Roteiro de Londres, Inglaterra (3 dias)

0

Querida Londres,

Que cidade incrível e apaixonante você é! Mesmo com seus dias nublados e seu vento gelado no meu rosto, eu arrisco dizer que sou apaixonada por você! ⠀

Amor verdadeiro e recíproco (eu acho), porque toda vez que eu venho te visitar, Londres, você inventa de me surpreender de alguma forma, seja fazendo um dia lindo de primavera em 2013 (nosso primeiro encontro) ou aquele calor no verão londrino em 2015, seja me dando aquela foto especial com o Big Ben em 2016 ou aquela outra foto debaixo da ponte com o parlamento de fundo em 2017! Mas, em 2018 você se superou, Londres, me deu de presente um dia congelante e todo branquinho de neve! Você me deu quatro estações no mesmo dia! ⠀

Londres, já estamos indo pro nosso sétimo encontro e o amor continua crescendo! Ver neve no inverno foi incrível, mas, vamos combinar de nos encontrar de novo no verão?! Acho que suas cores e seu humor ficam ainda mais irresistíveis com o sol batendo no meu rosto e alegrando o sorriso de quem vai poder te curtir inteira sem casaco e luvas e sem pausas pra se aquecer do frio! ⠀

Porque, Londres, eu sou tão apaixonada por você que eu poderia voltar a te encontrar todos os anos e nunca cansaria de apreciar sua beleza. Eu sou tão apaixonada por você que não me importo de te conhecer de novo e de novo, visitando os mesmos lugares e explorando muitos outros novos!

Bom, como deu pra ver, eu sou apaixonada por Londres e, pra mim, é uma das cidades mais interessantes da Europa. Como eu não tinha o blog na época que fiz um tour geralzão pela cidade (visitando todos os cantos possíveis), algumas informações detalhadas (como valores de passeios e gastos mais específicos) vão ficar faltando, mas eu prometo ajudar, na medida do possível, se vocês tiverem qualquer dúvida, basta deixar um comentário nesse post ou me mandar um direct no Instagram (@vidamochileira) que eu respondo no mesmo dia.

Eu conheci Londres, pela primeira vez, em 2013 num mochilão de 10 dias que eu fiz sozinha. Nesse mochilão eu morava em Portugal, na Ilha da Madeira, e peguei uns dias que eu tava tranquila na faculdade pra fazer o roteiro: Londres – Edimburgo – Dublin.

O meio de locomoção dessa viagem foram as companhias aéreas low cost, super famosas na Europa (Easyjet e Ryanair). E nas cidades mesmo, eu andava de um ponto turístico ao outro e raramente pegava transporte público.

Em Londres, eu fiz tudo andando (tudo mesmo! Eu nunca andei tanto visitando uma cidade quanto andei em Londres). O que sempre recomendo é listar tudo que você quer conhecer no destino que você tá indo e tentar organizar tudo em dias. Agrupe os pontos turísticos pertos uns dos outros em dias diferentes e pense sempre na logística de transportes.

Exemplo: Os pontos turísticos A, B, C e D estão perto da zona X e os pontos turísticos E, F, G, H, I e J estão perto da zona Y. Separe um dia pra fazer a zona X e um dia pra fazer a zona Y, porque dessa forma você gasta uma vez com o transporte de longa distância e depois consegue fazer andando os pontos turísticos ou pegar transporte público que não vai demorar muito de um lugar pro outro.

Às vezes não tem como fugir, você vai ter que ir de uma zona pra outra se seu roteiro tiver muito apertado e você tiver que conhecer tudo em dois dias, por exemplo. Mas, num mundo ideal a melhor forma de se fazer uma programação é pensar na logística de deslocamento e da proximidade dos lugares que você vai conhecer num determinado dia. 

MELHOR ÉPOCA DO ANO PRA IR PRA LONDRES?

A melhor época do ano pra visitar Londres vai depender do estilo de viagem de cada um. Isso porque Londres é uma cidade bem chuvosa e de temperaturas baixas, além dos seus famosos dias nublados. Ou seja, as estações do ano costumam ser bem definidas.

Se for pensar pelo ponto de vista de um turista que quer aproveitar o máximo da cidade, de fato, o verão é a época do ano mais recomendada pra quem quer passear pelas ruas da cidade e aproveitar ao máximo os pontos turísticos ao ar livre – Londres tem muitos parques e bairros famosos que valem a pena ser visitados com calma num dia bonito (sem chuva). No entanto, em contraste com o clima agradável você terá ruas mais movimentadas e passagens aéreas e hospedagem mais caras devido à alta temporada. Sério! No verão, Londres vira o fervo dos turistas principalmente nos meses de julho e agosto, que são as férias escolares.

No inverno, as temperaturas caem bastante (podendo chegar a temperaturas negativas em janeiro e fevereiro), a frequência de ventos aumenta um pouco e se você der sorte (ou não) pode ver neve em alguns lugares. O problema do inverno é que como as temperaturas são muito baixas, as pessoas não costumam ficar pelas ruas e a cidade fica com um ar de triste. O ponto positivo dos meses de inverno é que as passagens aéreas e hospedagem ficam com preços bem acessíveis. A Ryanair e a Easyjet (cias aéreas low cost) sempre fazem alguma promoção.

O outono e a primavera são estações interessantes pra fazer uma visita à Londres. As temperaturas são amenas, não tem tanto turista na rua como no verão e os preços de passagens aéreas e hospedagem são bem atrativos. Na primavera, em especial, eu acho que é um dos momentos mais lindos de visitar Londres, pela beleza das flores que tomam conta dos parques. Tudo está florido, colorido e verdinho, o que deixa a cidade com um ar alegre e convidativo pra se passear pelas ruas, mesmo que as temperaturas não estejam tão altas como no verão inglês.

 

DICAS DE LONDRES

Dicas de lugares clichês pra tirar fotos especiais em Londres!

🚨 Já salva esse post nos teus favoritos e manda esse link pros amigos que estão indo pra Londres!

1- Foto na cabine telefônica vermelha tradicional de Londres com o Big Ben de fundo. Vá até a esquina da Great George Street (SW1) com a Parliament Street (SW1). Ande uns dois minutos na Great George Street e você vai ver vários telefones vermelhos! Escolha o primeiro telefone, faça uma pose linda, centralize o Big Ben na foto e tcharã! Você terá uma foto clássica de Londres. ⠀
⠀ ⠀
2- Foto “emoldurada” com o Parlamento e o Big Ben de fundo. Ande pela Westminster Bridge e em vez de descer pro lado da London Eye, desça no outro lado da ponte (com vista direta pro Parlamento)! Desça a escada e vire logo pra direita e continue andando! Você vai ver uma parede, continue andando e vire à direita! Ali tem uma passagem subterrânea. Pare bem no arco dessa passagem, encoste na parede, faça uma pose, centralize o Big Ben e o Parlamento e você terá sua foto clichê de Londres! ⠀
⠀ ⠀
3- Foto com a Tower Bridge. Tire foto do lado que tem o forte (tipo um castelo)! A ponte é linda dos dois lados, mas quando você atravessa pro lado que tem o forte tem um ângulo mais bonito! ⠀

O QUE FAZER EM LONDRES?

  • Big Ben,
  • Abey Road (Beatles Street),
  • Station Harry Potter (King Cross),
  • Camden (district of Amy Winehouse),
  • Line Greenwich,
  • Abbey Westminster Abbey,
  • Westminster Cathedral,
  • Changing of the guard of Queen (Trafalgar Square to the Mall and Buckingham Palace),
  • The Darwin Museum,
  • Green Park,
  • Harrods,
  • Hyde Park,
  • Hamleys Toy Shop,
  • Bond Street,
  • Portobello Road Market,
  • Tate Modern,
  • London Dungeon,
  • Soho,
  • The Monument,
  • Chinatown,
  • Notting Hill,
  • Regent’s Park,
  • The Royal Albert Hall,
  • The Shard,
  • Kensington Palace,
  • Windsor Castle,
  • Hampton Court Palace,
  • Somerset House,
  • Knebworth House,
  • The Gherkin,
  • National Gallery,
  • Barbican Centre,
  • St Pancras International
  • London Eye,
  • Porticullis house,
  • Parliament Square,
  • Palace of Westminster,
  • Westminster,
  • Buckingham Palace,
  • St James Palace,
  • Piccadilly Circus,
  • Oxford Street,
  • British museum,
  • Leicester Square,
  • Trafalgar Square,
  • Covent Gardem,
  • Whitehall,
  • The globe (Theatre Shakespeare),
  • Tower Bridge,
  • Tower of London,
  • Old Billingsgate Market,
  • St Stephen Walbrook,
  • Mansion house,
  • St Paul’s Cathedral,
  • Paternoster Square,
  • Popstman’s Park,
  • Museum of london,
  • Hoop & grapes,
  • Bridge millennium
  • Free Walking Tour

FORA DE LONDRES

– Bath,

– Stonehenge

 

QUANTOS DIAS FICAR EM LONDRES?

Eu fiquei 3 dias em Londres e consegui conhecer bastante coisa (muita coisa mesmo), tudo que eu queria. Acho que 3 dias são suficientes. Inclusive, eu consegui fazer um passeio de metade de um dia pra conhecer Stonehenge (aquelas pedras enormes que estão posicionadas de forma misteriosa até hoje), que fica fora de Londres.

Eu fiz o meu passeio com uma agência turística e fechei o passeio na própria recepção do meu hostel, onde eles me pegaram e me deixaram de volta no final do passeio.

Outra opção de passeio com agência de turismo seria fazer o roteiro: Bath e Stonehenge, mas esse roteiro leva o dia inteiro, então se você também quiser conhecer Bath (que eu super recomendo porque é uma cidade muito antiga, interessante e bonita – visitei alguns anos depois com o Mark) eu sugiro que você fique, pelo menos, 4 dias em Londres.

ONDE SE HOSPEDAR EM LONDRES?

Eu já fui algumas vezes à Londres e em todas as vezes eu fiquei numa acomodação diferente: Já fiquei em diferentes hostels em regiões diferentes da cidade e também em casa de amigos.

Vou listar abaixo os hostels que eu fiquei (todos bem simples) e alguns recomendados pelo Booking.com por ter mais gente procurando:

– London Waterloo Hostel (primeira vez que viajei sozinha pra Londres)

– Sidney Hotel (primeira vez que fui à Londres com o Mark)

– London Backpackers Youth Hostel

– Smart Hyde Park Inn Hostel

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

GASTOS DA VIAGEM DESSE ROTEIRO DE LONDRES

Como eu falei ali em cima, eu viajei pra Londres em 2013 quando eu ainda não tinha o blog e não tinha o hábito de anotar todos os meus gastos durante as viagens.

Na época (2013), o que eu fazia na hora do meu planejamento pra ter, mais ou menos, noção de quanto eu ia precisar juntar pra viagem, era calcular por alto minhas despesas dessa forma – e durante a viagem tentava me manter dentro do plano estipulado:

  • 10,00 euros por dia pra alimentação;
  • 15,00 euros por dia pra acomodação;
  • 10,00 euros por dia com passeios e imprevistos;
  • A conta do transporte eu fazia antes a partir do valor das passagens de avião e os transportes nas cidades eu tentava gastar o mínimo possível com transporte público, muitas vezes optando por andar o dia todo pra economizar – caso eu já soubesse que uma cidade ou outra tinha pontos turísticos em bairros muito afastados, eu calculava mais ou menos 5,00 euros por dia de transporte público;

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Usei esses valore e a moeda euros, nesse caso, pelo roteiro ter sido na Europa. Como eu morava em Portugal na época, eu tinha, mais ou menos, noção dos valores das coisas. Mas, se fosse em um país da América Latina ou da Ásia, por exemplo, eu pesquisaria em blogs de viagens quanto as pessoas, geralmente, gastam em cada um dos tópicos acima e faria as contas baseadas no meu estilo de viagem e no quanto tenho pra gastar.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE 2: Esses cálculos eu fazia quando viajava sozinha e que meu objetivo era gastar pouco. Minha dica é usar esse cálculo como base, mas pensar também no estilo de viagem que você quer fazer e quanto está disposto e tem pra gastar. Outra coisa muito importante é levar sempre um dinheiro como reserva pra caso você tenha um mega imprevisto (como eu, que tive que pagar uma multa de 100,00 euros em Viena). Sempre tenha, pelo menos, 100,00 ou 200,00 euros a mais do que o planejado em caso de emergência.

Hoje em dia, o que eu faço é pesquisar bastante em blogs de viagem e nos sites das cidades pra ver o preço de tudo (passeios, transporte público e comida) pra fazer um planejamento bom e o mais próximo da realidade possível. Mas, continuo levando meus 200,00 euros a mais (extras) pra casos de emergência (OU, se preferir, você pode estipular 200,00 dólares em caso de moedas diferentes numa mesma viagem). Por exemplo: Recentemente eu perdi o meu voo pra Inglaterra e tive que pagar 200,00 libras pra remarcar meu voo, se eu não tivesse meu dinheirinho de reserva estaria ferrada e teria que pedir emprestado pros outros.

Você pode se planejar o máximo que puder, mas imprevistos acontecem e ninguém está livre deles. Por isso, esteja preparado pros que vão vir nas suas viagens!

DICA DE OURO: Existe uma aba no blog chamada “ROTEIROS GRATUITOS” e lá você pode baixar todas as planilhas que eu tenho de roteiros de viagem. É tudo gratuito e você encontra na planilha não só dica de lugares pra visitar, como também dicas de transportes, hostels e gastos.

 

Espero que esse post tenha sido útil e se você conhece alguma pessoa que precisa ler isso, compartilha o link com ela!

Ahh! Não esquece de me seguir no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar as minhas aventuras!

Até a próxima!

Beijos,

Mary

 

Gostou das dicas do blog?

Toda vez que você usa um link do blog, eu ganho uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso (nadinha)! Você simplesmente me ajuda a continuar produzindo conteúdos que, com certeza, vão te ajudar nas suas próximas viagens!

Os links do Vida Mochileira são de serviços que eu mesma uso e recomendo:

– Worldpackers ($10 dólares OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRAWP): Worldpackers
– Hospedagem: Booking.com, Airbnb
– Seguro Viagem (5% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA5): Seguros Promo
– Chip de Internet (10% OFF usando o cupom VIDAMOCHILEIRA10): Chip de Internet Yes Brasil
– Aluguel de carro: Rentcars
– Consultoria de viagens comigo: vidamochileira@gmail.com
– Passeios no Atacama, Salar de Uyuni e Santiago (10% OFF VIDAMOCHILEIRA10): @fuigosteitrips

Muito Obrigada! Me segue também no Instagram (@vidamochileira) pra acompanhar minhas aventuras!