As verdades sobre a sua primeira viagem sozinha(o)

0

Decidi escrever esse post com o intuito de ajudar a desmistificar a facilidade que é fazer a primeira viagem sozinha(o). Calma, não me leve a mal. Eu sou do time que realmente acredita que viajar sozinha é libertador e deveria estar na bucket list de todo mundo (mulheres e homens). No entanto, eu e muitos outros viajantes que já fizeram viagens sozinhos diversas vezes acabamos por fazer parecer que essa decisão é simples, fácil e super natural.

A gente mostra os benefícios e todas as conquistas de se viajar sozinha(o), mas a gente esquece de enfatizar as dificuldades da PRIMEIRA viagem solo. A gente esquece de voltar um pouquinho no tempo e lembrar como a gente se sentiu quando decidiu fazer a nossa primeira viagem sozinha(o), quais foram os medos que vieram na nossa mente, as barreiras e desculpas que criamos pra tentar adiar aquela decisão e quais foram as nossas reações e atitudes quando de fato fizemos nossa primeira viagem solo.

Nesse post eu quero abordar alguns temas:

– Como foi de fato a experiência do meu primeiro mochilão;

– Pensamentos e reações normais antes e durante a primeira viagem solo;

– Dicas pra primeira viagem solo;

– Dicas de como tirar foto em viagens solo;

– Conclusão: Vale a pena viajar solo ou não?

 

COMO FOI – DE FATO – MEU PRIMEIRO MOCHILÃO

Eu tinha 21 anos e estava morando na Ilha da Madeira em Portugal porque estava fazendo um intercâmbio universitário. Nas férias da minha faculdade, eu decidi organizar o meu primeiro mochilão sozinha de 33 dias pela Europa (2013).

Eu já sabia que meu estilo de viagem era mochileiro e estava bem animada pra planejar meu próprio roteiro. Nessa época quase não existiam blogs de viagem com dicas do que fazer e o que levar, então, fiz o normal: pesquisei no Google sobre os lugares que eu queria ir, como chegar e quanto eu iria gastar.

Os gastos eu não consegui ter uma precisão muito exata, mas comecei a planejar com a realidade que eu tinha (afinal, morava na Europa) e com a realidade que eu podia gastar. Abri uma planilha do excel e comecei a planejar os dias que iria ficar em cada lugar, o roteiro de cada cidade e aí veio minha dúvida sobre acomodação.

Como era a minha primeira viagem sozinha, eu decidi ficar em quartos compartilhados misto (homens e mulheres) de hostels porque eram mais barato e porque eu poderia conhecer mais gente. Eu usei o  Booking.com como a minha principal plataforma pra reservar os hostels e aí só ficou me faltando a questão do transporte.

Comecei a pesquisar em todas as cias aéreas que eu conhecia e também jogava no Google pra pesquisar em outras cias que eu nunca nem tinha ouvido falar. Aí, comecei a fazer pesquisa de preços e comprei minhas passagens aéreas. Nessa viagem, eu decidi viajar de trem também, li tudo sobre as passagens de trem e comprei online.

Quanto mais perto a viagem ia chegando, mais nervosa eu me via. Já nem sabia se aquilo era uma boa idea. Comecei a ter pesadelos, chorava porque queria ir, mas tava com medo e não tinha ninguém me dizendo “vai sim! Vai ser incrível!”, pelo contrário, todos me diziam que era uma péssima ideia, meu pai, meus amigos, minha vó tava pra morrer de preocupação… A única pessoa que podia me incentivar a não desistir era eu mesma.

Mas, a verdade, é que eu só sabia chorar e duvidar de tudo que eu tinha planejado. Comecei, inclusive, a questionar se estava viajando por mim mesma ou por capricho do ego só pra mostrar pros outros que eu tava viajando. Eu estava enfrentando uma batalha na minha mente, eu já tinha comprado e reservado tudo e ainda sim eu tremia e chorava só de pensar que ia ficar 33 dias sozinha pela Europa, sem amigos, sem ninguém pra dividir os momentos engraçados e tensos da viagem. Toda vez que eu chorava a cabeça aquietava, mas o coração apertava muito e toda vez que eu pensava na viagem o coração se enchia de alegria e a cabeça gritava “você é maluca!”.

No final das contas eu entendi que o medo e até o choro eram normais, afinal, seria a primeira vez na vida que eu estaria por minha conta. O estranhamento de estar fora da zona de conforto incomoda muito, machuca o ego no começo, mas faz as pazes depois (durante a viagem). O fato de você estar num lugar desconhecido, sem ninguém familiar e muitas vezes até mesmo sem nem falar a língua do país ou o inglês (nessa viagem eu fui com inglês básico e com muita fé nas minhas mímicas) te deixa totalmente sem controle das situações e isso incomoda. É estranho não estar no controle ou não saber como vai ser ou o que esperar. É estranho saber que numa viagem solo você pode ser 100% você, sem ninguém julgando seus gostos, seus modos ou seus pensamentos. A gente se preocupa mais com que os amigos, família e conhecidos vão dizer do que com os desconhecidos, né?

Por isso, quero compartilhar aqui que tá tudo bem ter dúvidas se quer fazer uma viagem solo, tá tudo bem se decidir ir e depois começar a chorar achando que não vai conseguir… Mas, o que eu acho que você deve evitar é deixar o medo do desconhecido (lugar, pessoas, sensações e pensamentos) vencer suas vontades. Se você quer viajar sozinha(o), vai! Se tiver medo, vai com medo mesmo. Ele faz parte do processo e é até importante, porque é o medo que nos mentem alerta! Eu chorei por quase um mês depois que já tinha comprado e reservado tudo, eu tava morrendo de medo, minhas pernas tremiam e meu coração batia mais forte só de imaginar a viagem, mas eu fui.

🚨 E fui mesmo me cagando de medo, porque entendi que aquela viagem não era pra mostrar pros outros e sim pra mim mesma que eu era capaz de fazer uma coisa que eu queria e que conseguia fazer isso sozinha – afinal, eu tinha que me bastar, eu não poderia ficar sempre depositando as minhas expectativas e desejos na disposição e disponibilidade dos outros. O meu medo não era de viajar pra lugares desconhecidos e não saber falar a língua, era de estar SOZINHA. E, por quê estar sozinha me incomodava tanto? Foi nesse momento que entendi o quanto eu precisava fazer essa viagem pra entender as respostas dessa pergunta que nunca mais voltou a me perturbar. Hoje em dia eu já não tenho mais medo de viajar sozinha, pelo contrário, fico super animada pra aventuras que vou viver e pro tempo que vou ter comigo mesma e meus pensamentos.

Viajar sozinha não me dá mais medo e sim um feliz e gostoso frio na barriga. E, isso sempre acontecerá, não importa quantas viagens eu tenha feito e ainda fará, o frio na barriga é a sensação que você tem quando sai da sua zona de conforto e isso, meus amigos, é uma sensação incrível que eu nunca quero perder. Ahh!!! Apesar de eu não ter mais os medos e as barreiras que eu tinha da minha primeira viagem sozinha, eu continuo super alerta e seguindo os meus instintos sempre que faço uma viagem solo. Confie sempre nos seus instintos! E, agora, o meu choro é só no dia da viagem (já no aeroporto), por já sentir saudades do noivo que vai ficar.

Engoli o choro e entrei no avião! Sentada na poltrona perto da janela eu chorei até pousar em Portugal (continente) que seria minha “conexão” pra pegar um trem rumo ao meu primeiro destino: Espanha! Depois que eu me acalmei e abracei de fato aquela aventura como parte do meu autoconhecimento (chorei por uma semana durante a viagem antes de realizar isso dentro de mim), eu girei a chave da minha mentalidade de estar com medo pelo novo e desconhecido pra chave de estar ansiosa e empolgada pra ver coisas que eu nunca vi e conhecer pessoas que mudariam meu ponto de vista sobre o mundo. Eu também parei de ter o pensamento de que só existem pessoas do mal querendo me prejudicar pro pensamento de que existe muita gente boa no mundo querendo me ajudar. Ter esse pensamento foi e é fundamental em todas as minhas viagens. Eu tô sempre alerta, mas com o coração e a mente abertos!

No meu primeiro mochilão, eu dormi em banco de shopping, fiz amizade com o segurança do shopping que até hoje fala comigo pelo meu Facebook, andei sozinha pelas ruas de Sevilla às 4:00 da manhã com tudo escuro, dormi no chão do aeroporto porque não queria gastar dinheiro com hostel, andei muito, fiz muitos amigos, ri muito, parei aleatoriamente na casa de uma francesa que eu conheci no trem de Munique pra Paris, entrei de penetra numa festa em Munique com uns desconhecidos que encontrei pelas ruas, pedi pra trocar de quarto quando vi gente fumando maconha na minha beliche do hostel, dormi num quarto com 7 homens e só eu de mulher em Berlim, fiz amigos incríveis na Cracóvia que me levaram pra esquiar pela primeira vez na montanha mais alta de Zakopane, onde fomos barrados por não obviamente nunca termos esquiado antes, percebi que eu sou engraçada sozinha, levei uma multa de 100,00 euros em Viena por não ter pago o bilhete do metrô, entendi que a minha companhia me bastava e muitas outras coisas que me fizeram ser quem eu sou hoje.

Se tem uma coisa que não me arrependo é de ter feito essa viagem sozinha, mesmo com o medo que eu estava sentindo quando embarquei no avião e mesmo com todo mundo me dizendo que não era uma boa ideia. Eu sabia que aquela viagem mudaria a minha vida… e mudou! 

PENSAMENTOS E REAÇÕES ANTES E DURANTE A PRIMEIRA VIAGEM SOLO

PENSAMENTOS ANTES DA VIAGEM (QUANDO SE TEM A IDEIA)

– “Nossa! Tô muito animada pra essa viagem. Vai mudar a minha vida!”

– “Nessa viagem vou descobrir a minha essência e o meu propósito!”

– “Quem sabe eu não encontro o amor da minha vida nessa viagem…”

– “Já sei exatamente todos os lugares que quero visitar e já sei até as roupas que vou vestir em cada lugar…”

– “Vou fazer vários amigos (um de cada país diferente) e vamos manter contato pra sempre e toda vez que eu tirar férias vou visitar um deles”

– “Meus amigos e a minha família vão babar nas fotos!”

– “Vou voltar outra pessoa, super empoderada e com visão de mundo completamente diferente!”

– “Vou provar pra geral que eu sou foda e consigo fazer isso sozinha(o)…”

– “Vou sambar na cara de quem achou que eu não ia conseguir viajar sozinha(o)…”

– “Vou ficar soltinha soltinha e ninguém vai me segurar…”

– “Vou poder ser eu mesmo sem ninguém pra me julgar!”

 

PENSAMENTOS ANTES DA VIAGEM (QUANDO A IDEIA COMEÇA A TOMAR FORMA E FICAR SÉRIA)

– “Fudeu! Agora já falei pra todo mundo que eu ia, não posso voltar atrás”

– “Meu Deus! Eu não paro de chorar só de pensar nessa viagem. Que ideia de girico!”

– “Caraaaa! Tô nervosa assim antes de ir, imagina quando tiver em outro lugar, sozinha…”

– “Vai ser irado, tô bem animada, apesar de tá bem nervosa também…”

– “ Vai dar tudo certo!”

– “Meu Deus!!! Será que é melhor desistir?”

– “Fulaninho conseguiu ir sozinho, eu também consigo!”

– “Achei que fosse ser mais fácil organizar meu roteiro sozinho…”

– “Caracaaaa! É difícil pra caramba montar um roteiro sozinha!”

– “Não aguento mais ver coisa de viagem…”

– “E se eu não conseguir me virar sozinha, e se eu me perder, e se alguém me seguir…”

– “Eitaaa! Será que precisa falar inglês pra viajar sozinha? Eu não falo! E agora? Como vou fazer pra me comunicar? Ferrou!”

– “Mal posso esperar pra conhecer tantos lugares diferentes!”

– Tô mega animada pra conhecer a cultura daquele lugar…”

– “Tomara que eu faça vários amigos durante a viagem”

– “Essa será a viagem da minha vida!”

– “Eu tô super orgulhosa de mim mesma por estar fazendo essa viagem e testando meus limites”

– “Mal posso esperar pra ficar sozinha com meus pensamentos…”

– “Mas, com quem eu vou dividir as coisas que acontecerem na viagem?”

– “Quem vai tirar as minhas fotos?”

– “ Será que o lugar tal é perigoso?”

– “Será que o dinheiro que eu tô levando vai dar pra fazer tudo que eu quero? E se faltar dinheiro?”

– “E se acontecer alguma coisa comigo? Quem vai me ajudar?”

– “Será que o roteiro que eu fiz é o melhor mesmo? Será que é melhor trocar alguma coisa? E se não for do jeito que eu tô imaginando…”

– “Como eu vou fazer pra lidar com a saudade da minha família e amigos estando sozinha em um lugar desconhecido?”

 

Bom, já deu pra perceber que decidir que vai fazer a primeira viagem solo, num primeiro momento, é só alegria e satisfação. Você literalmente bate no seu próprio ombro e diz: “muito bem!!! Tô orgulhosa(o)! Essa viagem vai ser incrível e vai ser o divisor de águas da sua vida. Nela você provavelmente vai descobrir seu propósito, se conectar com a sua essência e de quebra fazer vários amigos pelo mundo todo!”

Eu e todas as pessoas que já viajaram sozinhas devem ter tido esse mesmo pensamento de vitória e orgulho pela decisão de encarar essa aventura solo.

No entanto, existe também a fase 2 dos pensamentos antes da viagem, que é a fase dos medos, barreiras, desculpas, empolgação, orgulho… Tudo junto e misturado. E isso é normal e acontece com 99% das pessoas que estão indo fazer a primeira viagem solo e também já aconteceu até a maioria das pessoas que hoje faz isso (experiência de viajar sozinho) parecer super natural e fácil. Não deixe que essa fase 2 (conturbada que é) te faça desistir da sua viagem solo. Siga em frente com os preparativos, e se tiver medo, vai com medo mesmo!!!!

Entenda, que cada pessoa tem uma bagagem diferente, com visões de mundo diferentes e com pensamentos e medos diferentes. Então, não é porque o coleguinha fez a primeira viagem dele mó de boa que você também tem que fazer. Tá tudo bem aceitar o seu processo e isso faz parte da trajetória de se viajar sozinho.

Além disso, lembre-se que nas redes sociais as pessoas só mostram o palco delas e nunca os bastidores, então por mais difícil que esteja sendo pro seu coleguinha estar viajando sozinho, ele provavelmente não vai mostrar… Só vai mostrar as vitórias dele e aí vai fazer o seu processo parecer menor ou menos capaz, mas não se deixe abater com isso. Foca no teu processo de evolução e deixa o coleguinha no dele. Não dá pra se comparar quando estamos falando de individualidade.

Como organizar o primeiro mochilão

REAÇÕES DURANTE A PRIMEIRA VIAGEM SOLO

– “Super achei que seria uma boa ideia, mas agora que tô aqui não tô vendo mais sentido nisso tudo.”

– “Meu Deus! Não paro de chorar e de pensar na minha família”

– “Tô aqui no quarto do hostel sem vontade nenhuma se conhecer novos lugares!”

– “Eu pensei que fosse gostar de estar sozinha viajando, mas não tô gostando de jeito nenhum”

“Sério! Eu só queria a minha casa agora, os meus cachorros… a minha cama.”

– “ Não sabia que era tímida!”

– “Como faz pra fazer amigos?”

– “Quem vai tirar as minhas fotos?”

– “Vou me forçar a sair pra conhecer lugares e pessoas.”

– “Tô me sentindo mais livre mesmo, mas ainda tô com medo…”

– “Aíiii que tudo estar fazendo essa viagem sozinha(o)”

– “Eu sabia que eu era capaz de fazer essa viagem sozinha.”

– “E se eu me perder aqui…”

– “Aíii gastei dinheiro à toa, já quero voltar pra casa. Esse negócio de viagem solo é muito chato”

– “Com quem eu vou dividir as coisas que vão acontecer na viagem?”

– “Acho que esse lance de viajar sozinha não é pra mim!”

– “Queria que minha amiga tivesse aqui…”

– “O que será que minha mãe tá fazendo agora?”

– “Mal posso esperar pro dia seguinte.”

– “Caracaaa! No hostel tem vários gatinhos…”

– “Será que é seguro dormir nesse hostel?”

– “Onde deixo as minhas coisas? Será que alguém pode roubar?

– “Hoje o dia foi incrível, fiz vários amigos e já vou encontrar ele pra sair à noite”

– “Eu tô falando sozinha… Hahahahaha que engraçado!”

– “Será que eu quero fazer isso ou aquilo? Eitaaaa tô perguntando pra mim mesma e eu posso decidir sem ter que precisar agradar ninguém”

– “Que engraçado saber que sou engraçada sozinha e que faço piadas sozinhas… hahahaha”

– “Não tô nem aí de ir comer sozinha num restaurante”

– “Eu sou muito mais forte do que imaginava… Ninguém me segura mais”

 

Dá pra ver que as reações de quando você finalmente chega no tão sonhado destino também são confusas, né? E, provavelmente, algumas dessas reações vão fazer parte da sua experiência. Isso é absolutamente normal! Não se preocupa. É que como a gente tá tão acostumado a ver o palco das redes sociais dos amiguinhos bombando a gente tende a achar que os nossos bastidores são de fracasso e não são. Todo mundo passa por esse momento de confusão, ansiedade, orgulho, alegria, frustração… Tudo de forma bem intensa e misturada porque afinal de contas estamos sozinhos num lugar desconhecido, né?

Isso se dá, em parte, porque muita gente fala dos benefícios e conquistas de se viajar sozinha(o) e esquece de compartilhar que as reações de quando se chega no destino tão sonhado não são as que a gente de fato imaginou e a viagem não se desenrola linda e flúida como a gente tinha planejado. A verdade é que a nossa imaginação faz a gente se ver no lugar do fulaninho que você segue no Instagram que já fez 50 mil viagens sozinho e tá todo soltinho, mas a gente acaba esquecendo que aquela é a nossa PRIMEIRA experiência solo e a realidade é que a gente trava, todos os medos vem de uma vez, o choro desata e você se vê meio perdida DURANTE a viagem dos sonhos.

Por isso, não se deixe abater com as reações pessimistas ou se as suas atitudes e pensamentos forem completamente diferentes do que você tinha imaginado pra sua primeira viagem solo! É NORMAL TODO ESSE TURBILHÃO DE EMOÇÕES. Você só vai se sentir melhor depois que se libertar do pensamento de que PRECISA TER ALGUÉM pra se divertir, pra viagem ser marcante ou pra compartilhar as coisas. Quando você entender que pra sua viagem ser incrível você só precisa que VOCÊ mesmo esteja presente – que você mesmo se basta, aí todas as angústias vão embora e a viagem fica flúida do jeito que você tinha imaginado. Mas, pra isso VOCÊ precisa estar presente de corpo e alma na SUA VIAGEM!

✳️ VIAJAR SOZINHA REALMENTE MUDOU A MINHA VIDA! Eu indico e recomendo fortemente que todos façam essa aventura, apesar de ter mostrado acima que não é tão fácil quanto parece. É uma experiência necessária pro seu autoconhecimento, pra repensar as perspectivas que você tem sobre a vida, ampliar a sua visão de mundo e definir as suas novas prioridades.

MOMENTO JABÁ

🚨 Se você estiver buscando alguém experiente pra conversar sobre seus medos e barreiras de viajar sozinha(o), alguém pra te encorajar a tomar decisões que você precisa tomar e não sabe por onde começar, alguém pra te ajudar com dicas de viagem e planejamento de roteiro, alguém pra te dar ideias de como sair da zona de conforto… EU POSSO SER ESSA PESSOA se você acha que o meu conhecimento, as minhas experiências e o meu jeito de levar a vida se conectam com o que você está buscando pra sua vida nesse momento.

EU POSSO TE AJUDAR através de conversas (que podem ser ligações ou chamadas de vídeos) e exercícios que vamos fazer juntos pra abordar temas – relacionados à viagem – que você sente necessidade de suporte/auxílio.

Se você tiver interesse nesse teti-a-teti, me manda um email pra eu explicar melhor a minha proposta de “consultoria”: vidamochileira@gmail.com

 

DICAS PRA SUA PRIMEIRA VIAGEM SOLO

1- Entenda que a sua própria companhia é mais do que suficiente pra fazer uma viagem foda! VOCÊ SE BASTA! ⠀

2- Descubra quais são seus medos em viajar sozinha(o): medo da língua, medo da solidão, medo de não ter fotos?! Descubra o que te impede de ter essa experiência por sua conta e entenda se isso é realmente um motivo pra não ir. Seu medo é maior que a sua vontade de ir?⠀

3- Planeje bem seu roteiro e tenha ele impresso! Em caso de dúvidas de como chegar num lugar, aponte pro lugar que quer ir e pergunte! Não tenha medo de perguntar! ⠀

4- Aprenda a fazer mímica, desenhar, escrever… não tenha medo de viajar se não souber falar inglês! Se for contratar um serviço, escreva num papel o valor que entendeu pra ter certeza que pagará certo! Se tiver internet no celular, use e abuse do Google tradutor e Google Maps! ⠀

5- Se permita fazer amigos! Não tenha medo de falar e puxar assunto (mesmo que idiota), não tenha medo de se convidar pro programa dos outros ou convidar pessoas pros seus programas! Algumas vezes a tentativa de fazer amigos vai falhar (já aconteceu comigo), mas outras vão dar certo! ⠀

6- Tente sempre reservar hostels em quartos compartilhados! Geralmente são ótimos lugares pra novas amizades! As áreas compartilhadas do hostels também são ótimas pra interação: cozinha, varanda, sala, recepção…⠀

7- Se você estiver esperando ônibus na rodoviária, avião no aeroporto, barco no porto… Puxe assunto com as pessoas ao seu redor! Descubra o roteiro delas! Converse! ⠀

8- Faça Free Walking Tours e Pubcrawls! Geralmente são ótimos lugares pra quebrar o gelo e fazer novas amizades! ⠀

9- Os melhores lugares pra se fazer novos amigos viajando sozinha(o) são: Pubcrawl, Free Walking Tours, Pubs/bares e Hostel (o melhor lugar ever)! ⠀

10- Violência tem no mundo todo e se formos pensar nisso, não saímos de casa! Tenha cuidado, siga seus instintos, não tenha medo de dizer não pra certas coisas e pessoas, mas não use a violência como uma barreira pra te impedir de viajar sozinha(o)! ⠀

11- Se permita viver novas aventuras e não tenha medo de replanejar ou mudar completamente de planos! Tá tudo bem recalcular a rota no meio da viagem.

12- Aplique a lei do “1 minuto de coragem”. Sempre que tiver medo de alguma coisa, divida isso em pequenos passos e vai avançando de pouquinho em pouquinho. Por exemplo: Você está com medo de sair do hostel pra fazer um passeio num bairro afastado porque você acha que é perigoso. Em vez de já imaginar toda situação de você lá sendo raptada no passeio. Divide essa tarefa em vários passos: o primeiro passo é definir como vai chegar naquele bairro, o segundo passo é saber o horário do trem ou ônibus, o terceiro passo é se arrumar, o quarto passo é sair do hostel, o quinto passo é pegar o transporte, etc… Dessa forma, você vai tendo pequenas vitórias nos seus “minutos de coragem” e vai avançando sem deixar que a situação como um todo (que te dava medo) te paralise, porque a gente tende a amplificar os nossos medos e imaginar várias coisas surreais quando estamos inseguros (o que é bom pra nos deixar alerta, mas não pode nos paralisar).

OUTRAS DICAS VALIOSAS E MAIS PRÁTICAS PRA QUEM VAI VIAJAR SOZINHO:

✏️ Escolha um destino clichê pra brasileiros na sua primeira viagem: isso inclui Salar de Uyuni, Atacama, Cusco, Machu Picchu, Santiago, La Paz, Portugal, Espanha, Paris e Tailândia – isso vai te dar mais segurança já que é 99% certo de você fazer amigos;

✏️ Tente levar pouca coisa no mochilão/mala pra ter mais mobilidade e flexibilidade na viagem;

✏️ Se tiver com muito medo, faça um roteiro mais curto pra ir se adaptando e na próxima viagem você pode aumentar a quantidade de dias.

✏️ No primeiro mochilão, tente planejar tudo minuciosamente (estude sobre os lugares que vai, reserve hostels com antecedência, etc), isso vai te dar mais segurança quando você chegar lá.

✏️  Se você quer começar a viajar sozinho e tem medo por não se sentir preparado, confiante, independente ou seguro… Pense em dar passos pequenos primeiros pra depois voar mais longe!

Por exemplo, em vez de já marcar a sua primeira viagem pra um destino internacional, pense em planejar uma viagem solo até uma cidade vizinha da sua ou talvez num estado vizinho do seu. Fica uns 4 ou 5 dias experimentando esse estilo de viagem e se você se sentir bem e confiante, aí você pode dar voos mais altos e mais longes. O que acha?

Não é a distância que vai dizer se sua viagem será maravilhosa e cheias de aventuras e sim o seu espírito desbravador e o seu coração aberto às novas experiências e pessoas.

✏️ Use e abuse da Worldpackers que é uma plataforma one você disponibiliza seu tempo e sua força de trabalho em troca de acomodação e comida “gratuitas”. A plataforma tem anfitriões (pessoas e estabelecimentos que te recebem) no mundo todo. Essa forma de viajar é incrível pra quem tá indo fazer a primeira viagem solo e tá um pouco inseguro ou não tem muito dinheiro, pois você terá um anfitrião te recebendo e apesar de estar viajando sozinho não estará só!

Se você ama viajar, eu realmente acredito que vale a pena investir (uma única vez) $49,00 dólares POR ANO pra usar a plataforma da Worldpackers quantas vezes quiser, não gastar com acomodação em nenhum dos destinos que você for, não gastar (ou gastar muito pouco) com comida e ter uma experiência de turismo diferente através dos olhos de quem é nativo.

Usando meu código VIDAMOCHILEIRAWP você ganha 10,00 dólares de desconto e só paga $39 dólares por ano (em vez do valor original de $49 dólares) pra viajar de forma ilimitada pra onde você quiser (O MUNDO TODO SE VOCÊ QUISER).

🚨 DICA ESPERTA: O dólar tá caro sim e muita gente vai usar o argumento de que não tem R$ 150,00 reais pra gastar – e dessa forma continuar na comodidade da zona de conforto, mas o que eu posso te dizer é que esse dinheiro não será um gasto e sim um investimento em viagens futuras.

DICAS DE COMO TIRAR FOTOS EM VIAGENS SOLO

1- Desapegue-se da timidez (seja cara de pau mesmo e peça pra alguém tirar sua foto);⠀

2- Tente achar alguém que pareça se preocupar com o ângulo da foto (geralmente pessoas jovens e – desculpa o esteriótipo – asiáticos! Eles são maravilhosos com câmera). Evite pedir pra pessoas mais velhas, porque elas geralmente focam no seu rosto e cortam todo o resto em volta;⠀

3- Se ninguém se mostrar disponível pra tirar sua foto, peça pra tirar foto da pessoa depois peça o favor de volta (sempre funciona comigo, principalmente se você usar essa estratégia com casais);⠀

4- Abuse do timer da sua máquina (coloque ela em lugares estratégicos, acione o timer e corra pra fazer sua pose);⠀

5- Faça selfies (compre um pau de selfie – parece ridículo, mas ajuda muito). Ah! Câmeras com lentes grande-angulares como Gopro ajudam muito na hora de viajar sozinho! Sério! Mudou minha vida depois que eu comprei uma câmera dessas!;⠀

6- Confie nas pessoas, mas fique sempre em alerta (qualquer passo pra trás que a pessoa der, você já fica ligado e pronto pra correr caso corram com sua câmera);⠀

7- Deixe claro pra pessoa que tá tirando a sua foto o que você quer enquadrado nela! Parece bizarro, mas algumas pessoas não entendem que se você tá em frente a um monumento você quer que o monumento apareça na foto. As pessoas simplesmente dão zoom na tua cara e fazem uma foto 3×4 (já aconteceu comigo hahahaha);⠀

8- Aprenda a tirar fotos com a câmera no chão (no timer) e você sentado no chão! Às vezes a foto sai melhor que pedindo pra alguém tirar! ⠀

9- Se der, use um tripé pra sua câmera! Facilita bastante a vida de quem viaja sozinho. Mas, se você não tiver um tripé, use sua mochila ou sua bolsa como suporte. O que eu fiz muito foi colocar minha bolsa no chão pra dar um ângulo melhor pra foto e a câmera em cima usando o timer e saia correndo pra fazer a pose. Óbvio que eu tava sempre alerta nessas horas, já que a bolsa e a câmera estavam longe de mim!

10- Não fique com vergonha de pedir pra desconhecidos tirarem sua foto e não fique com vergonha de fazer aquela pose maravilhosa que você quer fazer, só porque não conhece o estranho que tá tirando sua foto! Pode ser sua única oportunidade naquele lugar, então faça o favor de conseguir uma foto bem tirada do jeito que você imaginou!

UMA OUTRA RESENHA MINHA SOBRE VIAJAR SOLO – JÁ NÃO SENDO A PRIMEIRA VEZ

Fui ao Porto em Portugal em 2017 e essa foi a primeira vez que viajei sem roteiro, sem programação ou com o mínimo de planejamento! Eu amo viajar com tudo organizado e com roteiro definido, mas queria viver uma experiência diferente pra ver como eu me sentia sem ter nada definido.

Eu estava viajando sozinha (não foi a minha primeira vez) e dessa vez eu queria ir conforme a minha vibe e conforme a vibe das pessoas que eu fosse conhecer! Sim! Eu sabia que ia conhecer gente!
Essa é a graça de viajar sozinha(o): você vai sozinha(o), mas nunca de fato fica só. Você sempre faz novos amigos e vive coisas incríveis se se permitir isso!

Pois bem! Fui fazer um daqueles Free Walking Tours e conheci um belga, um americano, uma inglesa, um australiano e uma coreana (todos viajando sozinhos) e por ironia do destino, formamos um grupo!

Passeamos juntos, jantamos juntos, rimos juntos e até discutimos política juntos… No fim, nos despedimos com a certeza de que iríamos nos esbarrar de novo por esse mundão! E nos esbarramos, mais precisamente no dia seguinte onde todos marcaram de se encontrar cedinho pra turistar pela cidade.

No terceiro dia de viagem eu inventei de surfar em Matosinhos (sou carioca e nunca tinha surfado antes) e o americano e o belga decidiram fazer a aula de surf junto comigo! Conhecemos um cara da Hungria, uma menina do México, uma menina da Letônia e uns meninos de Portugal!

Pronto!!! Juntou todo mundo e viramos um novo grupo! Agora mais aventureiro! Pulamos da ponte do Porto juntos, inventamos uma road trip juntos (sim! Eu aluguei um carro e dirigi por 1h30min com 3 pessoas que nunca tinha visto antes! Detalhe! Eu odeio dirigir em autoestrada, mas venci o medo, afinal eu era a única que tinha carteira de motorista rsrsrs).

No outro dia conheci uma brasileira que me perguntou se eu queria fazer um bate e volta de ônibus até a Espanha! Eu disse que sim e fomos conhecer as Ilhas Cíes! Caraaa que lugar lindo! E o mais engraçado é que eu nem fazia ideia de que ele existia no mapa!

O que eu quero dizer com tudo isso?

É que quanto mais viagens a gente faz e mais pessoas a gente conhece, mais sentimos gratidão por tudo que vivemos! Eu fui pra lugares que nunca teria ido se tivesse me planejado! Conheci pessoas maravilhosas que nunca teria conhecido se viajasse fechada no meu próprio mundinho!

Viajar sozinha, sendo mulher, dá medo sim, mas não pode ser uma barreira pra você se privar do que gosta de fazer! Eu sou mulher e mochileira e não existe nada no mundo que me deixa mais feliz do que viajar e conhecer pessoas novas!

Aos homens que viajam sozinho, respeitem as mulheres que também viajam sozinhas! Nessa viagem eu tive mais amigos homens do que mulheres e foi maravilhoso! Todos me respeitaram muito!

A gente tem que se permitir viver! Abrir nossa mente, ultrapassar nossas barreiras e fazer aquilo que gostamos de fazer!

Ahhhh! No final da viagem acabei cheia de novos amigos e muitas histórias incríveis! Inclusive eu, o americano e o belga marcamos de nos encontrar novamente numa viagem pela Europa (temos até grupinho no Whatsapp pra marcar as viagens hahahaha).

Como é viajar pela Worldpackers?

CONCLUSÃO: VALE A PENA VIAJAR SOZINHA OU NÃO?

Não me acho a pessoa mais corajosa do mundo, mas me sinto livre pra fazer o que der na telha porque não permito que as pessoas tenham qualquer influência sobre minhas decisões e, principalmente, sobre o que eu julgo me fazer feliz – por isso mesmo tento coisas novas, arrisco, mudo de planos, me reinvento todo dia e deixo ir o que não é pra mim (ignorando o que os outros vão achar disso). As opiniões que as pessoas têm sobre a minha vida são delas. Eu tenho a minha própria opinião de mim mesma e isso já basta pra mim! 👊

Eu não vou deixar de fazer uma coisa que me faz tão feliz – que é viajar por aí – porque alguma coisa pode acontecer! Coisas ruins podem acontecer com qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo. Eu não me privo de fazer as minhas viagens sozinhas ou qualquer outra coisa por ser mulher, até porque eu me vejo tão capaz quanto qualquer homem!

Viajar sozinha dá medo sim, mas não pelo motivo que a maioria das pessoas pensa: o fato de sermos mulheres.

⚠️ Viajar sozinha dá medo porque para a maioria das mulheres, é a primeira vez que estão por conta própria, sem ninguém conhecido pra julgar, sem ninguém por perto pra ter que ficar se provando o tempo todo que é capaz. Viajar sozinha é sair da rotina sabendo que não vai precisar se adequar, agradar ou se rotular o tempo todo.

Essa sensação de liberdade absoluta e plena dá medo também, afinal a sociedade vive nos podando, nos julgando e nos dizendo o que é “certo e errado” e a maioria de nós, em algum momento, se desconecta da nossa essência por tá sempre tentando se encaixar. Mas, a verdade, minhas amigas e amigos, é que no final das contas só a gente mesmo sabe afirmar o que é CERTO pra gente!

E se alguém tem uma opinião diferente sobre o que você deveria fazer com a sua vida, CAGA BALDES (falando um português bem claro), afinal, o julgamento do outro é só isso mesmo: um ponto de vista do outro e isso não tem nada a ver com você!

Viajar sozinha(o) não deveria dar medo a ninguém! Deveria ser uma coisa obrigatória na vida de cada um como parte do aprendizado de autoconhecimento, responsabilidade, maturidade e sagacidade!

A gente não deveria ter medo de viajar sozinha(o) por causa da violência, solidão ou medo de não saber falar inglês, porque sem dúvida alguma, a melhor coisa que você pode fazer a si mesmo é se permitir fazer uma viagem por sua própria conta!

Viajar sozinha(o) além de abrir seus horizontes, te permite vivenciar o autoconhecimento e descobrir coisas sobre si mesmo que nunca imaginou descobrir! Viajar sozinha(o) te faz sair da zona de conforto, te obriga a fazer novos amigos e ser mais sociável!

Faça uma favor a si mesmo: marque uma viagem sozinha(o) e se jogue! Se permita viver tudo que tem pra viver e conhecer o maior número de pessoas e lugares que você conseguir e quando fizer isso, me mande uma mensagem e me diga como foi sua experiência!

CONCLUSÃO: Eu não escrevi esse post pra te desmotivar a viajar sozinha(o), eu escrevi esse post pra te mostrar que existe dificuldade sim e que é normal ter um turbilhão de emoções quando se vai fazer a primeira viagem solo. As pessoas que já fizeram várias vezes fazem parecer fácil e acabam por não compartilhar os medos e inseguranças que também tiveram na PRIMEIRA viagem solo de suas vidas. O que eu quero reforçar com esse post é que vai dar medo, vai passar um monte de coisas boas e ruins pela sua cabeça, você provavelmente não se sentirá tão confortável quando de fato estiver viajando sozinha(o), mas não deixe que esses medos e pensamentos te privem de viver uma experiência maravilhosa pro seu autoconhecimento.

Viajar solo é incrível, transformador e realmente empoderador e é por isso que eu continuo viajando sozinha, mesmo estando dentro de um relacionamento. Eu não me privo de apenas viajar com meu noivo. Eu chamo ele pra viajar comigo, mas se ele não quiser ir eu não forço, mas também não abro mão da minha viagem, vou sozinha mesmo e cada vez mais feliz com as histórias que tenho pra contar.

Te vejo por aí! Tenho certeza que um dia a gente ainda vai se esbarrar por esse mundão.

** Você não precisa viajar pra se tornar uma pessoa questionadora sobre os significados da vida ou pra encontrar a felicidade (até porque isso tá dentro de você mesmo), mas te garanto que se você não for uma pessoa com muitas indagações agora, depois que fizer uma viagem isso vai mudar!

*** Viajar é a maneira mais rápida de viver experiências inesquecíveis que vão mudar, nem que seja um pouquinho, a sua forma de ver o mundo e te ajudar no seu autoconhecimento.

 

Espero que esse post tenha sido útil e se você conhece alguma pessoa que precisa ler isso, compartilha o link com ela!

Ahh! Não esquece de me seguir no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar as minhas aventuras!

Até a próxima!

Beijos,

Mary

 

Gostou das dicas do blog?

Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso e recomendo:

– Worldpackers ($10 dólares OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRAWP): Worldpackers
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb
– Cartão de débito internacional: Transferwise
– Passeios no Atacama, Salar de Uyuni e Santiago (10% OFF VIDAMOCHILEIRA10): @fuigosteitrips
– Seguro Viagem (5% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA5): Seguros Promo
– Seguro Viagem para viagens longas e nômades digitais ($37 dólares por 4 semanas): SafetyWing
– Chip de Internet (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10): Chip de Internet Yes Brasil
– Consultoria de viagens comigo: vidamochileira@gmail.com
– Aluguel de carro: Rentcars

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras!