Parque Nacional de Khao Sok Tailândia

0
1387

Oiii gente! Tudo bem?

Quero dividir com vocês um relato de uma experiência incrível que tive a oportunidade de vivenciar esse ano (2018) num paraíso pouco explorado pelos brasileiros que visitam a Tailândia focando em fazer o roteiro só com os lugares clichês. Calma! Eu também fui esse tipo de turista em 2017 quando fiquei apenas 18 dias no país e tive que fazer o famoso roteiro pingado – um dia aqui, dois dias ali, três dias lá e já partia pro próximo destino.

Mas, como em 2018 eu tive a oportunidade de morar em Koh Phi Phi por 3 meses pra fazer um curso de mergulho, eu achei que seria uma ótima chance pra fazer coisas diferentes. Tiramos 4 dias de folga no curso de mergulho e saímos de Koh Phi Phi em direção à Krabi onde de lá pegaríamos uma van até Khao Sok!

 

SOBRE KHAO SOK

O Parque Nacional de Khao Sok tem um site com várias informações e dicas pra quem quer explorar a região. CLIQUE AQUI pra visitar o site.

Retirei uma parte do texto do site e traduzi:

“Khao Sok está perfeitamente situado no continente entre Phuket, Krabi, Khao Lak e Koh Samui, os destinos mais populares no sul da Tailândia. É um lugar fantástico para ir de férias. Encontros com elefantes resgatados, caminhada na selva a pé e canoagem são atividades possíveis, que te darão a experiência de uma vida.

Uma das áreas mais interessantes é o belíssimo Lago Cheow Larn, no coração do Parque Nacional, com suas casas flutuantes e tendas de luxo – uma parada imperdível! Como a diversidade que Khao Sok tem para oferecer pode ser bastante avassaladora em primeiro lugar, é interessante que você faça suas visitas com guias treinados. ”

Bom, agora uma descrição nas minhas próprias palavras: Khao Sok é um lugar extremamente rico em energia. A energia que você sente ao chegar na região é incrível. Como é um lugar rodeado de natureza, árvores, animais e tem pouca tecnologia (você não encontra sinal de internet e nem wifi quando está dentro do Parque), você se sente mais conectado com o lugar e com a experiência que vive quando está lá.

Khao Sok é um parque nacional enorme e você pode explorar esse lugar de diversas formas. Dá pra atravessar o parque fazendo trilha e acampando à noite em mata fechada (é muito importante ter guias treinados), dá pra entrar pela parte da cidade (onde você chega de van) e ir explorando as trilhas já marcadas (não tem necessidade de guia), dá pra ir nas cachoeiras da região, dá pra visitar os mirantes lindos da cidade, dá pra visitar os elefantes resgatados e dá pra fazer excursões pra conhecer o famoso lago Cheow Larn, a famosa Little Gui Lin (uma réplica pequena da Halong Bay no Vietnã) e explorar cavernas enormes.

 

COMO CHEGAR EM KHAO SOK

– Avião + ônibus: O aeroporto mais próximo é o de Surat Thani. Essa opção é mais complicada porque você precisa pegar um tuk-tuk ou táxi até a estação de ônibus e depois pegar um ônibus até Khao Sok (mais ou menos 130,00 Baht por pessoa. O trajeto leva em média 2 horas e tem ônibus disponível das 7:00 às 17:30).

Se você estiver no aeroporto de Phuket, você pode ir até a estação de ônibus em Phuket Town e pegar um ônibus de lá até Khao Sok. Os ônibus saem diariamente (mais ou menos 160,00 Baht por pessoa e o trajeto dura 2 horas).

Se você chegar no aeroporto de Krabi só existe um único horário de mini van por dia, que sai às 11:00 do aeroporto de Krabi pra Khao Sok e custa cerca de 300,00 Baht e demora mais ou menos 2h30min a 3 horas.

– Ônibus: Se você estiver em Bangkok pode optar por fazer o trajeto até Khao Sok de ônibus noturno. Mas, cuidado! Verifique se seu ônibus vai mesmo até Khao Sok ou se te deixa no aeroporto de Surat Thani, porque existem dois tipos de ônibus e se você pegar o que te deixa no aeroporto vai perder mais tempo e gastar mais dinheiro.

Ferry + van: Você pode fechar um pacote de ferry + van saindo de Koh Phi Phi, Koh Lanta, Ko Tao, Koh Samui e Koh Phangan (você pode fechar esse pacote em qualquer agência de turismo das ilhas. É super fácil e muito prático). O valor normal do pacote (ferry + van) saindo de Koh PhiPhi é de 650,00 Baht, mas pedimos desconto e conseguimos por 630,00 Baht por pessoa. Acredito que o valor no geral saindo das outras ilhas deva variar entre 650,00 e 900,00 Baht.

A gente pegou nosso ferry em Koh Phi Phi e quando chegamos no porto de Krabi já tinha um cara esperando a gente gritando “Khao Sok”. Esperamos o resto do pessoal que ia com a gente na van e seguimos viagem direto pra Khao Sok, só parando uma vez pra ir no banheiro (o trajeto de Koh Phi Phi até Khao Sok dá em torno de 4h30min no total – 2 horas de ferry + 2h30 minutos de van).

Chegando em Khao Sok, você não chega já dentro do parque, você chega numa área, que obviamente gira em torno do parque, então tem vários hostels, passeios e excursões sendo oferecidos por lá. Nós descemos da van e logo vieram os taxistas oferecendo o serviço pra levar a gente pro hostel, mas a gente tinha visto no Google Maps que dava 20 minutos andando até o hostel, então preferimos ir andando.

Do nosso hostel até a entrada do Parque Nacional dava mais ou menos 20 minutos andando. Mas, essa entrada do parque não é a famosa entrada pro Lago Cheow Larn (pra ir pra esse Lago você precisa fazer 1 hora de viagem – de van ou moto – pro outro lado do parque). Nessa entrada que ficava perto do nosso hostel você consegue fazer trilhas pelo parque pra ir nas cachoeiras que são incríveis e também consegue explorar bastante a fauna e flora do lugar.

QUAL É A MELHOR ÉPOCA DO ANO PRA VISITAR KHAO SOK TAILÂNDIA

A melhor época pra visitar Khao Sok é entre Dezembro e Março (alta temporada e período mais seco na região, com poucas chuvas).

Em média, faz muito calor durante todo o ano, mas o problema é que a partir de Abril começa o período de chuvas e por ser uma região muito úmida, quando chove, chove mesmo (bastante) e acaba prejudicando a viagem, já que tudo que tem pra fazer em Khao Sok envolve entrar em mata fechada ou passeios a céu aberto que com chuva não ficam muito legais.

Os meses mais chuvosos são Junho, Julho, Agosto e Setembro.

Nós visitamos Khao Sok no finalzinho do mês de Abril e pegamos 1 dia inteiro de chuva (o que prejudicou bastante nossa experiência, porque quando a chuva parou faltavam apenas 2 horas pra fechar o parque e não conseguimos explorar as cachoeiras da região – até porque tudo estava bem escorregadio e perigoso). Mas, aproveitamos 1 dia e meio de sol e valeu muito a pena. Imagina se nossos 3 dias fossem de muito sol… Seria ainda mais incrível!

 

NOSSO ROTEIRO DE 3 DIAS EM KHAO SOK

Bom, como eu senti muita dificuldade de achar blogs que falassem sobre o Parque Nacional de Khao Sok, eu vou tentar relatar a minha experiência com o maior número de detalhes que eu lembrar pra ajudar quem tá pensando em ir pra lá!

DIA 1

Como eu falei antes, nós saímos de Koh Phi Phi em direção a Khao Sok. Depois de pesquisar muito, decidimos que a opção mais em conta e mais prática seria fechar o pacote do ferry + van numa agência de turismo em PhiPhi mesmo. Quase todas as agências de turismo vendem esse pacote, mas os preços são diferentes. Então, pesquise muito antes de fechar o seu passeio. Nós fechamos numa agência que ficava na rua principal de Koh Phi Phi (saindo do píer e virando sua segunda direita vão ter várias lojinhas vendendo esse pacote, pesquise os preços e depois pechinche!).

O cara queria nos cobrar 650,00 Baht (R$ 65,00) pelo pacote do ferry + van e pedimos um desconto e ele fez por 630,00 Baht (R$ 63,00) por pessoa. O trajeto total aconteceu assim:

Pegamos o ferry em Koh Phi Phi às 9:00 e chegamos no porto de Krabi às 11:00. Assim que saímos da porta tinha um cara gritando “Khao Sok” e logo mostramos nosso ticket pra ele e ele disse que era pra gente esperar sentado no banquinho porque tinham outras pessoas que iam junto com a gente na van. Esperamos uns 15 minutos e depois que todo mundo chegou e se reuniu, andamos juntos em direção à van, que estava parada no estacionamento.

Pegamos nossa van às 11:30 em direção a Khao Sok. Paramos 15 minutos num mercadinho de rua pra comer e fazer xixi (12:45). Seguimos viagem às 13:00 e chegamos na região de Khao Sok às 14:30. A van era meio velha e tinha um ar condicionado ok (nem muito frio e nem desligado). O motorista dirigia bem rápido, que nem um maluco e por algumas vezes ficamos com medo de acontecer algum acidente (eu preferi fechar meus olhos e dormir porque estava ficando angustiada com o jeito barbeiro que o motorista dirigia).

Chegando lá, logo vieram vários taxistas oferecendo o serviço pra levar a gente pro hostel, mas a gente tinha visto no Google Maps que dava 20 minutos andando até o hostel, então preferimos ir andando mesmo.

A gente não tinha reservado hostel ainda, mas tínhamos a referência de um hostel que uma amiga ficou e curtiu muito, então fomos andando pra tentar a sorte nele primeiro e se não tivesse vaga a gente ia de hostel em hostel (tem muitos hostel/hotel na região em torno do parque). Óbvio, que no nosso caso, estávamos visitando Khao Sok na baixa temporada e por isso resolvemos tentar a sorte, mas se você for na alta temporada recomendo reservar seu hostel antes, porque lota rápido!

Chegamos no Khao Sok Jungle Huts que tem a opção de hotel e a opção de hostel. Como a gente tava num grupo de 3 pessoas, decidimos nos dar um pouco mais de conforto e dividir um quarto no hotel mesmo. Demos  muita sorte porque fomos os últimos a conseguir vaga no hotel. O casal que chegou depois da gente teve que procurar vaga em outro hotel porque tanto o hotel quanto o hostel estavam lotados.

Deixamos nossas coisas no quarto e fomos logo explorar a região – primeira parada almoço hahahahaha. A recepcionista do nosso hotel era muito simpática e super prestativa. Ela deu várias dicas legais pra gente (o que visitar dentro do parque, qual melhor passeio em relação ao custo X benefício X tempo que a gente tinha em Khao Sok). Chegamos no hotel mais ou menos às 15:00 e estávamos morrendo de fome porque nossa última refeição foi o café da manhã que tomamos em Koh Phi Phi às 8:30.

Apesar do hotel ter um restaurante, a gente quis andar pela região porque vimos que tinham vários restaurantes na rua principal. Andamos uns 8 minutos (ou nem isso) e paramos pra almoçar e esperar a chuva passar! Sim! Quando colocamos o pé no restaurante o mundo desabou lá fora.

Depois que a chuva passou decidimos seguir o conselho da recepcionista e caminhar 25 minutos até o view point de Khao Sok que é lindo demais. O View Point de Khao Sok fica a 200 metros da onde a van deixa a gente! Você anda pela estrada mesmo (pelo acostamento), então tem que ter muito cuidado! É simplesmente incrível! Vale a pena e é de graça hahahahaha.

Voltamos andando do view point e fomos direto pro hotel. No nosso quarto tinha uma brochura com vários passeios que o hotel oferecia e eu já tinha ido em duas agências de turismo na volta do view point pra ver os preços dos passeios. Conversamos com a recepcionista do hotel e negociamos com ela o pacote de 2 dias e 1 noite no Lago (2.500,00 Baht por pessoa) – sem a taxa do Parque (300,00 Baht por pessoa) incluída. Como o preço do passeio é tabelado (realmente era o mesmo preço que as agências cobraram), ela ofereceu pra gente o café da manhã do hotel de graça (café, chá, suco, frutas e pão com ovo), assim, poderíamos ir pro passeio já de barriga cheia hahahahaha. Pagamos o passeio e deixamos tudo certo pro dia seguinte!

Eu tava exausta por causa da viagem de translado (ferry + van) porque eu sempre enjoo nesse tipo de baldeação e apesar de eu ter tomado remédio pra enjoo, eu tava me sentindo super cansada. Tomei um banho e fui logo deitar na cama (que era maravilhosa por sinal) e fiquei atualizando o Instagram com stories e fotos no feed e fazendo as anotações pra dar origem a esse post. Enquanto isso, Mark e o amigo foram pro restaurante do hotel tomar uma cerveja e comer uns petiscos. Fomos dormir super cedo porque o dia seguinte seria longo!

DIA 2

Acordamos cedinho pra tomar café da manhã e arrumar nossas mochilas pra pernoitar no Lago Cheow Larn. Vou fazer aqui uma observação: Nós viajamos apenas com uma mochilinha de 20L (nossas mochilas de ataque), como a gente tava morando em Koh Phi Phi, deixamos nossos mochilões lá e fomos só com 3 mudas de roupa (calcinhas, sutiã e meias também hahahahaha), roupas de banho e uma toalha de microfibra. Mas, nada te impede de viajar com seu mochilão e deixar o mochilão no hotel (na sala de bagagem) e levar só a mochila de ataque pra pernoitar no Lago.

A van chegou às 9:00 e quando passamos pela recepção, a recepcionista veio correndo nos entregar uma lanterna pra cada um (fazia parte do pacote que tínhamos fechado) pro dia que iríamos explorar a caverna. Esse passeio é feito num grupo de 20 a 26 pessoas. São duas vans (com 13 pessoas cada) que se encontram na entrada do Lago e fazem os passeios num grupo grande.

OBS: Eu odeio fazer passeio de excursão (com mó cabeçada). Acho “uó” fazer esses passeios de grupão onde temos que seguir um cronograma corrido, mas confesso que esse passeio de Khao Sok me surpreendeu positivamente por dois motivos. 1- Não achei corrido. Pelo contrário, nosso tempo foi perfeito pra cada atividade e deu pra relaxar bastante. 2- Apesar do grupo ser grande, a gente não sentia que era tão grande porque estávamos sempre separados em duas vans ou dois long tails ou na selva com mais de 1 guia, então, pra ser sincera, parecia que nosso grupo era de 13 pessoas e foi super tranquilo.

Às 9:50 fizemos uma parada de 20 minutos pra ir ao banheiro (tem que pagar 5,00 Baht pra usar o banheiro). Essa parada é legal também pra quem precisa comprar alguma coisa que esqueceu. Tem várias lojinhas que vendem chapéu, protetor solar, repelente, óculos de sol, bolsas impermeáveis, bebida, comida, biscoitos, etc. Às 10:15 voltamos pra estrada e seguimos viagem até o Lago. Chegamos no Lago (10:45) pra pegar um barco que nos levaria até os bangalôs que dormiríamos naquela noite. Nesse momento, encontramos com o grupo da outra van.

Às 11:00 pegamos um barco com total de 18 pessoas e atravessamos o Lago pra chegar na parte dos bangalôs! Chegamos nos bangalôs às 11:50. A travessia de barco é super tranquila e as paisagens são incríveis. Você começa a entender a energia do lugar já no começo dessa aventura, quando olha pros lados e vê a imensidão do lago e as margens repletas de árvores (selva) e a paz que aquele lugar transmite. É maravilhoso! Curta bastante essa travessia.

DICA: Seja o último a entrar no barco pra ficar na frente, curtir melhor a paisagem e tirar fotos boas! Geralmente a galera que entra primeiro senta no final do barco perto do moto e além de ser super barulhento não te proporciona uma visão ampla. Eu fui a última a entrar e sentei bem na calda do barco então tive uma visão 360° do lugar e consegui fotos lindas só minhas e a natureza (sem a cabeçada toda do barco hahahahah). Ahhh! Recomendo também sentar do lado esquerdo do barco de quem tá olhando pra calda do barco.

DICA 2: O uso do colete salva vidas é obrigatório. Se você não usar o colete e a polícia local perceber, você leva uma multa de 1.000 Baht (R$ 100,00).

Chegando na área dos bangalôs, o guia explica como serão as atividades do dia, o tempo que teremos pra cada atividade e as regras do local. Depois disso ele começa a distribuir as chaves dos bangalôs pras pessoas (tem que deixar um depósito de 500,00 Baht (R$ 50,00) pra pegar a chave e a toalha do quarto – quando você devolve tudo eles te devolvem o dinheiro).

Quando o hotel ou a agência de turismo reservam o seu passeio eles perguntam quantas pessoas estão no seu grupo, como no nosso caso nós erámos um grupo de 3 pessoas, ficamos com um bangalô só pra gente. Mas, no caso de pessoas que fazem esse passeio sozinhas ou em dupla, é preciso compartilhar um bangalô com outras duas pessoas, já que o número de bangalôs é restrito (40 no total).

Pegamos a nossa chave e as nossas toalhas e fomos nos instalar no nosso bangalô. O quarto é bem simples. Dois colchões de casal no chão, lençol, fronha e um cobertorzinho já estão arrumados nas camas. O quarto tem um ventilador, tomadas e um banheiro simples também, mas com chuveiro forte.

OBS: Não tem sinal de internet no Lago e não tem energia no quarto o dia todo (nem precisa também, porque a maior parte do tempo estamos em atividades)! Eles ligam a energia das 18:30 às 6:30.

Depois que nos acomodamos, o guia nos deu 1 hora pra aproveitar o Lago antes do almoço que é servido às 13:00. Esse momento é de tempo livre. Então, você pode nadar no lago, pular de um “trampolim” (na verdade não tem trampolim, é só uma escada alta que não dá em nada e todo mundo pula lá de cima pro lago), você pode pegar um caiaque e passear pelo lago (é de graça) ou pode ficar só curtindo a vibe do lugar mesmo deitado nas redes.

Almoçamos uma comida tradicional tailandesa e às 14:00 nos dividimos em dois grupos novamente e pegamos dois long tails até a floresta pra começar a nossa trilha.

DICA: Pra fazer essa trilha na floresta é extremamente recomendado que você use um tênis ou um sapato fechado, mas eu não recomendo, de forma alguma, você usar seu precioso e querido tênis pra fazer essa trilha. A trilha é em mata fechada, então muitas vezes passamos por rios com lama e atravessamos pequenos riachos e, obviamente, entramos numa caverna que tem uma parte do caminho que tem água até o peito, ou seja, se você usar seu próprio tênis vai sujar e molhar ele completamente e se você for seguir viagem depois de Khao Sok, talvez não tenha tempo de secar ele de forma apropriada e aí vai ter que usar ele molhado, vai dar bolha no pé… Enfim! Melhor não usar seu tênis pra fazer essa trilha.

O que eu recomendo é que você alugue um par de sapatos que eles alugam nos bangalôs. Os sapatos não são os mais confortáveis do mundo, mas são de borracha e são feitos pra essa trilha mesmo, então você pode sujar e molhar e tá tudo bem. Pode fazer a trilha sem medo de ser feliz e enfiar o pé na jaca hahahahah! O aluguel do sapato é de 50,00 Baht (R$ 5,00) e achei que valeu super a pena, porque no final sujei o sapato para caraca e voltei pra casa com meu tênis limpinho e seco.

Às 14:40 estávamos iniciando nossa trilha pela floresta com 2 guias e um ajudante (o trajeto de barco dos bangalôs até a floresta dá mais ou menos 30 minutos). A trilha é super tranquila e praticamente linear, passamos por um rio de lama e depois por 3 riachos pequenos, fizemos uma parada numa pequena cachoeira e fomos curtindo a imensidão daquela floresta. O guia vira e mexe comentava algum fato interessante ou nos mostrava coisas legais da floresta.

A parte chatinha é que tem muito sanguessuga e às vezes eles grudam na sua canela e você nem percebe, aí depois de um tempo você começa a sentir uma coceira e quando vê ele tá lá grudado. Mas, é só tirar que tá tudo certo (vai sangrar de leve, mas nada que você precise se apavorar).

Andamos 1,5 km do começo da trilha até a pequena cachoeira. Perto da cachoeira fica a entrada pra caverna Tham Nam Ta Lu cave (Water Cave). O guia avisa que quem tem medo de escuro ou não se sente confortável com água gelada até o peito, pode esperar na entrada da caverna com o outro guia, que o resto do grupo vai atravessar a caverna e voltar pra encontrar quem ficou. Ahh! Quem tava de mochila podia deixar as coisas com o guia que ia ficar do lado de fora.

A caverna tem 800 metros e fizemos o percurso em 45 minutos. É muito escuro lá dentro, mas é uma adrenalina gostosa. Tem muitos sapatos, aranhas, morcegos e pode ter cobra (não é muito comum), mas achei que valeu a pena a experiência. Me senti a Dora aventureira atravessando uma caverna no meio de uma floresta na Tailândia onde meu único ponto de visão era a luzinha da minha lanterninha. Algumas partes da caverna têm água até o peito e a água é bem gelada, mas nada que vá te causar hipotermia.

Toda vez que o guia via alguma coisa de diferente ou interessante ele mostrava pra gente. Ele achou uma aranha enorme e pegou na mão. Mark, que tem medo de aranha, quase morreu do coração nesse momento e uma menina que tava do lado do Mark pediu pra segurar a aranha. Hahahahaha Eu quase tive um treco. Sério! A aranha era enorme e a menina tava lá fazendo carinho nela.

Saímos da caverna e tava chovendo. Me senti num filme. Olhava pro céu e via a chuva caindo entre as folhas daquelas árvores e eu não podia ter me sentido mais viva do que naquele momento. Caminhamos por fora da caverna pra encontrar as pessoas que não quiseram entrar. Voltamos caminhando mais 1,2 Km até o final da trilha e encerramos a nossa aventura às 18:00.
Chegamos nos bangalôs às 18:30, quando ligaram a energia e tivemos luz no quarto. Deu tempo só de tomar um banho rápido e ir pra área comum onde serviram o jantar às 18:50. O jantar tava muito gostoso (tinha peixe) e ficou um clima bem legal de entrosamento onde as pessoas sentavam juntas em grandes mesas e conversavam sobre suas viagens e outras coisas. Nós sentamos com duas meninas alemãs e foi bem legal ficar papeando sobre nossas culturas, por onde elas tavam viajando e o que a gente tava fazendo, etc.

Fomos dormir cedo porque no dia seguinte acordaríamos super cedo pra fazer o “safari” de barco às 6:45 da manhã.

DIA 3
Acordamos cedinho porque às 6:45 todos que quisessem fazer o safári de barco tinham que se encontrar na área comum. Como a gente teria que fazer o check-out às 9:00, preferimos já deixar tudo arrumado antes de ir pro safári.

Às 7:00 os dois barcos saíram com todos aqueles que conseguiram acordar hahahahaha. O amanhecer estava lindo. O céu estava com uma cor incrível e o lago estava na mais absoluta paz e calmaria. A gente não ouvia nada a não ser a explicação do guia e o som dos pássaros e de alguns macacos.

A gente ouvia os animais, mas pro nosso azar, não conseguimos ver nada. Mas, valeu muito a pena ter acordado cedinho pra ver uma beleza diferente, porque a paisagem do Lago muda completamente da manhã pra tarde e pro anoitecer. Cada horário é especial e lindo.

Voltamos às 8:00 e o café da manhã já estava sendo servido. Tinha frutas (melancia e abacaxi), pão, manteiga, marmelada e ovo, além de café e chá. O café da manhã foi servido das 8:00 às 9:00 e às 9:00 todos tinham que entregar as chaves dos bangalôs e as toalhas (pegamos os 500,00 Baht de volta).
Das 9:00 às 10:00 nós tínhamos tempo livre pra nadar no lago e andar de caiaque se quiséssemos. Às 10:00 a gente começava a nossa odisseia de voltar pra cidade. Pegamos os dois barcos de volta pro píer, mas antes de irmos pro píer, o barco faz um passeio lindo pelo Lago (sério! Cada paisagem mais incrível que a outra). Às 10:30 nós chegamos na famosa Little Gui Lin (as 3 pedras que parecem uma réplica pequena da Halong Bay no Vietnã). Paramos pra tirar fotos lá (15 minutos).

Uma coisa super legal que rolou e que eu achei genial, foi que o guia instruiu as pessoas a fazerem uma rotação no barco pra que todo mundo tivesse a oportunidade de tirar uma foto na calda do long tail. Ou seja, as pessoas que estavam sentadas atrás, também tiveram a oportunidade de tirar uma foto legal e sem a cabeçada toda do barco. Depois da foto tradicional na Little Gui Lin nós seguimos pro píer!

De lá do píer a gente pegou uma van às 11:30 pra ir pro view point (não era o mesmo view point que nós fomos no primeiro dia). Chegamos no view point às 11:45 e lá tinha uma vista linda pro Lago, um templo, vendinhas de comida e banheiros. Às 12:30 a gente saiu do View Point de van e voltamos pro hotel! Chegamos no hotel às 13:30.

OBS: Descobrimos depois que tem como sair do lago e seguir viagem sem voltar pro hotel. É só você combinar na hora de comprar o ticket que quer ir pro píer de Krabi ou pro aeroporto (aí eles aplicam outro preço no pacote, né?)

OBS 2: Pra galera que quer ir pro Lago por conta própria, dá pra alugar uma moto na cidade (onde você chega de van quando saí do píer ou do aeroporto). Pra alugar uma scooter é 250,00 Baht por dia (R$ 25,00).

A gente chegou no mesmo hotel e fizemos check-in novamente, mas dessa vez decidimos pegar um quarto com ventilador em vez de um quarto com ar condicionado (Mark e o amigo odeiam ar condicionado). Deixamos nossas coisas no quarto e fomos almoçar (a gente recebeu uma marmita no passeio, mas era um arroz cheio de legumes e eu não gostei).

A gente queria explorar a outra parte do parque que ficava perto do nosso hotel. Como começou a chover, esperamos no restaurante a chuva passar e só fomos começar a trilha no parque às 16:40. Como o parque fecha às 18:00 a gente teve que escolher a trilha mais próxima e menorzinha pra dar tempo de ir e voltar sem escurecer muito. Fizemos a trilha Wing Hin de 2,5 Km e não conseguimos ver a cachoeira em si porque já estava escurecendo e ficamos com medo de não dar tempo de voltar às 18:00 (não sabíamos se teríamos que pagar multa se ultrapassássemos o horário de fechamento do parque).

Começamos a trilha às 16:40 e chegamos na entrada da cachoeira às 17:30, entramos um pouco pra ver se conseguíamos ver a cachoeira, mas nada. Conseguíamos ouvir o som da água, mas nada de ver a cachoeira. Desistimos e voltamos correndo pra dar tempo de chegar na entrada às 18:00.

No meio do caminho eu senti uma coceira na canela e quando vi tinha um sanguessuga! Hahahahaha Tiramos o bichinho e ficou sangrando por um tempo, mas depois parou. Chegamos na entrada/saída do parque às 18:10 já escurecendo. Ninguém falou nada e saímos sem nem olhar pra trás.

Capotamos na cama de tão cansados e no meio da noite acabou a luz! Mas, como tava chovendo, tava fresquinho e não nos incomodou muito.

DIA 4

Acordamos cedinho porque nesse dia voltaríamos pra Koh Phi Phi da mesma forma (van + ferry). Tomamos café da manhã e saímos às 8:30 de van (que nos buscou na frente do hotel) em direção à PhiPhi! Paramos às 9:30 no mercadinho local pra 30 min de intervalo (banheiro e sorvete). Às 10:00 voltamos pra estrada em direção à uma parada de vans – não sabíamos que estávamos indo pra esse lugar. A gente achou que tava indo direto pro píer, mas tivemos que parar nessa parada de vans pra trocar de van e ir pro píer de Krabi.

Chegamos às 11:00 nessa parada de vans, onde todo mundo faz a troca de vans (não precisa pagar nada a mais por isso, essa troca já tá inclusa no valor do seu ticket)! Quem vai pra Koh Lanta, Koh Phi Phi, Krabi Town, Koh Tao, Koh Phangan tem que fazer essa troca de vans.

Saímos dessa parada de vans às 12:20 em direção ao píer de Krabi e chegamos no píer às 12:30! Saímos do píer de Krabi às 13:40 e chegamos em Koh Phi Phi às 15:30. E assim, acabou a nossa aventura até Khao Sok.

 

O QUE LEVAR NA MOCHILA PRA 3 DIAS EM KHAO SOK

– Repelente;

– Protetor solar;

– Meias (pelo menos 4 pares – eu joguei fora todas as meias que eu levei porque ficaram imundas e nojentas);

– Carregador portátil;

– Carregador do celular;

– Câmera (se você tiver);

– Benjamin pra tomada ou extensão (o quarto só tinha duas tomadas e nós erámos 3 pessoas querendo carregar os celulares, então foi um alívio quando eu tirei da mochila uma extensão e todo mundo conseguiu carregar os celulares e eu ainda consegui carregar a bateria da Gopro ao mesmo tempo);

– Paninho umedecido;

– Calcinha e sutiã (ou cueca);

– Óculos de sol;

– Kit remédio;

– Escova e pasta de dente;

– Chinelo

– Biquíni;

– Toalha de microfibra (eles até disponibilizam toalha, mas é bem simples – daquelas que você passa no corpo e em vez de secar só espalha a água hahahahaha);

– Shampoo, condicionador e sabonete;

– Desodorante;

– 2 ou 3 shorts (um short vai molhar quando você entrar na caverna);

– 3 ou 4 blusas (se você não tirar a blusa pra entrar na caverna, ela vai molhar também – eu entrei de short e biquíni);

– Cadeado (esse item foi importante porque na hora de ir pra floresta as mochilas ficaram sozinhas com os passaportes e o dinheiro. Tudo bem que estavam dentro do nosso bangalô, mas é sempre bom ter um cuidado extra, né? Então, além de esconder os passaportes e o dinheiro dentro das roupas, a gente ainda passou o cadeado na mochila – Just in case).

RESUMO DO QUE FIZEMOS EM KHAO SOK

  • View Point de Khao Sok (gratuito)
  • O passeio de 2 dias e 1 noite no Lago Cheow Larn (2.500,00 Baht por pessoa com tudo incluso, menos a taxa do Parque Nacional)
  • Trilhas dentro do Parque Nacional – tem várias cachoeiras e a floresta é linda (300,00 Baht por pessoa)

 

ALGUNS PASSEIOS QUE VOCÊ PODE FAZER EM KHAO SOK:

  • Full Day Exploration Lake Trip (8:40 às 18:00) | 1.500,00 Baht por pessoa

Trilha na selva pela Tham Nam Ta Lu (Water Cave) ou Coral Cave

Incluso: transfer, guia, long tail, almoço, frutas, água e seguro viagem

  • Half Day Jungle Trekking (9:00 às 12:00 ou 13:30 às 16:30) | 1.000 Baht por pessoa

Trilha pela floresta (parte sul do parque)

Incluso: transfer, guia, almoço, água, seguro viagem

  • Khao Sok Combine Tour (9:00 às 12:00 ou 14:00 às 17:00) | 1.800,00 Baht por pessoa

Bamboo rafting, Elephant’s experience and Local’s life
Incluso: transfer, guia, sobremesa tradicional tailandesa e água

  • Soft tour (9:00/15:00 – duração de 2 horas) | 1.500,00 Baht por pessoa

Elephant feeding and shower + Monkey temple

Khao Sok View Point + Waterfall

Incluso: transfer, água, comida pros elefantes, seguro viagem

  • Canoeing on the Sok river (1h30minutos – 2 horas de duração) | 1.000,00 Baht por pessoa

Todos os dias às 9:00, 12:00 e 15:00.

Incluso: transfer, água, canoa, seguro viagem

  • Sok River Tubing Tour (45 minutos – 1h30minutos) | 500,00 Baht por pessoa (mínimo 2 pessoas)

Todos os dias às 9:00, 12:00 e 15:00.

Incluso: transfer, água, bóia, seguro viagem

  • Khao Sok Night Trek Tour (19:00 às 21:30) | 1.300,00 Baht por pessoa

Observar a vida da floresta durante à noite

Incluso: transfer, guia, laterna, água, e seguro viagem

  • Hot Spring Bathing (2 horas – 2h30minutos) | 600,00 Baht por pessoa (mínimo 2 pessoas)

Rommanee Hot Spring (águas termais artificiais – em piscinas)

Incluso: transfer, água, entrada

  • Overnight trip on the lake 2 days 1 night (sai às 9:00 e chega às 13:30 do dia seguinte) | 2.500,00 Baht por pessoa

Trilha na selva e dentro da Tham Nam Ta Lu cave (Water Cave), pernoite num bangalô no Lago Cheow Larn, caiaque, long Tail até a Little Gui Lin

Incluso: transfer, guia, água, 4 refeições, frutas, barco pra travessia do lago, long tail, 1 noite no bangalô, caiaques, trilha guiada dentro da caverna e na floresta e um “safari” de barco pra ver o bichos da floresta no seu habitat natural.

 

* É muito importante ressaltar que se você for fazer qualquer experiência que envolva os elefantes (ou qualquer animal), é importante você pesquisar sobre o lugar e os cuidados que tem com os elefantes (de preferência tente achar referências e recomendações na internet) pra ter certeza que não está apoiando nenhum maus tratos aos animais.

OBSERVAÇÃO: Todos esses passeios você pode se informar melhor no seu hostel ou hotel. A grande maioria dos hotéis oferece pacotes de passeios e excursões e os preços são tabelados. Caso seu hostel não feche passeios, você pode fechar com as agências de turismo que tem na rua principal que oferecem basicamente os mesmos passeios com os mesmos preços.

Mas, por via das dúvidas, antes de fechar seus passeios, dê uma pesquisada em 3 ou 4 lugares diferentes pra comparar preço. Como as regras sempre mudam pode ser que quando você for pra Khao Sok os preços já não estejam mais tabelados, então é melhor sempre pesquisar antes.

DICA SOBRE O INGRESSO DO PARQUE NACIONAL DE KHAO SOK

A entrada do Parque Nacional de Khao Sok custa 300,00 Baht (R$ 30,00) por pessoa. E o parque abre todos os dias das 6:00 às 18:00.

Se você entrar no Parque antes das 16:30 o ticket só é válido até às 00:00 e se entrar no Parque depois das 16:30 o ticket vale 24 horas.

Exemplo: Se você entrar no Parque às 8:00, você terá das 8:00 às 18:00 pra explorar as cachoeiras e as trilhas do parque. E se você quiser explorar o Parque novamente no dia seguinte, terá que comprar um novo ticket.

No entanto, se você entrar no Parque às 17:00, você terá das 17:00 às 18:00 pra curtir o parque e poderá usar o mesmo ticket pra explorar o parque no dia seguinte das 6:00 às 17:00 (24 horas de ticket).

 

ONDE SE HOSPEDAR EM KHAO SOK

Nós ficamos hospedados no Resort Jungle Huts! Super bem localizado e muito confortável! Acho que foi a primeira vez que me senti num hotel de verdade (tô quase sempre em hostel ou pousada, mas esse tinha um ar bem legal de bangalô na selva, sabe?).

O quarto pra 4 pessoas com ar condicionado e ventilador custou 1.000,00 Baht (como estávamos em 3, saiu 333,00 Baht pra cada um – ficamos só 1 noite) e o quarto pra 4 pessoas só com ventilador custava 700,00 Baht (como estávamos em 3, saiu 233,00 Baht pra cada um – ficamos só uma noite um dia antes de voltar pra Koh PhiPhi).

A gente ficou na parte do hotel, mas eles também oferecem a parte de hostel, que é mais barata! O hostel Jungle Huts custa 250,00 Baht por pessoa com café da manhã incluído ou 200,00 Baht se você quiser só o quarto, sem café da manhã.

O hotel além de ser bem localizado, tem uma energia incrível com muitas árvores e uma visão linda pras montanhas. Os quartos são bem aconchegantes e limpos, o chuveiro tem água quente e fria e a cama é muito gostosa. Os funcionários eram muito simpáticos, prestativos e nos ajudaram muito com dicas do lugar. O hotel tem um mini restaurante que oferece café da manhã e refeições, mas isso não tá incluso no valor da diária!

Além disso, o hotel vende vários passeios e excursões dos mais diferentes tipos e o legal é que, pela curta pesquisa que eu fiz com algumas agências da região, todos aplicam os mesmos valores dos passeios, porque existe uma política de tabelar os preços pra manter a qualidade do serviço.

A gente chegou no hotel sem reservar antes, mas demos muita sorte, porque fomos os últimos a pegar quartos disponíveis e isso porque a gente nem foi na alta temporada hein. Então, recomendo que você reserve sua hospedagem com antecedência pra evitar imprevistos.

CLIQUE AQUI pra ver os valores dos quartos do Resort Jungle Huts.

CLIQUE AQUI pra ver os valores dos quartos do Hostel Jungle Huts

NOSSOS GASTOS EM KHAO SOK

Como de praxe, eu fiz a minha lista de gastos (e aí você vai ter noção de todos os gastos reais e oficiais da minha viagem, desde gastos com acomodação até gastos bobos como sorvete hahahahaha).

Pra você ter mais ou menos noção de quanto gastamos, o dólar na época estava com a cotação de R$ 4,00 (mais ou menos) e a cotação do dólar pro Thai Baht estava de 30,90 Baht. Só pra fins de cálculo, a cotação do real pro Thai Baht estava de 8,00 (apesar deles não trocarem real na Tailândia, talvez facilite a conta pra você ter noção mais ou menos dos gastos).

DIA 1

– 630,00 Baht (ferry + van até Khao Sok)

– 50,00 Baht (1 sorvete)

– 333,00 Baht pra cada um (quarto privado com ar condicionado e ventilador –  Valor total do quarto era de 1.000,00 Baht e dividimos por três)

– 230,00 Baht (hambúrguer + água)

– 100,00 Baht (sorvete)

– 2.500,00 Baht (excursão de 2 dias e 1 noite no lago com tudo incluso – valor por pessoa)

– 190,00 Baht (spring rolls + cerveja)

DIA 2

– 5,00 Baht (banheiro na estrada)

– 80,00 Baht (3 biscoitos + 1 banana + 2 sorvetes)

– 300,00 Baht (entrada do Parque Nacional de Khao Sok – valor por pessoa)

– 50,00 Baht (sapatinho pra fazer a trilha na caverna molhada – valor por pessoa)

– 120,00 Baht (2 cervejas)

DIA 3

– 90,00 Baht (água grande + 2 sorvetes + iced tea)

– 200,00 Baht (frango com batata)

– 300,00 (entrada do Parque Nacional de Khao Sok – valor por pessoa)

DIA 4

– 233,00 Baht pra cada um (quarto privado ventilador –  Valor total do quarto era de 700,00 Baht e dividimos por três)

– 750,00 Baht (ferry + van até Koh PhiPhi)

– 360,00 Baht (spring roll + banana shake + 2 cervejas)

– 120,00 Baht (café da manhã – valor por pessoa)

– 50,00 Baht (1 sorvete)

– 10,00 Baht (banheiro)

– 30,00 Baht (banana shake)

Valor total por pessoa em Thai Baht: 6.731,00 Baht

Valor Total por pessoa em Dólar: $ 217,83

Valor total por pessoa em Reais: R$ 871,00

*** Daria pra ter economizado bem mais se a gente não tivesse gastado com várias cervejas e tanto sorvete hahahaha.

Na verdade, o que encarece essa viagem pra Khao Sok é o valor da excursão. Existe a possibilidade de fazer por conta própria, mas você teria que alugar moto e ir explorando a selva sozinho, o que eu não recomendo. Então, acho que pelo que nos foi oferecido no valor da excursão valeu a pena pagar e ter tudo incluído sem a gente ter que se preocupar com nada.

Uma amiga fez tudo sozinha de moto e gastou no final uns 1.000,00 Baht (R$ 100,00) a menos do que eu, mas não teve a experiência de dormir no lago e explorar a caverna Tham Nam Ta Lu cave (Water Cave), por exemplo, e esses, pra mim, foram os pontos mais altos do passeio – tirando, obviamente, o clichê de quem vai a Khao Sok que é ir de long Tail até a Little Gui Lin (essa experiência foi sensacional e todo mundo basicamente vai até Khao Sok por isso). 

VALE A PENA VISITAR KHAO SOK?

Eu achei que valeu muito a pena porque conheci uma Tailândia completamente diferente. Uma Tailândia que ainda não está abarrotada de turistas e uma Tailândia que preserva sua natureza de uma forma mais sensata e consistente. Eu nunca tinha feito uma trilha numa mata tão fechada. Nunca tinha atravessado um rio de lama, nunca tinha entrado numa caverna tão extensa e escura e cheia de água antes, mas eu simplesmente amei a experiência.

Amei acordar no meio de um lago e ver o sol nascer num lugar repleto de paz e com muita boa energia. Mas, preciso alertar que essa experiência é pras pessoas que não tem mimimi. Porque o quarto no lago não tem luxo e a comida é bem simples (mas, bem gostosa), a travessia na selva tem sanguessuga, mosquitos, sapos, aranhas, morcegos e cobras (não é muito comum). Então, se você quer se colocar no seu limite, se desafie a fazer o tour de 2 dias e 1 noite no Lago Cheow Larn, porque tenho certeza que você vai se libertar de muitas crenças e voltar dessa viagem com um sentimento incrível de superação.

O Mark morre de medo de aranha e na caverna, que tava super escura, vimos algumas aranhas enormes e ele foi superando o medo a cada metro que percorria na caverna. No final, ele se sentiu super realizado de ter feito o passeio, mesmo sabendo que teria que enfrentar o medo literalmente cara a cara hahahahahaha.

Apesar do valor total ser um pouco salgado, vale a pena pela experiência de explorar uma das maiores florestas da Tailândia e ter uma vivência in loco de desafio e superação dentro da natureza. Você volta dessa viagem, definitivamente, mais energizado, mais leve e muito feliz.

Espero que esse post tenha sido útil pra você e se você conhece alguém que esteja indo pra Tailândia, compartilhe esse post, quem sabe não ajuda, né?

Ahhh! Me segue lá no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras em tempo real.

Beijos e até a próxima

Mary Teles

 

Gostou das dicas do blog?

Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso e recomendo:

– Worldpackers ($10 dólares OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRAWP): Worldpackers
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb
– Seguro Viagem (5% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA5): Seguros Promo
– Chip de Internet (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10): Chip de Internet Yes Brasil
– Aluguel de carro: Rentcars
– Consultoria de viagens comigo: vidamochileira@gmail.com
– Passeios no Atacama, Salar de Uyuni e Santiago (10% OFF VIDAMOCHILEIRA10): @fuigosteitrips

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras!