente vai usar o argumento de que não tem R$ 145,00 reais pra gastar, mas o que eu posso te dizer é que esse dinheiro não será um gasto e sim um investimento em viagens futuras.

Se você gosta de viajar, vale a pena investir uma única vez esses 39,00 dólares pra usar a plataforma quantas vezes quiser, não gastar com acomodação em nenhum dos destinos que você for, não gastar (ou gastar muito pouco) com comida e ter uma experiência de turismo diferente através dos olhos de quem é nativo ou mora lá há muitos anos.

MINHA EXPERIÊNCIA COM A WORLDPACKERS

Eu já tava querendo usar a plataforma da Worldpackers há muito tempo, desde que vários amigos usaram, gostaram e hoje vivem viajando assim. Por isso, decidi que já tava mais do que na hora de eu tentar também! Como a maioria aqui sabe, eu moro na Inglaterra, mas todo ano visito o Brasil por pelo menos 1 mês pra rever a família e os amigos. Mas, nesse ano de 2018 eu prolonguei essa visita um pouco mais e decidi ficar por 4 meses. Durante esse 4 meses eu me planejei pra fazer muitas coisas além de só rever a galera. Queria viajar mais pelo Brasil (que não conheço quase nada) e ter experiências reais e profundas com as minhas viagens (não queria viajar só por viajar ou viajar pra postar). Foi então que me veio um estalo: Por que não começar usando a plataforma da Worldpackers no Brasil?

Eu escolhi Paraty pra ser o meu primeiro destino usando a plataforma porque sempre quis comhecer essa cidade. Eu queria alguma coisa perto da natureza onde eu pudesse acalmar meus pensamentos e viver uma experiência tanto de viagem de turismo como uma viagem interna! Como eu tava viajando sozinha organizei tudo no meu tempo e escolhi meu anfitrião a partir das minhas necessidades daquele momento. ⠀

Pelo aplicativo da Worldpackers no celular eu comecei a busca do meu anfitrião. Na parte do estilo de trabalho que eu queria desenvolver na viagem eu escolhi os três tipo disponíveis: por habilidades, em ONG’s com trabalhos sociais e projetos ecológicos em fazendas e eco vilas. Digitei também o destino como sendo Paraty e como eu não me importava com a questão da acomodação ser em quarto privado ou compartilhado nem marquei nada de preferência, assim como deixei livre o filtro do aplicativo me mostrar tanto opções de anfitriões que davam todas as refeições do dia e de anfitriões que garantiam pelo menos uma refeição gratuita no estabelecimento.

O aplicativo processou por menos de 1 minuto e me mostrou que tinham 29 anfitriões disponíveis em Paraty, aí eu escolhi umas seis pousadas e mandei várias mensagens no chat do próprio aplicativo! Toda vez que eu selecionava um anfitrião pra me inscrever na vaga eu precisava preencher as minhas datas disponíveis pra início e término do “voluntariado” (no meu caso escolhi ficar por 4 dias) e também preencher um formulário básico com as seguintes informações: porque eu gostei da vaga e o que ela tinha a ver com seus objetivos, contar um pouco sobre mim, quais são os meus planos, o que eu faço e o que eu quero fazer, com o que eu posso contribuir pro estabelecimento/projeto, etc. Cada anfitrião fazia um formulário diferente que geralmente não dava mais de 4 perguntas dentre essa aí de cima.

Cada anfitrião também colocava na sua descrição qual era o tempo mínimo e o tempo máximo que precisava que os voluntários ficassem. Eu analisei muito isso na hora de escolher meu anfitrião porque precisava acomodar a viagem de Paraty entre outras viagens que eu também já tinha planejado antes. A pousada que me respondeu mais rápido (em torno de 2 dias) e foi super receptiva foi a Pousada e Chalé Minas Paraty. Conversei com o dono da pousada por alguns minutos e logo já fui aprovada.

UMA DICA NA HORA DE CONVERSAR COM OS ANFITRIÕES: Converse bastante com seu anfitrião no chat, entenda direitinho onde é o estabelecimento/projeto (como chega, quais são os transportes que passam lá, etc), como será a refeição (tem hora, que tipo de refeição, etc), confirme o tipo de acomodação que será (mesmo que já esteja escrito na descrição da vaga) e o mais importante: entenda como serão suas horas de trabalho (flexíveis, por turnos, etc) e qual será efetivamente seu trabalho naquele estabelecimento/projeto.

Na data marcada eu cheguei à tarde e fui recebida super bem. Me ofereceram almoço e logo me explicaram qual seria meu trabalho durante aqueles 4 dias de Worldpackers. O meu trabalho era basicamente rastelar o terreno todo da pousada (pra quem não sabe o que é rastelar, é basicamente varrer com um rastelo as folhas do chão). Eu tinha que trabalhar 6 horas por dia e eu podia fazer meu próprio horário. Então, nos dois primeiros dias trabalhei bem cedo na parte da manhã e 13:00 já tava liberada pra turistar. No meu terceiro dia eu decidi inverter e fui turistar de manhã e voltei 13:30 pra trabalhar, mas poderia ter voltado até um pouco mais tarde se eu quisesse (voltei cedo porque o tempo fechou e começou a chover).

Quando eu acabei o trabalho do primeiro dia fui logo pra Praia do Meio em Trindade e fiquei lá a tarde toda com um sorriso estampado no meu rosto de quem não tava acreditando que tava vivendo tudo aquilo. No segundo dia eu decidi conhecer o centro histórico de Paraty e foi lindo demais, passeei pelas ruas do centrinho, parei pra ver e apreciar artistas de rua cantando e dançando e tirei muitas fotos em 5931 portas coloridas.

No terceiro dia eu fui de novo pra Praia do Meio em Trindade, mas dessa vez fui bem cedinho, 8:00 da manhã eu já tava lá estendida na areia que nem uma lagartixa, subi numa pedra pra ver a praia lá de cima e acabei fazendo dois amigos (também mochileiros) que me deram dicas de outras coisas pra fazer ali por perto. Ahhh! Só pra deixar claro, fui pra Paraty sem roteiro e sem ter nenhuma ideia do que fazer justamente porque queria viver uma viagem diferente através dos olhos das pessoas locais que iam me dizendo o que eu não podia deixar de fazer pela região.

Nesse terceiro dia eu fiz três trilhas: uma pra praia do Caixa D’aço, outra pras piscinas naturais e outra pra pedra que engole. Na pedra que engole eu fiz mais outros vários amigos que por sinal moram nas cidades dos meus próximos destinos (São Tomé das Letras e São Paulo), me deram várias dicas do que fazer nessas cidades e acabamos trocando Whatsapp pra manter a comunicação de forma mais fácil. Esse dia foi simplesmente incrível e fiquei com uma sensação maravilhosa de liberdade e independência.

Como eu fui muito sagaz no meu trabalho de rastelar o terreno e acabei tudo antes do que meu anfitrião imaginava, nós criamos outros trabalhos pra mim: arrumar um quarto bagunçado da pousada, arrumar a área comum e a cozinha da pousada (com direito à organização do armário das panelas). Como eu sou uma pessoa que realmente ama organizar coisas fiquei super feliz e satisfeita com meu trabalho.

A pousada me ofereceu acomodação num quarto compartilhado pra quatro pessoas, mas como só tinha eu na pousada (hóspedes chegaram no meu terceiro dia de trabalho e ficaram num chalé) acabei ficando com o quarto compartilhado só pra mim, o que foi ótimo já que o quarto também tinha banheiro.

Eu tinha direito à uma refeição por dia, que no aplicativo mostrava ser café da manhã, mas na hora me ofereceram todos os dias almoço (o que pra mim foi muito melhor). Então, eu fui no mercado e comprei um pacote de macarrão, salsichas, molho de tomate, pão de forma e uma dúzia de ovos e paguei R$ 21,00 reais por tudo isso que deu tranquilamente pros 4 dias que eu fiquei lá. Se você me perguntar agora com o que eu gastei nessa minha viagem pra Paraty eu te respondo com um sorriso estampado no rosto:

R$ 21,00 de comida;

R$ 81,20 ônibus pra Rio X Paraty;

R$ 73,50 ônibus Paraty X Rio;

R$ 4,25 x 7 = R$ 29,75 ônibus pra ir e vir da pousada pra Trindade e centrinho e Paraty

Eu turistei muito bem, fiz tudo que eu queria (tendo em vista que eu não fiz roteiro), super me conectei com a natureza de uma forma especial já que a pousada ficava no meio da mata, fiz a viagem interna que eu queria pra me reconectar comigo mesma e ainda fiz vários amigos que estão me aguardando pra conhecer os famosos festivais de Paraty.

O QUE EU GANHO QUANDO ME CADASTRO NA WORLDPACKERS?

A possibilidade de viajar de forma mais econômica pelo mundo todo – com a certeza de ter hospedagem e, pelo menos, uma refeição por dia em troca do seu trabalho. Além disso, você poderá viver uma experiência diferente com nativos do destino que você estiver visitando e, é claro, vai poder fazer novos amigos durante a sua estadia no local.

A Worldpackers NÃO financia o transporte do viajante até o destino escolhidoTodas as despesas com transporte, visto, seguro viagem, comida extra (que não está incluída no benefício descrito pelo anfitrião) e passeios são de responsabilidade do viajante.

Eu tô curtindo muito a plataforma da Worldpackers por que acho que é uma forma barata de viajar já que você já tem a sua hospedagem e comida pagas através da plataforma, então você já economiza boa parte do dinheiro que você iria gastar numa viagem. Você consegue turistar pelos lugares durante as suas folgas ou quando você termina seu trabalho no anfitrião e, pra mim, o ponto mais legal de viajar nesse estilo é vivenciar uma experiência de viagem mais profunda não só como turista, mas como parte do local, já que você vai estar em contato direto com moradores daquele lugar e consequentemente vai interagir de forma diferente com aquele destino.

Essa foi a minha primeira experiência usando a plataforma da Worldpackers e já posso dizer que quero usar muitas outras vezes! 🙌 ⠀

 

Espero que esse post tenha sido útil e se você conhece alguma pessoa que precisa ler isso, compartilha o link com ela!

Ahhh! Me segue lá no Instagram (@vidamochileira) pra ver as minhas aventuras em tempo real.

Beijos

Mary⠀ ⠀

 

Gostou das dicas do blog?

Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso e recomendo:

– Worldpackers ($10 dólares OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA#WP): Worldpackers
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb
– Seguro Viagem (5% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA5): Seguros Promo
– Fale Inglês de GRAÇA (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10): Fale Inglês de GRAÇA
– Aluguel de carro: Rentcars
– Passeios no Atacama e Salar de Uyuni (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10):
Entre em contato com a @fuigosteitrips pelo e-mail: trips@fuigosteicontei.com.br

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras!