Roteiro de Dublin (dicas de lugares, hospedagem e mais)

0
91

 

Oi Galera!

Com muita gente tem me pedido pra postar dicas de viagens que eu fiz antes de ter o blog, eu resolvi pegar todas as informações que eu tinha e criar posts pra vocês. Como eu não tinha o blog na época, algumas informações detalhadas (como valores de passeios e gastos mais específicos) vão ficar faltando, mas eu prometo ajudar, na medida do possível, se vocês tiverem qualquer dúvida, basta deixar um comentário nesse post ou me mandar um direct no Instagram (@vidamochileira) que eu respondo no mesmo dia.

Eu conheci Dublin em 2013 num mochilão de 10 dias que eu fiz sozinha. Nesse mochilão eu morava em Portugal, na Ilha da Madeira, e peguei uns dias que eu tava tranquila na faculdade pra fazer o roteiro: Londres – Edimburgo – Dublin.

O meio de locomoção dessa viagem foram as companhias aéreas low cost, super famosas na Europa (Easyjet e Ryanair). E nas cidades mesmo, eu andava de um ponto turístico ao outro e raramente pegava transporte público. Em Dublin, eu fiz tudo andando. O que sempre recomendo é listar tudo que você quer conhecer no destino que você tá indo e tentar organizar tudo em dias. Agrupe os pontos turísticos pertos uns dos outros em dias diferentes e pense sempre na logística de transportes.

Exemplo: Os pontos turísticos A, B, C e D estão perto da zona X e os pontos turísticos E, F, G, H, I e J estão perto da zona Y. Separe um dia pra fazer a zona X e um dia pra fazer a zona Y, porque dessa forma você gasta uma vez com o transporte de longa distância e depois consegue fazer andando os pontos turísticos ou pegar transporte público que não vai demorar muito de um lugar pro outro.

Às vezes não tem como fugir, você vai ter que ir de uma zona pra outra se seu roteiro tiver muito apertado e você tiver que conhecer tudo em dois dias, por exemplo. Mas, num mundo ideal a melhor forma de se fazer uma programação é pensar na logística de deslocamento e da proximidade dos lugares que você vai conhecer num determinado dia.

MELHOR ÉPOCA DO ANO PRA IR PRA DUBLIN?

A melhor época do ano pra visitar Dublin vai depender do estilo de viagem de cada um. Isso porque Dublin é uma cidade bem chuvosa e de temperaturas baixas, além das constantes ventanias. Ou seja, as estações do ano costumam ser bem definidas.

Se for pensar pelo ponto de vista de um turista que quer aproveitar o máximo da cidade, de fato, o verão é a época do ano mais recomendada pra quem quer passear pelas ruas da cidade e aproveitar ao máximo os pontos turísticos ao ar livre. No entanto, em contraste com o clima agradável você terá ruas mais movimentadas e passagens aéreas e hospedagem mais caras devido à alta temporada.

Já no inverno, as temperaturas caem bastante (podendo chegar a temperaturas negativas em janeiro e fevereiro), a frequência de ventos aumenta também e se você der sorte (ou não) pode ver neve em alguns lugares. O problema do inverno é que como as temperaturas são muito baixas, a maioria das pessoas não ficam perambulando nas ruas e a cidade fica com um ar de triste. O ponto positivo dos meses de inverno é que as passagens aéreas e hospedagem ficam com preços bem acessíveis. A Ryanair (cia low cost) vira e mexe faz promoções onde você não gasta nem 50,00 libras pra ir e voltar de um país pro outro.

O outono e a primavera são estações interessantes pra fazer uma visita. As temperaturas são amenas, não tem tanto turista na rua como no verão e os preços de passagens aéreas e hospedagem são bem atrativos. Na primavera, em especial, eu acho que é um dos momentos mais lindos de visitar Dublin, pela beleza das flores que tomam conta dos parques. Tudo está florido, colorido e verdinho, o que deixa a cidade com um ar alegre e convidativo pra se passear pelas ruas, mesmo que as temperaturas não estejam tão altas como no verão irlandês.

OBS: Não importa em que estação do ano você visite Dublin é essencial levar na mala: um guarda-chuva e um bom casaco.

DICAS DE DUBLIN

Dublin é uma cidade linda, cosmopolita e é o principal destino dos brasileiros que querem estudar inglês e trabalhar na Europa! O único problema pra quem quer evoluir rápido no aprendizado do inglês é ter a presença massiva de brasileiros, porque em vez de treinar o inglês as pessoas acabam falando em português por vergonha ou por ser mais prático mesmo! ⠀
⠀ ⠀
🚨 Minha dica é: Se você quer fazer intercâmbio na Irlanda porque brasileiros têm direito de estudar e trabalhar 20 horas semanais… Se joga! É uma experiência incrível e engrandecedora, mas tente procurar outras cidades que não apenas Dublin pro seu intercâmbio (algumas opções são: Galway e Cork) e sempre tente falar o máximo possível em inglês, mesmo com brasileiros. ⠀

📍 As noites em Dublin são muito animadas, tire pelo menos uma noite pra ir nos pubs irlandeses, conhecer pessoas diferentes e quem sabe se arriscar num karaokê irlandês (eu fui e foi bem engraçado); ⠀

OBS: Existem dois sites muito bons que dão muitas dicas sobre intercâmbio na Irlanda:

Vida na Irlanda

e-Dublin

O QUE FAZER EM DUBLIN?

– Guinness Storehouse,

– Guinness Panoramic Bar,

– Old town,

– Temple Bar (street pubs),

– Malahide Castle,

– Kilmainham Gaol,

– St Patrick’s Cathedral,

– Dublin Castle,

– Christ Church,

– Trinity College,

– Phoenix Park,

– Dalkey Castle,

– Glasnevin Cemetery,

– Temple Bar (PUB),

– Wall of Fame,

– Book Market,

– Grafton Street,

– Clontarf Castle Hotel,

– St. Stephen’s Green,

– Collins Barracks,

– O ‘Connell Street,

– River Liffey,

– The Brazen Head (PUB),

– Merrion Square,

– Statue of Oscar Wilde,

– The Church Bar (PUB),

– Ha’penny Bridge,

– Newgrange (Tumba),

– Garden of Remembrance,

– St Patrick’s Park,

– Sphere Within Sphere,

– Dublinia,

– Viking World,

– The Long Room,

– Howth Castle,

– Dublin City Hall,

– Modern art Museum,

– Tower Records,

– Henry Street,

– Saint Mary’s Pro – Cathedral,

– St. Ann’s Church,

– The Quays,

– Famine Memorial,

– Dublin Garden,

– DCD (PUB),

– Dublin Fusiliers Arch,

– Four Courts,

– Free Walking Tour

FORA DE DUBLIN:

– Cliffs of Moher (onde foi gravado o PS Eu te amo),

– Hills of Galway,

– Wicklow,

– Glendalough

QUANTOS DIAS FICAR EM DUBLIN?

Eu fiquei 3 dias em Dublin e consegui conhecer bastante coisa, tudo que eu queria. Acho que 3 dias são suficientes. A cidade é realmente muito animada e repleta de coisas pra ver. Por isso, se você planeja não só visitar Dublin, mas também os famosos Cliffs irlandeses, recomendo ficar, pelo menos, uns 5 dias na cidade.

Se quiser conhecer os Cliffs, tente alugar um carro ou fechar com uma agência de turismo ou, se preferir, você pode ir por conta própria de transporte público (trem e ônibus).

 

ONDE SE HOSPEDAR EM DUBLIN?

Quando eu fui pra Dublin eu fiquei hospedada na casa de uma brasileira que eu conheci na Cracóvia e que me chamou pra ficar uns dias na casa dela em Dublin. Mas, eu procurei alguns hostels bem recomedados por lá! Não consigo dar minha opinião sobre a estadia e o serviço, porque infelizmente eu nem entrei pra ver.

De qualquer forma, vou deixar algumas opções de hospedagem aqui, baseadas nas recomendações do Booking.com:

– Jacobs Inn Hostel

– Generator Dublin

– Barnacles Temple Bar House

The Times Hostel Camden Place

– Abbey Court Hostel

– Isaacs Hostel 

– Abrahams Hostel

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

GASTOS DA VIAGEM

Como eu falei ali em cima, eu viajei pra Dublin em 2013 quando eu ainda não tinha o blog e não tinha o hábito de anotar todos os meus gastos durante as viagens.

Na época (2013), o que eu fazia na hora do meu planejamento pra ter, mais ou menos, noção de quanto eu ia precisar juntar pra viagem, era calcular por alto minhas despesas dessa forma – e durante a viagem tentava me manter dentro do plano estipulado:

  • 10,00 euros por dia pra alimentação;
  • 15,00 euros por dia pra acomodação;
  • 10,00 euros por dia com passeios e imprevistos;
  • A conta do transporte eu fazia antes a partir do valor das passagens de avião e os transportes nas cidades eu tentava gastar o mínimo possível com transporte público, muitas vezes optando por andar o dia todo pra economizar – caso eu já soubesse que uma cidade ou outra tinha pontos turísticos em bairros muito afastados, eu calculava mais ou menos 5,00 euros por dia de transporte público;

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Usei esses valore e a moeda euros, nesse caso, pelo roteiro ter sido na Europa. Como eu morava em Portugal na época, eu tinha, mais ou menos, noção dos valores das coisas. Mas, se fosse em um país da América Latina ou da Ásia, por exemplo, eu pesquisaria em blogs de viagens quanto as pessoas, geralmente, gastam em cada um dos tópicos acima e faria as contas baseadas no meu estilo de viagem e no quanto tenho pra gastar.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE 2: Esses cálculos eu fazia quando viajava sozinha e que meu objetivo era gastar pouco. Minha dica é usar esse cálculo como base, mas pensar também no estilo de viagem que você quer fazer e quanto está disposto e tem pra gastar. Outra coisa muito importante é levar sempre um dinheiro como reserva pra caso você tenha um mega imprevisto (como eu, que tive que pagar uma multa de 100,00 euros em Viena). Sempre tenha, pelo menos, 100,00 ou 200,00 euros a mais do que o planejado em caso de emergência.

Hoje em dia, o que eu faço é pesquisar bastante em blogs de viagem e nos sites das cidades pra ver o preço de tudo (passeios, transporte público e comida) pra fazer um planejamento bom e o mais próximo da realidade possível. Mas, continuo levando meus 200,00 euros a mais (extras) pra casos de emergência (OU, se preferir, você pode estipular 200,00 dólares em caso de moedas diferentes numa mesma viagem). Por exemplo: Recentemente eu perdi o meu voo pra Inglaterra e tive que pagar 200,00 libras pra remarcar meu voo, se eu não tivesse meu dinheirinho de reserva estaria ferrada e teria que pedir emprestado pros outros.

Você pode se planejar o máximo que puder, mas imprevistos acontecem e ninguém está livre deles. Por isso, esteja preparado pros que vão vir nas suas viagens!

 

DICA DE OURO: Existe uma aba no blog chamada “ROTEIROS GRATUITOS” e lá você pode baixar todas as planilhas que eu tenho de roteiros de viagem. É tudo gratuito e você encontra na planilha não só dica de lugares pra visitar, como também dicas de transportes, hostels e gastos.

 

Espero que esse post tenha sido útil e se você conhece alguma pessoa que precisa ler isso, compartilha o link com ela!

Ahh! Não esquece de me seguir no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar as minhas aventuras!

Até a próxima!

Beijos,

Mary

 

Gostou das dicas do blog?

Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso e recomendo:

– Worldpackers ($10 dólares OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRAWP): Worldpackers
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb
– Seguro Viagem (5% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA5): Seguros Promo
– Fale Inglês de GRAÇA (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10): Fale Inglês de GRAÇA
– Aluguel de carro: Rentcars
– Passeios no Atacama e Salar de Uyuni (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10):
Entre em contato com a @fuigosteitrips pelo e-mail: trips@fuigosteicontei.com.br

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras!