GERÊS – Um paraíso escondido em Portugal

Koh Nang Yuan
KOH TAO (Roteiro completo – 3 dias)
29 de junho de 2017
Aveiro 2
AVEIRO – A Veneza portuguesa!
10 de julho de 2017
 
Oiii Gente!

Antes mesmo de você ler o post, dá uma olhadinha nesse vídeo que eu fiz do Gerês pra se inspirar e ler esse post com muito mais vontade de sair correndo pra conhecer esse lugar! CLIQUE AQUI.

Num “belo” dia chuvoso na Inglaterra eu decidi comprar uma passagem pra visitar minha família no Porto. A ideia era não planejar roteiro e deixar a experiência de viajar sozinha falar mais alto.

Pois bem! Algumas pessoas no Instagram super recomendaram um bate e volta do Porto ao Gerês e apesar da minha família toda por parte de pai ser portuguesa eu nunca nem tinha ouvido falar desse lugar.

Aíii é que tá o pulo do gato! A maioria dos portugueses conhecem esse paraíso chamado Gerês, mas a turistada ainda não descobriu e por isso, ainda é um bom lugar pra se desligar do mundo e curtir a natureza na sua forma plena.

Encontramos pouquíssimas pessoas nas cachoeiras e as ruas estavam quase desertas. Tá! Beleza que era uma quinta-feira e por isso não devia ter tanto movimento (mesmo dos próprios portugueses), mas acredito que se você for aos finais de semana deva pegar o local um pouco mais cheio, mas nada absurdo comparado aos locais que já caíram na boca do povo, né?

SOBRE O GERÊS
Eu já viajei muito e já conheci muitos lugares lindos por esse mundão, mas ainda sim consigo admirar a beleza de um lugar repleto de natureza, principalmente quando não tenho nenhuma expectativa.

O Gerês de fato me surpreendeu muito, mexeu alguma coisa dentro do meu coração que me conectou com a natureza de um forma tão mágica e pura que eu só conseguia sentir gratidão por tudo. Pra onde quer que eu olhasse eu sentia gratidão por ter tido a chance de ver algo tão lindo como tudo que vi no Gerês.

Como eu disse antes, o Gerês é bem conhecido entre os portugueses, mas ainda não caiu no conhecimento geral dos turistas, então é uma ótima opção pra quem tá querendo fazer coisas diferentes em Portugal que não seja visitar igrejas e monumentos.

O Gerês é uma das maiores atrações naturais de Portugal! Muita gente pensa logo no Algarves quando quer conhecer um lugar de natureza, né? Mas, se você estiver pelo Porto e tiver um diazinho no seu roteiro sobrando, não deixe de conhecer o Gerês, eu juro que você não vai se arrepender!

O Gerês tem uma rara e surpreendente beleza, com paisagens de tirar o fôlego e cachoeiras que não acabam mais. Além disso, esse lugar tem uma variedade de fauna (lobos, aves de rapina, cervos cavalos...) e flora (pinheiros, castanheiros, carvalhos e várias plantas medicinais) que você vai ficar impressionado.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês estende-se desde a Serra do Gerês, ao sul, passando pela Serra da Peneda até a fronteira espanhola. Segundo o próprio site do Gerês, o trajeto inclui trechos da estrada romana que ligava Braga e Astorga, conhecida como Geira.

O parque tem dois importantes centros de peregrinação, o Santuário de Nossa Senhora da Peneda e o de São Bento da Porta Aberta, local de grande adoração popular.

"O Parque Nacional da Peneda-Gerês é recortado por dois grandes rios, o Rio Lima e Cávado e abrange os distritos de Braga , Viana do Castelo e Vila Real numa área total de cerca de 70.290 hectares que afetam o território de 22 freguesias".

Sites sobre o Gerês:

- http://www.geres.pt/

- http://www.serradogeres.com/


MELHOR ÉPOCA PRA IR AO GERÊS?
A melhor época pra visitar o Gerês, sem dúvida alguma, é durante o verão (entre Junho e Setembro).

Por dois motivos:

1- O horário de verão faz os dias serem mais longos, então você vai aproveitar mais o lugar com mais horas de sol;

2- O clima é mais quente e tem mais dias de sol (não que você não possa visitar o Gerês com chuva, só acho que pode ser perigoso, pelas pedras serem escorregadias, e a água muito gelada).

Nós fomos ao Gerês em meados de Junho (22/6/2017 pra ser mais exata) e pegamos a manhã nublada quando estávamos saindo do Porto, mas pegamos uma tarde ensolarada quando chegamos ao Gerês.

Confesso que a graça daquele lugar é ir com sol, porque quando o sol bate na água das cachoeiras, você consegue ver o quão transparente elas são, consegue ter coragem pra entrar na água gelada porque sabe que em 10 minutos no sol vai estar seco(a) de novo e com o sol você consegue ver o horizonte e as belas paisagens do alto dos vários miradouros que tem pelo caminho.

Nós saímos do Porto às 11:00 da manhã e chegamos à Vila do Gerês às 12:30 (indo tranquilos, sem correria). Da Vila pro Parque Nacional são mais 30 minutos de carro, então calculo aí que sejam 2 horas do Porto ao O Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Tivemos muita sorte! Saímos do Porto com o tempo completamente fechado e chegamos a pegar chuvisco pelo caminho, mas foi só a gente estacionar que o sol abriu e o dia foi absolutamente incrível! Tá! Beleza que a gente já tinha visto a previsão do tempo e a gente já sabia que à tarde faria sol! hahahahahaha

Tente ir nos meses do verão pra poder curtir as cachoeiras (entrar de fato nelas) e curtir as paisagens, mas se não tiver como, se você não for a Portugal no verão, tente ir ao Gerês, pelo menos, num dia ensolarado mesmo que esteja no inverno! É muito importante que o dia seja de sol pra você poder ver tudo que o lugar tem pra oferecer. Eu não iria num dia chuvoso ou nublado, por exemplo!

fundo parallax

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é considerado pela UNESCO:
Reserva Mundial da Biosfera.

 
COMO CHEGAR NO GERÊS?
- Existe um ônibus que sai de Braga e te deixa na vila do Gerês!

Essa foi a informação que me passaram na tenda de informações turísticas no Porto, mas pra ser bem sincera a informação não me pareceu muito precisa rsrsrsrsrs.

Se existir mesmo esse ônibus, te garanto que a frequência não será das melhores e mesmo assim você terá um pequeno problema: a vila do Gerês (que é onde tem os hotéis, pousadas e restaurantes) fica a 30 minutos de carro do Parque Nacional da Peneda-Gerês (que é onde tem as cachoeiras e miradouros), ou seja, mesmo que você consiga chegar à Vila do Gerês ainda sim vai ter que andar muito pra conhecer as cachoeiras (a maioria das trilhas é só subida e de carro já achei bastante chão, imagina andando)!

A melhor opção pra conhecer o Gerês é de carro!

Se você tiver viajando sozinho ou não souber dirigir, faça que nem eu: faça amigos pelo caminho e convença-os a conhecer o Gerês com você! Hahahahahaha

Eu fiz um Free Walking Tour no meu primeiro dia no Porto e nesse dia conheci duas pessoas maravilhosas, aquele tipo de mochileiro que topa tudo, sabe? O Laurent (belga) e o Ian (americano) e quando descrevi o Gerês pra eles (detalhe: eu nunca tinha ido lá, mas soube vender o peixe do lugar), eles toparam na hora!

Depois conhecemos mais três meninas: a Mariana (mexicana), a Sintija (da Letônia) e a Ludmila (brasileira) que também super animaram de ir com a gente! Porrannn! Show de bola!

Mas, como não conseguimos ir na quarta-feira (como tínhamos planejado), a Ludmila e o Laurent acabaram por não conseguir ir e fomos só nós quatro: eu, Ian, Mariana e Sintija.

Alugamos um carro da Sixt porque achamos mais confiável, mas também tínhamos visto a opção de alugar na Jet Cost (que depois descobrimos que era uma companhia OK, apesar de ter visto alguns comentários negativos no TripAdvisor). Óbvio que existem muitas outras companhias, to falando das mais baratas que eu vi na época que fui (21/06/2017).

A Jet Cost oferece carros a partir de 5,00 euros por dia, mas depois que você inclui o seguro básico vai aumentando o valor (confesso que achei que era empresa fantasma porque o preço era muito barato) e a Sixt oferece carros a partir de 10,00 euros por dia já com o seguro básico incluso.

Como eu já conhecia a Sixt, optei por alugar numa empresa que já tinha ouvido falar e que podia pegar o carro na cidade em vez de pegar no aeroporto (a única opção da Jet Cost é pegar o carro no aeroporto, aí acabaríamos gastando mais porque teríamos que pagar o ticket do metrôs de ida e volta da cidade até o aeroporto... Faz sentido?)


COMO A GENTE ALUGOU A CARRO?
Tinha a opção de reservar o carro pelo site ou ligando.

Como eu tenho o chip internacional de celular, preferi ligar, mas se você reservar pelo site vai conseguir exatamente os mesmos valores (não tem diferença).

Na quarta-feira à noite eu liguei pra Sixt e pedi pra resevar o carro para às 9:00 da manhã de quinta-feira. Como eu que ia dirigir e não entendo nada de carro, pedi pro moço me dar o menor carro (odeio carro grande e Sedan) pra 5 pessoas (eu achei que ainda conseguiríamos mais alguém pra ir no grupo).

OBS: Carros manuais são sempre mais baratos que carros automáticos. Tipo MUITOOOO mais baratos. Ian é americano e, obviamente, só sabe dirigir carro automático e quando ele tava pesquisando viu o carro por 51,00 euros por dia e eu como só dirijo manual pesquisei e achei por 15,00 euros por dia! Hahahahahaa Óbvio que eu escolhi o carro mais barato e ele deve ter escolhido um carro fodinha, mas mesmo assim tem bastante diferença no valor!

O cara só pegou meu e-mail, meu telefone de contato e confirmou a reserva pro dia seguinte.

Na quinta-feira de manhã eu e Ian fomos andando do centro (Praça da Liberdade) até à Sixt (Avenida da Boavista, 1.203). Deram uns 40 minutos de caminhada até lá e quando chegamos tava um pouco cheia, então resolvemos comprar uns sanduíches e biscoitos no Pingo Doce (mercado super famodo em Portugal) porque sabíamos que lá no Gerês não ia ter nada e passaríamos o dia todo na rua.

Depois de abastecer nossas mochilas, voltamos à Sixt e o processo de aluguel foi bem fácil e rápido.

A moça confirmou o modelo e a marca do carro: Polo da Volkswagen

Depois ela pediu minha carteira de motorista

Depois ela pediu um cartão de crédito no nome da pessoa que ia dirigir pra fazer o bloqueio de 300,00 euros por segurança, mas ela disse que esse valor nunca é descontado (a não ser que tu faça alguma merda com o carro... hahahahaha)

Depois ela perguntou se iríamos querer o seguro completo: nessa parte é onde eles começam a adicionar valores. E como a gente já tinha o seguro básico no valor do carro (que deve ser contra arranhão apenas hahahahaha) não pegamos o seguro completo que acho que cobre batidas e roubo (fica a critério de cada um).

Depois ela perguntou se iríamos querer o passe verde ou via verde (não lembro... sei que era alguma coisa verde), basicamente é aquele negócio de via rápida que não precisa parar no pedágio. Como a gente não sabia quantos pedágios eram, pedimos pra acrescentar, porque aí não precisávamos parar no pedágio, seguíamos por uma via direta!

Esse negócio de via rápida funciona assim: Você paga um extra pra colocar no vidro no carro e passa direto pelos pedágios e depois de 10/20 dias, recebe uma fatura no mesmo cartão de crédito que você deu pra bloquear o valor de 300,00 euros (sabe?). Essa fatura é bem pequena, porque disseram que cada pedágio custa em torno de 0,30 a 0,50 cêntimos.

Depois ela perguntou se a gente ia querer GPS (custo adicional). Como eu tinha internet boa no celular, dissemos que não porque iríamos usar o Google Maps do meu celular mesmo.

Depois ela perguntou se queríamos pagar a taxa de gasolina ou não. Como não iríamos gastar o tanque todo, preferimos não pagar a taxa e devolver o carro com tanque cheio e aí só teríamos que pagar o que consumimos. A outra opção é você já pagar o tanque cheio e devolver o carro do jeito que tiver (sem precisar se preocupar em encher o tanque depois... Essa opção é boa quando você roda muitos quilômetros e tem certeza de que vai quase acabar com toda gasolina).

Depois de tudo certo e fechado ela nos passou o valor total e pediu um cartão pra pagar. Esse cartão pode ser o do motorista ou de qualquer pessoa. Como o Ian queria dinheiro vivo porque pagava toda vez que sacava dinheiro, ele quis pagar o valor do aluguel no cartão dele e depois a gente pagou ele em dinheiro!

OBSERVAÇÃO 1: O aluguel do carro na Sixt é por 24 horas! O que significa que se você pegar o carro às 9:00 da manhã numa quinta-feira, só precisa devolvê-lo às 9:00 da manhã da sexta-feira, por exemplo.

OBSERVAÇÃO 2: Se você não quiser ficar com o carro até o dia seguinte é preciso que faça o retorno dele até às 20:00.

Ahhhh! Aí você deve se perguntar: Tá! Beleza! Se eu ficar com o carro 24 horas e estiver num hostel, onde vou estacionar o carro?

Muito simples! Basta você procurar os estacionamentos de rua que tem a máquina de estacionamento. Fizemos isso! Como a gente chegou muito tarde do Gerês e não conseguimos chegar a tempo de retornar o carro às 20:00, fomos até o centro do Porto, numa das ruas paralelas e vimos vários carros estacionados e perto tinha uma máquina pra pagar o bilhete.

Das 20:00 às 8:00 o estacionamento é de graça! Você pode estacionar sem precisar pagar pelo ticket. Mas, CUIDADO! Se você achar que vai se atrasar pra pegar o carro no dia seguinte, mas vale colocar 1,00 ou 2,00 euros na máquina pra retirar um ticket que te dá direito a retirar o carro mais tarde e fica livre de multa!

Como a gente tinha que retornar o carro às 9:00, achamos melhor colocar 0,50 cêntimos na máquina e ganhar mais 24 minutos! Hahahahaha Logo, tínhamos até 8:24 pra retirar o carro sem nos preocupar com multa. Aí foi muito de boa e deu tempo certinho de chegar na loja às 9:00!

DICA: Quando colocar no GPS, coloque já a localização correta de uma das cachoeiras principais do Parque Nacional do Gerês (Portela do Homem ou Cascata do Arado), porque se você colocar só Gerês vai parar na Vila e lá não tem nada!
 
TOTAL DO ALUGUEL DO CARRO:

13,99 euros – Diária do carro (Polo da Volkswagen – 5 lugares)

3,22 euros – Via rápida do pedágio

35,00 euros – Total de gasolina que tivemos que colocar pra devolver o carro com o tanque cheio

3,00 euros – Total de pedágios (3 pedágios pra ir e 3 pra voltar)
_________

TOTAL: 55,21 euros – Dividindo por 4 pessoas deu apenas 13,80 euros pra cada


SOBRE AS ESTRADAS:
Eu tava me cagando de medo de dirigir. Eu odeio dirigir em lugares que nunca fui antes e odeio dirigir em autoestradas. Curto dirigir da minha casa até a padaria! Hahahahahaha

Mas, como eu era a única que tinha carteira de motorista e sabia dirigir carro manual... Fui dirigindo com medo mesmo!

Liguei o Google Maps do meu celular e o Ian foi me guiando (quando eu dirijo sou focada na estrada, odeio olhar pros lados e pra GPS).

Depois que pegamos a autoestrada e eu vi o quão tranquilo era, até relaxei um pouco! As estradas são muito boas, sem buracos e bem sinalizadas, tanto no chão, quanto com placas. Aí foi de boa!

A velocidade máxima na maior parte da estrada é de 120 Km/h, mas fique atento porque tem muitos radares onde a velocidade permitida varia entre 100 km, 80 km e até 50 km/h.

Como eu mencionei antes ali na continha, passamos por 3 pedágios na ida e acredito que passamos pelos mesmos pedágios na volta hahahahahaha. Cada pedágio varia entre 0,30 a 0,50 (contei como se fosse 0,50 em todos e por isso brotei com o valor de 3,00 hahaahah).


COMO CHEGAR NO PARQUE NACIONAL DO GERÊS?
Se você colocar Gerês no GPS ele vai te levar até a Vila do Gerês que não tem nada além de hotéis e restaurantes. Foi o que a gente fez! Hahahahaha

Colocamos Gerês e paramos na Vila do Gerês, estacinamos o carro e fomos andando procurando trilhas... hahahahahahaha Até que um cara nos disse que as trilhas e cachoeiras estão no Parque Nacional do Gerês!

Voltamos pro carro e colocamos no GPS o nome de uma das cachoeiras mais famosas do Parque: Portela do Homem Gerês.

Aí o GPS nos mostrou que deveríamos ir em direção à Espanha e da Vila do Gerês até o Parque Nacional foram mais 25/30 minutos de carro.

Quando você chega lá em cima já começa a ver várias trilhas pra várias cachoeiras diferentes. É aconselhável que você as faça de carro e estacione o carro perto e depois só caminhe até as cachoeiras (andávamos no máximo 10 minutos do carro até as cachoeiras), isso porque são muitas subidas e você acaba perdendo tempo se quiser estacionar o carro lá embaixo pra subir até as cachoeiras.

Fiquei realmente muito surpresa com a beleza desse lugar! Não deixe de conhecer.

 
O QUE VISITAR NO GERÊS?
O Gerês tem muitas trilhas, cachoeiras e miradouros e é óbvio que não vou conseguir listar todos os lugares lindos que você pode conhecer por lá, mas vou fazer uma lista dos lugares mais famosos:

- Cascatas do Tahiti (Fecha das Barjas) | Umas das cachoeiras mais bonitas do Gerês [Nível de dificuldade: médio/difícil];

- Cascata do Arado | Muito bonita e tem alguns peixes. É aconselhável ir por volta do meio dia, porque como essa cachoeira fica entre rochas, quando o sol não bate nela, a água fica ainda mais fria. Tem um miradouro que fica em frente à cachoeira e depois tem um caminho de terra pra descer até lá. [Nível de dificuldade: médio/difícil];

- Portela do Homem (Cascatas do Rio Homem) | Muito linda e com água verde transparente. É preciso estacionar o carro no estacionamento que fica a 1 km da cachoeira e voltar andando. [Nível de dificuldade: fácil/médio]

- Barragem de Vilarinho das Furnas | Estrada de terra e de asfalto. Existe uma cidade subterrânea perto da barragem, não é possível vê-la (eu, pelo menos, não consegui ver nada), mas reza a lenda que tá lá! Hahahahahaha Tem um pequeno rio que algumas pessoas tomam banho, mas a graça de ir ao Vilarinho das Furna é ver as paisagens até chegar lá. Existe um recuo no meio da estrada que é possível parar o carro. Pare o carro lá e ande em direção ao rio, existe um miradouro escondido lá que é de tirar o fôlego de qualquer um! Que lugar incrível!

- Miradouro da Pedra Bela | Tem uma vista maravilhosa e se você for num dia ensolarado vai sentir algo mágico dentro de você. É uma paisagem tão linda que seu coração se enche de gratidão e você só tem vontade de gritar de felicidade (sim! A gente gritou muito!). Esse view point fica no caminho da Cascata do Arado, mas em vez de ir em frente, você vira pra direita.

- Fenda da Calcedônia | Existe uma trilha por dentro das pedras que é um pouco perigosa, mas vale a pena. Não chegamos a fazer essa trilha (na verdade, a gente nem sabia que tinha trilha, achamos que era só o miradouro), paramos só no view point que é sensacional e te surpreende com os formatos e posições das rochas, mas a galera que fez essa trilha disse que valeu muito a pena. É aconselhável contratar um guia, pois o percurso pode ser perigoso (importante contratar o serviço com, pelo menos, um dia de antecedência).

 Distância: 5 km
 Dificuldade: Média
 Duração: 3 horas

Seguem abaixo alguns lugares lindos que você também pode conhecer, mas que pra gente não deu tempo:

- Cascata da Laja | Localiza-se junto às caldas do Gerês e pode ser alcançada através do trilho da Preguiça;

- Cascata das 7 Lagoas | Situada no rio que atravessa Cabril, em local de difícil e elevada altitude;

- Miradouro da Boneca | Pelas fotos parece ser bem bonito, mas infelizmente não deu tempo da gente ir;

- Castro Laboreiro | Aldeia com arquitetura medieval (pontes, igrejas e castelo);

- Soajo | Aldeia com arquitetura medieval (pontes, igrejas e castelo) toda trabalhada em pedra. É conhecida pelos vários espigueiros que lá foram construídos, datando o mais antigo de 1782;

- Lindoso | Aldeia com arquitetura medieval (pontes, igrejas e castelo);

- Ponte da Mizarela (ponte do diabo) | Foi construída na Idade Média e reconstruída no início do século XIX. Essa ponte está localizada no fundo de um desfiladeiro e é sustentada por um único arco com cerca de 13 metros de vão.

TEM QUE PAGAR?
Para ir pra Portela do Homem você paga uma taxa de 1,50 euros por carro, ou seja, na verdade você paga tipo uma taxa de estacionamento e não um ticket de entrada! (Não sei se quem tá a pé precisa pagar, acho que não).

Pagamos apenas uma vez esse valor e rodamos o dia inteiro. Por isso, ao pagar o valor de 1,50 euros pelo seu carro, guarde o comprovante e mostre sempre que te pedirem, mas pra ser bem sincera só pediram pra olha uma vez! Hahahahahah

Esse valor de 1,50 euros você paga quando vai pra Portela do Homem, porque tem duas guaritas, uma na ida e uma perto do estacionamento. Então se você não pagar numa guarita, pode ter certeza que vão te cobrar na outra.

 
O QUE LEVAR NA MOCHILA?
Muito importante: Vá de tênis e leve um chinelo!

Eu fui de rasteirinha e me fudi! Tem muitas pedras nas trilhas das cachoeiras e acabei escorregando a maioria das vezes, fora que com tanta pedrinha pelos caminhos, acabei machucando o pé em várias situações diferentes e no final do passeio quase torci o pé.

- Protetor Solar;
- Água;
- Sanduíches;
- Biscoitos;
- Repelente;
- Câmera;
- Óculos de sol;
- Toalha;
- Roupa extra (just in case);
- Saquinho pra guardar o lixo (dificilmente você vai ver lixeiras por lá, então cate seu próprio lixo e jogue numa lixeira quando ver uma).

QUANTOS DIAS FICAR NO GERÊS?
Fizemos um bate e volta do Porto. Saímos às 11:00 do Porto e chegamos no Gerês às 12:30 e na volta saímos do Gerês às 19:45 e chegamos no Porto às 21:00 (o sol tava se pondo nesse horário, então deu pra aproveitar muito, mesmo chegando um pouco tarde no Gerês).

O trajeto do Porto ao Gerês dura em torno de 1 hora e 30 minutos a 2 horas.

Eu achei que super valeu a pena fazer o bate e volta e pra quem tem o roteiro apertado, acho que isso funciona muito bem! Por mim, a gente teria saído mais cedo (8:00/9:00 da manhã), mas a galera atrasou e acabamos saindo muito tarde.

Mas, quem tiver uns dias sobrando, super aconselho ficar uns dois ou três dias! Tem muita coisa linda pra ver por lá e acho que dois ou três dias são suficientes pra ver praticamente tudo (os principais pontos)!

 
QUANTO GASTAMOS NUM BATE E VOLTA SAINDO DO PORTO:
ALUGUEL DO CARRO:

13,99 euros – Diária do carro (Polo da Volkswagen – 5 lugares)

3,22 euros – Via rápida do pedágio

35,00 euros – Total de gasolina que tivemos que colocar pra devolver o carro com o tanque cheio

3,00 euros – Total de pedágios (3 pedágios pra ir e 3 pra voltar)
_________

TOTAL: 55,21 euros – Dividindo por 4 pessoas deu apenas 13,80 euros pra cada


COMPRAS NO MERCADO:

Eu comprei no Pingo Doce: 1 sanduíche, 2 biscoitos e 1 maçã = 3,80 euros.

OBS: Eu teria comprado dois sanduíche em vez de dois biscoitos (o sanduíche de patê de frango tava muito bom e depois senti falta de algo salgado na hora da volta)! hahahahaha

Como eu já tinha duas garrafinhas de água não precisei comprar água.

>>>> Nosso gasto total pra passar um dia (bate e volta) no Gerês = 17,60 euros pra cada, incluindo carro + comida!

*** Óbvio que se você for uma pessoa mais exagerada vai gastar mais na hora das compras. Minhas compras deram 3,80 euros e as compras do Ian deram 8,50 euros! O garoto comprou quase o mercado todo! hahahahahahahaha

ONDE SE HOSPEDAR?
Como eu disse, a gente não dormiu no Gerês, mas vi que existem alguns hostels, pousadas e hotéis por lá! Não consigo dar minha opinião sobre a estadia e o serviço, porque infelizmente eu nem entrei pra ver.

De qualquer forma, vou deixar algumas opções de hospedagem aqui, baseadas nas recomendações do Booking.com:

- Home Geres HOSTEL

- Hostel Geres

- HI Geres - Pousada de Juventude

Espero que vocês tenham curtido esse post que eu fiz com muito carinho sobre esse paraíso chamado Gerês e se tiverem qualquer dúvida sobre os passeios ou sobre o roteiro é só me mandar email (contato@vidamochileira.com.br) ou um direct no Instagram que eu respondo rapidinho.

Até a próxima!

 



Maryana Teles
Maryana Teles
Carioca, publicitária e apaixonada (digamos que, talvez, viciada) por viagens de estilo low cost. 25 países na bagagem e muitas histórias, micos, dicas e inspirações pra quem também vive (ou quer viver) uma VIDA MOCHILEIRA!
  • José Agustoni

    Muito legal!!! Eu tenho um projeto sério de ir morar em Portugal, muito provavelmente em Braga, e por isso estava pesquisando sobre este parque e encontrei teu blog.Valeu!!!

    • Vida Mochileira

      Que bom que curtiu o post José! Portugal é lindo e meu sonho também é morar lá! Eu amo o Porto!

      Bjs

      Mary